Utilização de Cochliomyia macellaria F. (Diptera: Calliphoridae) e avaliação de sua densidade larval para uso terapêutico na recuperação de lesões tegumentares

Orientador: Patricia Jacqueline Thyssen

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Nassu, Mariana Prado, 1988-
Orientador/a: Thyssen, Patricia Jacqueline, 1973-
Banca: Linhares, Arício Xavier, Reigada, Carolina
Format: Dissertação
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/317754
Citação:NASSU, Mariana Prado. Utilização de Cochliomyia macellaria F. (Diptera: Calliphoridae) e avaliação de sua densidade larval para uso terapêutico na recuperação de lesões tegumentares. 2014. 51 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/317754>. Acesso em: 25 ago. 2018.
Resumo Português:Resumo: A terapia larval (TL) consiste na aplicação de larvas estéreis de moscas necrófagas (Diptera) sobre lesões crônicas ou infectadas visando promover ou acelerar o processo de cicatrização. Para garantir segurança e sucesso, dois fatores tem de ser alcançados: a esterilidade das larvas que serão utilizadas e a confirmação de que a espécie, durante o seu processo de alimentação, consumirá apenas tecido necrosado. No presente estudo, pretendeu-se avaliar se a espécie Cochliomyia macellaria F. (Calliphoridae), de ampla distribuição em território brasileiro, pode ser uma excelente candidata para aplicação da TL, levando em conta seu comportamento e biologia. Foi avaliada a esterilização e a viabilidade pós-esterilização de larvas de C. macellaria em hipoclorito de sódio (NaClO) a 0,5% por um e por três minutos. Adicionalmente, lesões foram induzidas em ratos Wistar, para avaliar a qualidade e o tempo de cicatrização frente a diferentes tipos de tratamento. Para tanto, foram montados cinco grupos experimentais, sendo que em um deles os animais não foram submetidos a qualquer tipo de tratamento, e em outro foi feito desbridamento mecânico. Também foi avaliada qual a densidade larval (5, 15 ou 25 larvas/cm2) mais apropriada para obter melhor qualidade de cicatrização e, ao mesmo tempo, menor período de aplicação, visando adequar a TL a um atendimento do tipo ambulatorial, isto é, sem internação. O processo de cicatrização foi avaliado qualitativamente (a partir da mensuração de certos parâmetros associados às lesões) e quantitativamente (tempo). Fragmentos de pele foram coletados antes do tratamento e 12 h, 7 dias e 14 dias pós-tratamento, e processados para análise histológica. Em relação ao comportamento, foi observado que os imaturos de C. macellaria se alimentaram apenas de tecido necrosado. O uso de solução de NaClO a 0,5% por três minutos é o mais recomendado para obtenção de larvas estéreis com alta taxa de viabilidade. Não houve diferença significativa nos tempos de cicatrização entre os grupos experimentais. Contudo, foi observado que na relação de 25 larvas/cm2 houve um maior grau de vascularização nos tecidos, quando comparado aos demais tratamentos. Os mecanismos envolvidos nesse processo ainda são desconhecidos, mas concluiu-se que as larvas tem um importante papel na modulação da resposta imunológica do hospedeiro, sendo promissor o seu uso, provavelmente, em maiores densidades do que o preconizado na literatura
Resumo inglês:Abstract: Larval therapy (LT) is the application of sterile larvae of carrion flies (Diptera) on chronic or infected wounds to promote or accelerate the healing process. To ensure safety and success two aspects must be met: the sterility of the larvae and confirmation that the species consume only necrotic tissue during the feeding process. The present study intended to evaluate whether the species Cochliomyia macellaria F. (Calliphoridae), widely distributed in Brazil, could be a viable candidate for application of LT, taking into account their behavior and biology. Sterilization and post-sterilization viability of larvae of C. macellaria were evaluated after being treated with sodium hypochlorite (NaClO) at 0.5% during one and three minutes. Additionally, lesions were induced in Wistar rats to evaluate the healing quality and healing time against different types of treatment. For that, the rats were divided in five experimental groups, in one of them the animals were not subjected to any treatment and in another only mechanical debridement was performed. It was also evaluated which larval density (5, 15 or 25 maggots/cm2) is the most suitable for better quality of healing and at the same time, shorter period of application, in order to improve the LT to an outpatient care type, that is, without hospitalization. The healing process was assessed qualitatively (from the measurement of certain parameters associated with injuries) and quantitatively (time). Skin fragments were collected before treatment and 12 h, 7 days and 14 days post-treatment, and processed for histological analysis. Regarding the behavior, it was observed that immature C. macellaria fed only of necrotic tissue. The use of NaClO 0.5% solution for three minutes is the most recommended to obtain sterile larvae with high viability rate. There was no significant difference in healing times between the experimental groups. However, it was observed that in the group of 25 maggots/cm2 there was a higher degree of vascularization in tissues, as compared to other treatments. The mechanisms involved in this process are unknown, but it appears that the larvae have an important role in modulating the host immune response, and their use in higher density than that recommended in the literature is probably promising