A revista Estudos Sociais e a experiencia de um marxismo criador

Orientador: Marcelo Siqueira Ridenti

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2003
Main Author: Arias, Santiane
Orientador/a: Ridenti, Marcelo Siqueira, 1959-
Banca: Royo, Marcos Tadeu del, Pinassi, Maria Orlanda
Format: Dissertação
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Assuntos em Portugês:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281632
Citação:ARIAS, Santiane. A revista Estudos Sociais e a experiencia de um marxismo criador. 2003. 176p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/281632>. Acesso em: 3 ago. 2018.
Resumo Português:Resumo: Esta dissertação apresenta um estudo sobre a importância da revista Estudos Sociais (1958-1964) dentro de um processo de renovação do pensamento marxista brasileiro, ressaltando a sua contribuição para o mesmo. Criada num período de mudanças por iniciativa do Partido Comunista Brasileiro, a revista propunha-se a romper com o dogmatismo que caracterizou a política cultural do partido até a crise do stalinismo em 1956. Nesse sentido, apresentando-se como um modelo de imprensa diferenciado em relação às publicações comunistas anteriores, nas quais predominavam traduções de textos soviéticos e documentos políticos, a Estudos Sociais surge com um perfil mais teórico, sendo um espaço para publicações de estudos sobre a realidade brasileira. A revista buscou se abrir às contribuições de intelectuais não comunistas ligados ao movimento nacional-democrático. Apesar das dificuldades e dos limites, a Estudos Sociais foi local de produção e sistematização do pensamento comunista do período que decorre entre 1958 a 1964
Resumo inglês:Abstract: This dissertation presents a study about the importance of the magazine called Estudos Sociais (Social Studies) (1958 - 1964) within a renovation process of the Marxist thought, showing its contribution to it. The magazine was created by the Brazilian Communist Party during a period of changes and it aimed to break the dogmatism that characterized the party's cultural politics until the Stalinism crisis in 1956. This way, presenting itself as a model of a press different IX from the previous communist publications, in which translations of soviet texts and documents were predominant, Estudos Sociais comes with a more theoretical profile being a place for the publications of studies which reflect the Brazilian reality. The magazine sought to open itself for contributions of non-communist intellectuals connected to the national-democratic movement. In spite of the difficulties and limitations, Estudos Sociais was a place for the production and systematization ofthe communist thought between 1958 and 1964