Um estudo sobre as atitudes em relação a matematica em estudantes de 1 e 2 graus

Tese (livre-docencia) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:1996
Main Author: Brito, Marcia Regina Ferreira de, 1950-2018
Orientador/a: informado, Não
Format: Tese
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação
Assuntos em Português:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/251566
Citação:BRITO, Marcia Regina Ferreira de. Um estudo sobre as atitudes em relação a matematica em estudantes de 1 e 2 graus. 1996. [383]f. Tese (livre-docencia) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/251566. Acesso em: 5 Jan. 2021.
Resumo Português:Resumo: São poucos os estudos a respeito das atitudes com relação à Matemática desenvolvidos cm escolas brasileiras públicas ou particulares. Entretanto, existe uma grande quantidade de estudos a respeito desse tema em outros países, principalmente na Grã-Bretanha, Estados Unidos, Espanha e Portugal. A avaliação do impacto das influências sociais nas atitudes teni sido tema de muitos dos estudos desenvolvidos nesses países. Baseada no modelo de Educação como um processo de interação social, onde as atitudes desempenham um papel fundamental, a presente pesquisa tem como objetivos verificar a existência e ocorrência de atitudes em relação â Matemática e a direção (positiva ou negativa) que estas assumem, buscando estabelecer relações entre essas atitudes e alguns fatores selecionados. Os sujeitos foram 2007 estudantes de 1° grau (3a a 8a série) e 2° grau (três séries) de quatro escolas públicas e urbanas da região de Campinas A primeira etapa do estudo refere-se à tradução, adaptação e validação da escala de atitudes em relação à Matemática, proposta originalmente por Aiken e revista por Aiken e Dreger (Shaw e Wright, 1967). Os instrumentos usados no estudo foram essa escala e um questionário preparado de acordo com os objetivos propostos. Os resultados da análise da escala mostraram um item alfa=.94. A medida de adequação da amostra de Kaiser-Meyer-Olkin apontou o valor 0,97200. A utilização da ANOVA apontou a existência de diferenças significativas (p<.050) nas atitudes em relação à Matemática quando os sujeitos são agrupados de acordo com a escola, série, grau, idade, sexo, desempenho, auto-percepção do desempenho, ajuda nas tarefas de Matemática, compreensão dos problemas e das explicações do professor e a preferência por disciplina. Quando os grupos são analisados (ANCOVA) de acordo com duas possibilidades, apenas os agrupamentos escola x idade e escola x grau apresentam diferenças significativas. O estudo fornece ainda uma ampla revisão da literatura existente a respeito das atitudes em relação à Matemática e, na conclusão, tenta esboçar um "perfil" do estudante com atitudes favoráveis em relação a essa disciplina
Resumo inglês:Abstract: Few studies of attitudes toward Mathematics have been conducted in Brazilian public or private schools. However, attitudes toward Mathematics have been studied in many countries, particularly in Great Britain, The United States, Spain and Portugal. The impact of social influences on attitudes is becoming the main objective of many studies developed in those countries. Assuming that education is a process of social interaction, where attitudes play a key role, the research presented here had as objectives to access attitudes and the direction (positive or negative) assumed by those attitudes. An attempt to establish relationships between attitudes and some related factors is made. Subjects were 2007 students (grades 3 to 12) from four public urban schools. This study first translated and validated a scale of attitudes toward Mathematics developed by Aiken and reviewed by Aiken and Dreger (Shaw and Wright, 1967). Date was collected through this scale of attitudes and a questionnaire prepared according to the proposed objectives. The data analysis of the scale showed an alpha = .94 and the Kaiser-Meyer-Olkiiv value was 0,972. ANOVA pointed out differences (p<.050) in attitudes toward Math when subjects are grouped according to school, grade, achievement, self-perception of achievement, receiving help in homework, comprehension of problems and teacher explanation, and discipline preferences. ANCOVA showed that grouping the subjects in two possibilities, only school x age and school x grade are significantly different. A wide review of the existing literature on attitudes toward Mathematics is also provided and in conclusion an attempt is made to trace a picture of a student with positive attitudes toward Mathematics