A midiatização das (neuro)ciencias : discurso, ideologia, sujeito

Orientador: Eni de Lourdes Pulcinelli Orlandi

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Alves, Wedencley
Orientador/a: Orlandi, Eni Puccinelli, 1942-, Orlandi, Eni de Lourdes Pulcinelli
Banca: Lagazzi-Rodrigues, Suzy Maria, Souza, Tania Conceição Clemente de, Nunes, José Horta, Vogt, Carlos Alberto
Format: Tese
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem
Programa: Programa de Pós-Graduação em Linguística
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270708
Citação:ALVES, Wedencley. A midiatização das (neuro)ciencias: discurso, ideologia, sujeito. 2007. 204p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/270708>. Acesso em: 8 ago. 2018.
Resumo Português:Resumo: Esta pesquisa investiga o processo de midiatização das neurociências. Por midiatização, entende-se tanto a imagem pública deste campo de pesquisa produzida pela mídia, quanto o surgimento de uma mídia procedural, que aos poucos vai sendo incorporada aos processos de produção científica. Tendo como norte teórico a Análise do Discurso, a investigação parte de uma preocupação com a constituição, formulação e circulação dos sentidos produzidos por e neste fenômeno. Esse processo resulta no que denominamos neurodiscursos, alimentados pelo imaginário de um todo-saber tornado possível pelas neurociências, imaginário este que funciona como mecanismo ideológico de apagamento das condições de produção daquele campo científico. Os discursos midiáticos conferem às pesquisas neurocientíficas maior legitimação social, na medida em que funcionam tanto como difusor quanto como operador no processo de produção de conhecimento. Os neurodiscursos, todavia, não estão associados somente à midiatização, mas também às condições de produção, características da era da alta pesquisa médica, que está articulada ao complexo industrial-financeiro e de serviços, a formações discursivas de fundo positivista, e às demandas sociais contemporâneas pela tradução/transformação dos resultados científicos em dados informacionais, isto é, formulação em textualidades informáticas. Uma questão em particular atravessa toda a pesquisa: a do sujeito, visto que o que está em jogo é a luta epistêmica pela definição do seu estatuto ¿ a subjetividade como resultante de processos orgânicos e mentais contra a subjetividade como produto da história e do simbólico, concepção dominante nas ciências humanas
Resumo inglês:Abstract: This research investigates the process of mediatization of neurosciences. Mediatization means not only the public image of this research field produced by media but also the emergence of a procedural media, which little by little becomes part of the processes of scientific production. The Discourse Analysis is its main theoretical principle; the investigation comes from a concern with constitution, formularization and circulation of the meanings produced by and in this phenomenon. This process results in what we call neurodiscourses, fed by the imaginary of a complete knowledge it was made possible by neurosciences, such imaginary works as an ideological mechanism which makes implicit the conditions of production of that scientific field. The discourses of media give a bigger social legitimation to the neuroscientific researches as they function not only like a diffuser but also like an operator in the process of knowledge production. However, the neurodiscourses are not associated only to the mediatization; they are also associated to the conditions of production, characteristics of the age of high medical research, which it is articulated to the industrial-financial and services complex, to the discursive formations with a positive background, to the social and contemporaneous demands by translation/transformation of results into informational data; that is, formularization in informatical textualities. A particular question is present in all study: The subject¿s question, since the discussion point is the epistemic struggle for definition of its statute ¿ the subjectivity as resultant of organic and mental processes against the subjectivity as product of history and of symbolic, dominant conception in human sciences