Da renovação educacional do Colégio Progresso Campineiro à gênese da Escola Comunitarária de Campinas

Orientador: José Luís Sanfelice

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2010
Main Author: Penteado, Ana Elisa de Arruda
Orientador/a: Sanfelice, José Luís, 1949-
Banca: Carvalho, Carlos Henrique de, Andreotti, Azilde Lina, Castanho, Sérgio Eduardo Montes, Rocha, Heloísa Helena Pimenta da
Format: Tese
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/251404
Citação:PENTEADO, Ana Elisa de Arruda. Da renovação educacional do Colégio Progresso Campineiro à gênese da Escola Comunitarária de Campinas. 2010. 219p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/251404>. Acesso em: 16 ago. 2018.
Resumo Português:Resumo: Esta pesquisa buscou historiar a Escola Comunitária de Campinas, que nasceu, em 1977, do esforço conjunto de um grupo de pais, coadjuvado por um grupo de professores - todos dissidentes do tradicional Colégio Progresso Campineiro -, unidos em torno de um ideal comum: a defesa de um projeto educacional de cunho humanista, que visava à formação integral do homem, como um ser crítico e participativo, ao cultivo de valores sociais e à promoção da autonomia do educando frente à construção do seu próprio conhecimento. Esse projeto fora abruptamente interrompido no Colégio Progresso, onde vinha sendo desenvolvido desde que a renovação educacional foi lá encetada nos anos de 1960, gerando uma crise sem precedentes em sua história. Embora essa crise seja tomada como o marco do nascimento da Escola Comunitária, um mergulho em suas origens, entretanto, fez-me ver que essa instituição escolar começou a ser gestada muito antes, durante esse processo de renovação. O percurso trilhado desde então até a materialização da Escola Comunitária de Campinas, e o modo como ela foi instituindo sua identidade, é o tema do presente trabalho. Esse percurso será analisado à luz do método histórico-crítico, que busca relacionar as especificidades do particular ao contexto mais geral no qual essa Escola foi engendrada.
Resumo inglês:Abstract: This research aimed at writing the history of the Escola Comunitária de Campinas, which was set up, in 1977, from the collective effort of a group of parents, helped by a group of teachers - all dissidents of the traditional Colégio Progresso Campineiro -, united by a common ideal: the defense of an educational project of humanistic feature, whose main goal was the total formation of man, as a critical and participant being, in the cultivation of social values and the promotion of the autonomy of the student facing the construction of his/her own knowledge. That project was abruptly interrupted in the Colégio Progresso, where it had been developed since the educational renewal was started there, in the 1960's, causing an unforeseen crisis in its history. Although that crisis was considered the birth mark of the Escola Comunitária, a plunge into its origins, however, has made me see that this educational institution began to be developed long before, during that process of renewal. The path taken since then, up to the materialization of the Escola Comunitária de Campinas, and the way it has been building its identity, is the theme of this paper. That path will be analyzed in view of the historical-critical method, which tries to relate the specificities of the particular to the most general context in which that School was engendered.