Síntese e caracterização estrutural de complexos metálicos com ligantes bioativos N,O-doadores e estudo de suas atividades biológicas in vitro

Orientadores: Pedro Paulo Corbi, André Luiz Barboza Formiga

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Carvalho, Marcos Alberto de, 1983-
Orientador/a: Corbi, Pedro Paulo
Banca: Cuin, Alexandre, Lustri, Wilton Rogério, Mazali, Italo Odone, Tasic, Ljubica
Format: Tese
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Química
Programa: Programa de Pós-Graduação em Química
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/249130
Citação:CARVALHO, Marcos Alberto de. Síntese e caracterização estrutural de complexos metálicos com ligantes bioativos N,O-doadores e estudo de suas atividades biológicas in vitro. 2015. 118 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Química, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/249130>. Acesso em: 27 ago. 2018.
Resumo Português:Resumo: O uso de metais em medicina, no tratamento de doenças, data desde a antiguidade. Sais de prata são utilizados há séculos como agentes antimicrobianos, enquanto que, mais recentemente, complexos de Au(I) e Pt(II) tem sido pesquisados e utilizados como agentes antiartríticos e antitumorais, respectivamente. Nesta Tese, são apresentados estudos de síntese, caracterização estrutural e ensaios biológicos in vitro de novos complexos metálicos de Pt(II), Pd(II), Ag(I) e Au(III) com diferentes ligantes bioativos: triptofano (Trp), triptamina (tra), ácido mefenâmico (mef) e carnosina (car). Os complexos foram preparados a partir da reação em solução aquosa ou alcoólica dos ligantes e dos respectivos sais metálicos. As composições dos complexos foram determinadas por análise elementar, espectrometria de massas e por análise termogravimétrica. Estudos espectroscópicos e de modelagem molecular permitiram propor os modos de coordenação dos ligantes aos íons metálicos. Os complexos de Ag(I) e Pd(II) com Trp mostraram atividade sobre cepas bacterianas Gram-negativas e Gram-positivas. O complexo de Pd(II) com triptamina não apresentou atividade frente as cepas de Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus aureus. O complexo de Pd(II) com ácido mefenâmico e bipiridina mostrou atividade inibitória frente a cepas de S. aureus e não foi ativo sobre E. coli e P. aeruginosa. Estudos de citotoxicidade dos complexos de Ag(I), Pd(II) e Pt(II) com Trp pela redução do MTT sobre as linhagens de células Balb/c3T3, SK-Mel 103 e Panc-1 mostraram que os complexos são citotóxicos para todas as linhagens consideradas
Resumo inglês:Abstract: The use of metals in medicine in the treatment of diseases dates since antiquity. Silver salts have been used as antimicrobial agents for centuries, while more recently, Au(I) and Pt(II) complexes have been investigated and used as antiarthritic and antitumor agents, respectively. This Thesis presents the synthesis, structural characterization and biological assays in vitro of new metal complexes of Ag(I), Pd(II), Pt(II) and Au(III) with the bioactive ligands tryptophan (Trp), tryptamine (tra), mefenamic acid (mef) and carnosine (car). The complexes were prepared by the reaction of the ligands and metal salts in aqueous or alcoholic solutions. Composition of complexes were determined by elemental analysis, mass spectrometry and thermogravimetric analyses. Spectroscopic and molecular modeling studies were used to determine the coordination modes of the ligands to the metals. Complexes of Ag(I) and Pd(II) with Trp showed activity against Gram-positive and Gram-negative strains. The Pd(II) complex with tryptamine showed no activity against Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa ande Staphylococcus aureus strains. The Pd(II) complex with mefenamic acid and bipyridine showed inhibitory activity against S. aureus strains and it was not active on E. coli and P. aeruginosa. Cytotoxicity studies of the Ag(I), Pd(II) and Pt(II) complexes with Trp by MTT reduction on Balb/c3T3, SK-Mel 103 and Panc-1 lines cells showed that complexes are cytotoxic to all considered cells