O progresso na "marcha para o oeste" : uma analise enunciativa na imprensa mato-grossense

Orientador: Eduardo Roberto Junqueira Guimarães

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Oliveira, Rosimar Regina Rodrigues de, 1974-
Orientador/a: Guimarães, Eduardo, 1948-, Guimarães, Eduardo Roberto Junqueira, 1948-
Banca: Renzo, Ana Maria Di, Zuccolillo, Carolina Maria Rodriguez
Format: Dissertação
Language:por
Published: [s.n.]
Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem
Programa: Programa de Pós-Graduação em Linguística
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Online Access:http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269049
Citação:OLIVEIRA, Rosimar Regina Rodrigues de. O progresso na "marcha para o oeste": uma analise enunciativa na imprensa mato-grossense. 2007. 116 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/269049>. Acesso em: 8 ago. 2018.
Resumo Português:Resumo: Desenvolvemos este trabalho tendo por fundamento a Semântica da Enunciação, que considera a linguagem na sua relação com a história. Compreendemos os sentidos das palavras progresso e moderno na relação com os sentidos da Marcha para o Oeste em textos jornalísticos da imprensa mato-grossense do século XX. Mais precisamente em publicações do jornal O Estado de Mato Grosso dos anos de 1939 e 1940. A imprensa foi compreendida de acordo com Mariani (1997; 2001) como um lugar de observação dos sentidos. A marcha para o Oeste, pelas relações de determinação, é constantemente relacionada ao progresso e esse progresso é determinado por grandeza, riqueza e luz, havendo no Oeste uma ausência do moderno. A marcha produz para o Oeste um sentido de não civilizado e de um processo civilizatório. Observamos como as palavras marcha para o Oeste, progresso e moderno se comportaram nos textos da imprensa, na relação com outras palavras. Isto foi feito pelos DSDs Domínios Semânticos de Determinação destas expressões, constituídos pelas relações de determinação produzidas pelo acontecimento enunciativo. Apresentamos seus sentidos a partir da noção de designação proposta por Guimarães (1995; 2002). As descrições foram feitas, por meio dos procedimentos de reescrituração e articulação a partir dos quais pudemos compreender em que medida as palavras acima citadas se determinam e são determinadas por outras produzindo sentidos.
Resumo inglês:Abstract: This work is theoretically based on the Semantics of Enunciation, which considers language in its relation to history. We try to understand the meanings of the words progress and modern in their relation to the meaning of the March to the West as found in journalistic texts of the XXth century press in the state of Mato Grosso (Brazil), more specifically in the newspaper O Estado de Mato Grosso, in 1939-1940. As stated by Mariani (1997; 2001), the press is understood as a place where meanings can be observed. Through determination relations, the March to the West is constantly linked to progress, a progress determined by largeness, wealth and light, while modernity is absent from the West. In the West, the March thus produces a meaning of both uncivilization and civilizing process. We observed how the words: March to the West, progress and modern are used in the press in relation to other words. This was made through DSDs (Semantic Domains of Determination) of these expressions, constituted by the determination relations produced by the enunciative event. We present their meaning based on the notion of designation proposed by Guimarães (1995; 2002). Descriptions were made using rewriting and articulation procedures that helped us understand to what extent the abovementioned words determine and are determined by the meaning of the others.