A securitização de recebíveis e seu impacto no valor das originadoras: evidências do mercado brasileiro

A securitização é uma operação estruturada bastante popular no EUA e que vem crescendo no Brasil. A securitização traz benefícios aos investidores, tomadores de crédito, originadores de recebíveis e a economia como um todo e é vista como fonte alternativa de financiamento dentro da teoria de finança...

Nível de Acesso:openAccess
Data de Defesa:2011
Autor/a: Goldberg, Marcelo de Biazi
Orientador/a: Sheng, Hsia Hua
Tipo Documento: Dissertação
Idioma:por
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Download Texto Completo:http://hdl.handle.net/10438/8364
Citação:GOLDBERG, Marcelo de Biazi. A securitização de recebíveis e seu impacto no valor das originadoras: evidências do mercado brasileiro. Dissertação (Mestrado Profissional em Finanças e Economia) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2011.
Resumo Português:A securitização é uma operação estruturada bastante popular no EUA e que vem crescendo no Brasil. A securitização traz benefícios aos investidores, tomadores de crédito, originadores de recebíveis e a economia como um todo e é vista como fonte alternativa de financiamento dentro da teoria de finanças. Utilizando a técnica do estudo de evento, este artigo testa se o anúncio de que uma empresa listada no Bovespa vai securitizar ativos via FIDC causa algum impacto no preço da ação dessa empresa. Foram testadas 38 emissões de FIDCs realizadas de 2000 a 2008. Os resultados encontrados indicam que tal efeito não ocorre na amostra testada, contrariando resultados de experimentos semelhantes nos EUA. Atribui-se tal resultado ao fato que: i) a securitização ainda é relativamente pouco significativa nas empresas e bancos brasileiros, quando comparada ao mercado americano; ii) a estrutura de garantias que a estrutura do FIDC impõe é considerada um hard credit enhancement, diferentemente do caso americano, onde securitizações podem ser feitas com soft credit enhancements; iii) Por último, devido a restrições legais, os bancos brasileiros não conseguem administrar seu capital regulatório via cessão de recebíveis a FIDCs, estando em posição mais conservadora do que as normas internacionais
Resumo inglês:Securitization is a very popular structured transaction in the USA and has been growing in Brazil. Securitization creates benefits to investors, receivables originators, borrowers and to economy as a whole and it is seen as an alternative source of funding on current literature. Using an event study technique, this papers tests whether the announcement that a Bovespa listed company will securitize assets using FIDCs causes impact on its stock price. We tested 38 issues made from 2000 to 2008. Results founded shows that this effect doesn’t happen in Brazilian case, in contrast with similar studies in north-american market. The possible reasons for the results are: i) securitization stills very small in Brazilian companies and banks, when matched with securitization in USA; ii) the FIDC credit enhancement structure is considered a hard credit enhancement, in contrast with the north-american case, where securitizations can be done with soft credit enhancements; iii) Finally, due to a more conservative position of Brazilian authorities, Brazilian banks are not allowed to manage its regulatory capital using the FIDCs in contrast with the international standards.