Congestionamento de tráfego de veículos e emissões de poluentes atmosféricos veiculares: uma análise das suas interrelações no município de São Paulo

Currently the major cities are in poles of activities primarily commercial and services. These urban centers have become generators of numerous trips transporting people and goods, which cause an accumulation of vehicles on its road system, resulting in a traffic congestion of vehicles in some slots...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Menezes, Aleixo Leopoldo da Cunha lattes
Orientador/a: Graudenz, Gustavo Silveira lattes
Banca: Gabriel, Marcelo Luiz Dias da Silva lattes, Pereira, Luiz Alberto Amador lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Nove de Julho
Programa: Programa de Mestrado Profissional em Administração - Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Department: Administração
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://localhost:8080/tede/handle/tede/17
Citação:MENEZES, Aleixo Leopoldo da Cunha. Vehicle traffic congestion and vehicular emissions Of pollutants: An analysis of their interrelation In the city of São Paulo. 2014. 133 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2014.
Resumo Português:Atualmente as grandes cidades constituem-se em polos de atividades, predominantemente, comerciais e de serviços. Esses núcleos urbanos tornaram-se geradores de inúmeras viagens transportando pessoas e bens, o que gera um acúmulo de veículos no seu sistema viário, resultando no congestionamento de veículos, em algumas faixas horárias ao longo do dia o que contribui para o incremento de poluentes na atmosfera dessas cidades. Este trabalho tem como objetivo verificar a relação entre os congestionamentos de tráfego e a concentração de determinados poluentes atmosféricos emitidos por esses veículos, no Município de São Paulo. Os dados, relativos ao período de 1996 a 2009, foram obtidos junto à Companhia de Engenharia e Tráfego (CET), através das observações e medições dos congestionamentos nas vias monitoradas da capital, e à Companhia de Saneamento básico de São Paulo (CETESB), onde as informações são relacionadas aos seguintes poluentes: Partículas Inaláveis, menores que 10 micrôns (MP10), Dióxido de Enxofre (SO2), Monóxido de Carbono (CO), Ozônio (O3) e Dióxido de Nitrogênio (NO2), além de dados climatológicos, como a temperatura mínima e a umidade média, obtidos juntos às estações de monitoramento. Nos resultados obtidos, observou-se um aumento linear na extensão dos congestionamentos e um comportamento inverso com relação aos poluentes à exceção do Ozônio. Não foi verificada nenhuma correlação direta entre os poluentes medidos, com a extensão da fila de congestionamento. Obtendo-se os seguintes coeficientes de correlação R: -0,053 para PM10, -0,054 para SO2, -0,018 para NO2, -0,14 para CO e -0,017 para o O3. Este resultado suscita algumas considerações a respeito dos fatores que possam ter influído no mesmo, como o desenvolvimento tecnológico aplicado à indústria automobilística, assim como ações de cunho governamental que paulatinamente foram estabelecendo valores menores ao limite de emissões dos poluentes, nos novos veículos produzidos. O resultado também estimulou uma nova revisão bibliográfica, a qual, apesar de ainda haver pouca literatura a respeito, apresentou casos semelhantes de redução da camada de poluição sobre as grandes cidades. Os fatores que podem ter contribuído para estes achados são os avanços tecnológicos na redução das emissões veiculares, fatores climáticos, fatores geográficos e limitações técnicas na medição tanto das extensões de trafego, quanto na exposição aos poluentes, destacando-se, também, as políticas públicas de controle de emissões veiculares. Conclui-se que, apesar do aumento do volume de veículos e consequentemente o da extensão dos congestionamentos, as concentrações de poluentes na atmosfera, apresentaram redução ao longo do período, não exibindo uma relação direta entre o incremento de congestionamentos e a concentração de poluentes. Este estudo também visa contribuir para a obtenção de uma visão ampla dos fatores considerados para a análise dos resultados encontrados, desde a renovação da frota de veículos, até a utilização crescente de combustíveis de fontes renováveis, sejam puros ou adicionados aos combustíveis de origem fóssil, destacando a importância das políticas públicas voltadas à redução da poluição atmosférica, através da participação de órgãos governamentais que, por meio de medidas regulamentadoras, onde foram definidos parâmetros para os limites nas emissões de poluentes provenientes dos motores dos veículos. Estas observações permitem estimular o desenvolvimento de futuros trabalhos voltados para a aplicação da tecnologia, estimulada por diretrizes de políticas públicas de normatização, bem como a fiscalização dos segmentos automotivo e ambiental, em prol da qualidade do ar e consequentemente da vida.
Resumo inglês:Currently the major cities are in poles of activities primarily commercial and services. These urban centers have become generators of numerous trips transporting people and goods, which cause an accumulation of vehicles on its road system, resulting in a traffic congestion of vehicles in some slots throughout the day which contributes to the increase of pollutants in atmosphere of these cities. This study aims to investigate a possible relationship between traffic congestion and concentration of certain air pollutants emitted by these vehicles, in São Paulo. Since the approach of this data, a secondary source, the information concerning the extent of congestion and those related to pollutants were removed. The data for the period 1996-2009, were obtained from the Company and Traffic Engineering (CET), through observations and measurements of congestion on roads monitored in the capital, and the Environmental Company of the State of São Paulo (CETESB) where information is related to the following pollutants: Inhalable particles that are smaller than 10 microns (PM10), Sulfur Dioxide (SO2), carbon monoxide (CO), ozone (O3) and nitrogen dioxide (NO2), and climatological data , as minimum temperature and average humidity , pulled together to monitoring stations. In the results, we observed a linear increase in the extent of congestion and an inverse behavior with respect to pollutants except for ozone. There was no direct correlation observed between the measured pollutants to the extent of congestion queue. Obtaining the following correlation coefficients R = -0.056 for PM10 -0.057 to SO2, NO2 to -0.20, -1.33 to -0.017 for CO and O3. This result raises some considerations about the factors that may have influenced the same as the technological development applied to the automobile industry, as well as actions of governmental nature that gradually lower the emission limit values of pollutants were established in the new production vehicles. The result also stimulated a new literature review, which, despite a lack of literature on the subject, similar cases of lower layer of pollution were reported over large cities. Factors that may have contributed to these findings are the technological advances in the reduction of vehicle emissions, climatic factors, geographical factors and technical limitations in measuring both the extensions of traffic, as the exposure to pollutants, also highlighting public policy control of vehicular emissions. We conclude that, despite the increased volume of vehicles and consequently the extent of congestion, the concentrations of pollutants in the atmosphere, decreased over the period, not showing a direct relationship between the increase in congestion and concentration of pollutants.