O desenvolvimento de produtos verdes e sua relação com as estratégias ambientais: o caso da empresa Philips no Brasil e sua área de cuidados com a saúde

Despite the economic, social and especially environmental benefits that the products considered "green" can provide, they have not proliferated yet the way one might expect since they emerged in a systematic way, in the late 1970s. A large number of reasons can be identified. From the supp...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Brito, Sidnei da Col de lattes
Orientador/a: Aguiar, Alexandre de Oliveira e lattes
Banca: Hourneaux Júnior, Flávio lattes, Demajorovic, Jacques lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Nove de Julho
Programa: Programa de Mestrado Profissional em Administração - Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Department: Administração
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://localhost:8080/tede/handle/tede/10
Citação:BRITO, Sidnei da Col de. O desenvolvimento de produtos verdes e sua relação com as estratégias ambientais: o caso da empresa Philips no Brasil e sua área de cuidados com a saúde. 2014. 122 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2014.
Resumo Português:Apesar dos benefícios econômicos, sociais e principalmente ambientais que podem proporcionar, os produtos considerados verdes ainda não proliferaram da maneira como se poderia esperar desde que surgiram de forma mais sistemática, no final da década de 1970. Uma série de razões podem ser apontadas. Do ponto de vista da oferta de tais produtos, apesar da pouca motivação que as empresas podem ter em função de uma demanda ainda incipiente, aquelas que pretendem fornecer produtos verdes também se deparam com uma série de dúvidas: o que é efetivamente um produto verde ? Quando é possível rotulá-lo como tal, sem correr o risco de ser visto como uma mera prática de green washing? Quais as melhores estratégias a serem adotadas? Nesse contexto, o presente estudo teve como objetivo principal analisar as características do programa de desenvolvimento de produtos verdes e sua relação com as estratégias ambientais em uma empresa do setor de produtos eletroeletrônicos. Para isso, foi realizado um estudo de caso de natureza qualitativa junto à Philips no Brasil, e em particular junto à sua área de negócios de Cuidados com a Saúde, tendo fontes de informações bibliográficas, documentais e entrevistas. Entre os principais resultados, foram identificadas as características essenciais do programa de desenvolvimento de produtos verdes da organização, incluindo a definição de produto verde utilizada pela empresa, os aspectos ambientais considerados, a identificação e divulgação realizada, assim como as abordagens estratégicas ambientais mais amplas adotadas pela organização, com diferentes intensidades: Eficiência Energética, Ecoeficiência Material, Cadeia de Suprimento Verde e Gestão Ambiental, respectivamente. Os resultados forneceram indícios de que o desenvolvimento de produtos verdes não pode ser considerado como uma prática isolada dentro das organizações, mas que deve ser devidamente suportado por estratégias ambientais definidas e implementadas pela empresa. A estratégia de Gestão Ambiental não resultou como a mais relevante, contrariando uma tendência geral expressa em estudos anteriores. Por outro lado, repetiu-se o padrão de estratégias ambientais adotadas por empresas da área de Cuidados com a Saúde, visto que as estratégias de Eficiência Energética e Ecoeficiência Material resultaram como as mais utilizadas pela organização. Como contribuições para a prática profissional, os resultados apresentados podem auxiliar organizações que pretendem desenvolver produtos verdes e mesmo auxiliar na definição das melhores estratégias ambientais a serem adotadas, inclusive no caso de empresas com diferentes unidades de negócios.
Resumo inglês:Despite the economic, social and especially environmental benefits that the products considered "green" can provide, they have not proliferated yet the way one might expect since they emerged in a systematic way, in the late 1970s. A large number of reasons can be identified. From the supplies view of these products, despite low motivation that the companies can be due to incipient demand, those that aim to provide green products also face a few questions: what is effectively a "green" product? When is it possible to label it, without running the risk of being seen as a mere practice of green washing? What are the best strategies to follow? In this context, the present study aims to analyze the features of the green product development s program and its relationship with the environmental strategies in an electronic sector s company. With this purpose, a qualitative case study was conducted about the Philips in Brazil, particularly in its Healthcare business area, having as sources of information, literature searches, documents and interviews. Among the main results, the essential characteristics of the green product development program of the organization were identified, including the definition of green products used by the company, the environmental aspects, the identification and disclosure, as well as the broader environmental strategic approaches adopted by the organization, with different intensities: Energy Efficiency, Material Eco-efficiency, Green Supply Chain and Green Management, respectively. The results provided evidences that the green products development cannot be considered as a standing alone practice within organizations, but it must be properly supported by environmental strategies defined and implemented by the company. The Green Management strategy did not result as the most relevant, contradicting the general tendency expressed in previous studies. On the other hand, the pattern of environmental strategies adopted by companies in the Healthcare sector was repeated, since the strategies of Energy Efficiency and Material Eco-efficiency resulted as the most used by the organization. Regarding the contributions to professional practices, the results can contribute with organizations that intend become green product developers and even assist determining best environmental strategies to be adopted, including in the case of companies with different business units.