Laser de baixa intensidade na modulação do processo Inflamatório na prevenção da Síndrome do insucesso da cirurgia espinhal

Every year, over one million individuals worldwide were submitted to laminectomies, with a rate failure higher than 40%. Post laminectomy epidural adhesion is implicated as a main cause of ‘‘failed back surgery syndrome’’ and associated with high risk of complications during the revision surgery. Th...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Holanda, Vanessa Milanesi lattes
Orientador/a: Chavantes, Maria Cristina lattes
Co-advisor: Oliveira, Jean Gonçalves de lattes
Banca: Kurachi, Cristina lattes, Duarte, Ivone da Silva lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Nove de Julho
Programa: Programa de Mestrado em Medicina
Department: Saúde
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://bibliotecadigital.uninove.br/handle/tede/1148
Citação:Holanda, Vanessa Milanesi. Laser de baixa intensidade na modulação do processo Inflamatório na prevenção da Síndrome do insucesso da cirurgia espinhal. 2013. 59 f. Dissertação( Programa de Mestrado em Medicina) - Universidade Nove de Julho, São Paulo .
Resumo Português:Every year, over one million individuals worldwide were submitted to laminectomies, with a rate failure higher than 40%. Post laminectomy epidural adhesion is implicated as a main cause of ‘‘failed back surgery syndrome’’ and associated with high risk of complications during the revision surgery. The postoperative epidural scar can cause extradural compression or dural tethering, which lead to recurrent radicular pain and physical impairment. Several studies in the literature are signalizing that Low-Level-Laser-Therapy (LLLT) is proven to be an effective tool to assist the inflammatory process and wound healing, as well to prevent infection and dehiscence. The objectives of this project are to delineate and evaluate the LLLT effects in spinal surgery. A prospective randomized, controlled trial with a total of 48 patients, who underwent to laminectomy, were divided into 2 groups, as following: in 25 randomized patients, LLLT infrared, Power = 40mW, Fluence= 7.44 J/cm2 was applied during transoperatory phase, on the laminectomy site, on the subcutaneous tissue and surrounding the wound site. In the second group, 23 patients were induced to believe that they were getting the same treatment, avoiding psychological effect, although LLLT was not operating. In those groups, C reactive protein (CRP), lactic dehydrogenase and creatine kinase (CK) were assessed in the second and fifth days after surgery, digital temperature and visual analogue scale were measured, pre and post LLLT application. The drainage output were collected in the first and second days, following surgery in both groups. Interleukins 1, 4, 6, 8 and 10 and tumor necrosis factor alpha (TNF- α) were evaluated. The results indicated temperature decrease, pain relief and accelerated wound healing in laser group. LLLT facilitates the wound cicatrization, due to a prompt resolution while acute inflammation, as suggested by the CRP chiefly drop from second to fifth postoperative day; in which the proliferation phase of healing demonstrated statistically significant values by fast fall in the laser group of CK, suggesting that these markers may guide LLLT treatment evolution. In conclusion, it was demonstrated that only three LLLT applications could assist better wound healing, reduce the lesion inflammation, decrease drainage output and promote analgesia in the PO post laminectomy with cost-effectiveness.
A cada ano, mais de um milhão de pessoas ao redor do mundo são submetidas à cirurgia da coluna vertebral, com uma taxa de insucesso superior a 40%. A fibrose epidural pós-laminectomia é apontada como a principal causa da síndrome do insucesso da cirurgia espinhal e está associada ao aumento do risco de complicações durante a cirurgia de revisão. A cicatriz pós-operatória peridural pode causar compressão extradural, resultando em dor radicular recorrente e déficits neurológico. Inúmeros estudos sinalizam que o laser de baixa intensidade (LBI) tem sido descrito como eficaz no auxílio do decréscimo da inflamação e cicatrização de feridas cirúrgicas. Objetivos: Delinear e analisar os efeitos da laserterapia em cirurgia da coluna vertebral. Metodologia: Estudo prospectivo randomizado e controlado por placebo com 48 pacientes submetidos à laminectomia, divididos aleatoriamente em 2 grupos. No primeiro grupo, 25 pacientes receberam Laser no infravermelho (λ= 804nm), Potência= 40mW, Fluência= 7.44 J/cm2 durante a cirurgia nas seguintes áreas: durante o transoperatório na dura-máter, sobre subcutâneo e sobre a pele; além do leito da ferida cirúrgica em 24h e 72h após a cirurgia. No segundo grupo, 23 pacientes foram induzidos a acreditar que receberam o mesmo tratamento. Antes da cirurgia, além dos dias 2 e 5 pós operatórios (PO), foram coletadas amostras de sangue do paciente para estudo de PCR, DHL e CK. Antes e após a laserterapia, a temperatura corpórea foi medida por meio de termômetro digital e a dor foi avaliada por meio de escala analógica visual. Nos dias 1º e 2º PO, o débito do dreno foi coletado e analisado as citocinas foram avaliadas por ELISA interleucinas 1, 4, 6, 8, 10 e TNF-alfa do exsudato. Resultados: Demonstraram uma diminuição de temperatura, alívio da dor e cicatrização acelerada no grupo laser, além de uma redução do débito do dreno, contribuindo para redução da perda sanguínea e evitando infecção. O LBI facilita a reparação de feridas, devido a uma resolução mais rápida do processo inflamatório agudo, como foi sugerido pela maior queda do PCR do 2º para o 5º dia pós-operatório. A fase de proliferação da cicatrização foi antecipada, já que os valores de CK revelaram uma queda mais rápida no grupo do laser, sugerindo que esses marcadores inflamatórios podem nortear o tratamento com LBI. Conclusão: Demonstramos que três aplicações do LBI podem reduzir a inflamação, auxiliar na drenagem e estimular uma melhor cicatrização de feridas, ajudando no processo de analgesia no pós-operatório na cirurgia de coluna vertebral.