Meninas negras em mulheres negras: identidade étnico-racial na escola

This study has as object of research the process of constructing the identities of black girls in the school of basic education in Brazil. The following questions were directed to the investigation: In the contexts studied, how does the school contribute to the development of the identities of black...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2019
Main Author: Santos, Anne Caroline Nardi dos
Orientador/a: Mafra, Jason Ferreira
Banca: Mafra, Jason Ferreira, Francisco, Marcos Vinicius, Teixeira, Rosiley Aparecida, Coelho, Edgar Pereira, Baptista, Ana Maria Haddad
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Nove de Julho
Programa: Programa de Mestrado em Gestão e Práticas Educacionais
Department: Educação
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Spanish Subjects:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/2046
Citação:Santos, Anne Caroline Nardi dos. Meninas negras em mulheres negras: identidade étnico-racial na escola. 2019. 166 f. Dissertação( Programa de Mestrado em Gestão e Práticas Educacionais) - Universidade Nove de Julho, São Paulo.
Resumo Português:Este estudo tem como objeto de pesquisa o processo de construção das identidades de meninas negras no cotidiano escolar da educação básica no Brasil. Direcionaram a investigação as seguintes indagações: Nos contextos estudados, em que medida a escola contribui para o desenvolvimento das identidades das meninas negras? A escola promove discussões e a formação em relação à diversidade humana, em especial, a racial? O universo de investigação, além examinar fontes bibliográficas relativas à temática étnico-racial (teses, dissertações, artigos e livros), circunscreveu-se, no âmbito empírico, às representações de cinco mulheres negras, de diferentes faixas-etárias e com distintas trajetórias educacionais, acadêmicas e profissionais, sobre suas experiências escolares relativas à constituição identitária. Caracterizando-se como uma pesquisa de abordagem qualitativa, por meio de entrevista semiestruturada em profundidade para a coleta de dados, o estudo fundamentou-se, teoricamente, em autoras e autores que realizam ou realizaram abordagens críticas sobre as questões educacionais e étnico-raciais, particularmente estas últimas relacionadas à etnia negra. O referencial teórico que embasou esta pesquisa desdobrou-sem em duas dimensões. A primeira, relativa ao campo da educação, aportou-se na concepção paulo-freiriana, operando especialmente a partir das categorias de conscientização e empoderamento. A segunda, centrada nas discussões identitárias e étnico-raciais, especialmente as noções de consciência negra, marcadores sociais e identidade. Esta pesquisa revelou que, no contexto estudado, a escola não contribuiu para os processos de assunção e emancipação das identidades das meninas negras, pelo contrário, ao reproduzir o ideário sexista e racista, dificultou esses processos. Isso pode ser notado, dentre outros aspectos, quando se observa que os processos de conscientização sobre as questões identitárias das entrevistadas ocorreu em ambientes distintos da vida escolar. Além disso, a escassez de personagens e figuras negras de referência na escola “naturalizam” a invisibilidade da diversidade étnico-racial e ocultam o protagonismo da etnia negra, subalternizando-a. Tendo em vista esse quadro, e como proposta de intervenção pedagógica nessa realidade, propõe-se, na parte final deste trabalho, um “Guia de princípios para uma pedagogia da identidade das meninas negras no âmbito da educação básica”.
Resumo inglês:This study has as object of research the process of constructing the identities of black girls in the school of basic education in Brazil. The following questions were directed to the investigation: In the contexts studied, how does the school contribute to the development of the identities of black girls? Does the school promote discussions and training in relation to human diversity, especially racial diversity? The research universe, besides examining bibliographical sources related to ethnic-racial themes (theses, dissertations, articles and books), was empirically limited to representations of five black women of different age groups and educational, academic and professional trajectories about their school experiences related to the identity constitution. Characterized as a qualitative research, through a semi-structured interviews, the study was theoretically based on authors who have performed critical approaches on educational and ethnic-racial issues, particularly those related to black people. The theoretical reference of this research unfolded in two dimensions. The first one, related to the field of education, was based on the Freires idea, operating especially from the categories of awareness and empowerment. The second, centered on the identitary and ethnic-racial discussions, especially the notions of black consciousness, social markers and identity. This research revealed that, in the context studied, the school did not contribute to the processes of assumption and emancipation of the identities of the black girls, on the contrary, in reproducing the sexist and racist ideas, it made these processes difficult. This can be noticed, among other aspects, by observing that the processes of awareness about the identity issues of the interviews occurred in environments other than school life. Moreover, absence of personalities and black figures of reference in the school "naturalize" the invisibility of ethnic-racial diversity and hide the protagonism of the black ethnic group, subalternizing it. In view of this framework, and as a proposal for pedagogical intervention in this reality, the final part of this paper proposes a "Guide to the principles for the formation of the emancipating identity of black girls in basic education".