Avaliação da capacidade funcional cardiorrespiratória e modulação autonômica em pacientes com paralisia cerebral

Background: Little is known about the functional cardiorespiratory capacity of children with Cerebral Palsy (CP). Many questions also arise regarding the modulation of the autonomic nervous system for different motor severity of them. Consolidating evaluative forms of functional capacity easily acce...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: Silva, Natália Pereira da lattes
Orientador/a: Sampaio, Luciana Maria Malosá
Banca: Sampaio, Luciana Maria Malosá, Corso, Simone Dal, Carvalho, Raquel de Paula
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Nove de Julho
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação
Department: Saúde
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/1814
Citação:Silva, Natália Pereira da. Avaliação da capacidade funcional cardiorrespiratória e modulação autonômica em pacientes com paralisia cerebral. 2016. 104 f. Dissertação( Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo.
Resumo Português:Introdução: Pouco se conhece da capacidade funcional cardiorrespiratória de crianças com Paralisia Cerebral (PC). Muitas dúvidas também surgem a respeito da modulação do sistema nervoso autônomo para diferentes gravidades motoras das mesmas. Consolidar formas avaliativas da capacidade funcional de fácil acesso e simples entendimento para essas crianças, que sejam confiáveis e reprodutíveis. Objetivo: Estudo 1: Investigar se os testes de caminhada de seis minutos (TC6) e teste de caminhada de 10 metros (TC10m) são realizados para avaliação da capacidade funcional em crianças e adolescentes com PC. Estudo 2: Investigar se existem diferenças na modulação autonômica em diferentes níveis de gravidade motora em crianças com PC. Estudo 3: Investigar a reprodutibilidade do TC6 e Shuttle Walk Test Incremental (SWTI) em crianças com PC em diferentes níveis do System Classification Functional Motor Gross (GMFCS) I a III. Material e Métodos: Estudo 1: Trata-se de uma Revisão Sistemática com Metanálise. A pesquisa foi realizada até novembro de 2015 em 5 bases de dados: Pubmed, Pedro, Medline, Cochrane, CINAHL sob critérios de resultados em distância percorrida no TC6 e TC10m. Estudo 2: Trata-se de um estudo transversal. Participaram 30 crianças com níveis do GMFCS I a III. A Frequência Cardíaca (FC) e os dados de intervalos RR foram coletados por meio de um monitor de FC (Polar RS800CX Polar, Finlândia). As crianças foram instruídas a permanecerem deitadas em posição supina durante 10 minutos, em seguida, permanecerem em pé durante 10 minutos. Estudo 3: Trata-se de um estudo transversal. Cada criança realizou 2 vezes o mesmo teste (TC6 e SWTI) com intervalo de 30 minutos entre eles. A reprodutibilidade de ambos os testes foi testada para crianças com PC, GMFCS I a III. Resultados: Estudo 1: 39 estudos apresentaram critérios compatíveis com o objetivo da revisão sistemática. Realizou-se a metanálise de 5 estudos, dentre eles 3 estudos se reportaram ao TC6, apenas 1 sendo favorável ao grupo experimental (GE); e 2 ao TC10m, ambos próximos a favor do GE. Estudo 2: Não houve diferenças estatísticas significativas (p>0,05) nos parâmetros LF, HF e de relação LF/HF entre classificações diferentes do GMFCS. Estudo 3: A distância percorrida no 1º e 2º teste, para ambos os testes, não foi estatisticamente significativa (p=0,63 para TC6 e p=0,39 para SWTI). Conclusão: Ferramentas simples e válidas podem vir a tornar-se prática da conduta profissional em prol dos indivíduos com PC. A modulação autonômica não está correlacionada com a gravidade motora das crianças com PC. Os testes de campo: TC6 e SWT são reprodutíveis e confiáveis para esta população.
Resumo inglês:Background: Little is known about the functional cardiorespiratory capacity of children with Cerebral Palsy (CP). Many questions also arise regarding the modulation of the autonomic nervous system for different motor severity of them. Consolidating evaluative forms of functional capacity easily accessible and simple understanding for these children that are reliable and reproducible. Objective: Study 1: To investigate whether the six-minute walk test (6MWT) and walk test 10 meter (TC10m) are performed to assess functional capacity in children and adolescents with CP. Study 2: To investigate whether there are differences in autonomic modulation in different levels of motor severity in children with CP. Study 3: To investigate the reproducibility of the 6MWT and Shuttle Walk Test Incremental (SWTI) in children with CP in different levels System Functional Classification Engine Gross (GMFCS) I to III. Material and Methods: Study 1: This is a systematic review with meta-analysis. The survey was conducted until November 2015 in 5 databases: Pubmed, Pedro, Medline, Cochrane, CINAHL under results criteria in 6MWD and TC10m. Study 2: This is a cross-sectional study. Attended by 30 children with levels of GMFCS I to III. The Heart Rate (HR) and RR interval data were collected through a HR monitor (Polar RS800CX Polar, Finland). Children were instructed to remain lying in the supine position for 10 minutes then remained standing for 10 minutes. Study 3: This is a cross-sectional study. Each child held 2 times the same test (6MWT and SWTI) with an interval of 30 minutes between them. The reproducibility of both tests was tested for children with CP, GMFCS I to III. Results: Study 1: 39 studies met the criteria consistent with the objective of the systematic review. We conducted a meta-analysis of 5 studies, including three studies reported the 6MWT, only one is in favor of the experimental group (EG); and 2 to TC10m, both close in favor of GE. Study 2: There were no statistically significant differences (p> 0.05) on the parameters LF, HF and LF / HF ratio between different classifications of GMFCS. Study 3: The distance covered on the 1st and 2nd test, for both tests was not statistically significant (p = 0.63 for 6MWT and p = 0.39 for SWTI). Conclusion: Simple and valid tools are likely to become practice of professional conduct on behalf of individuals with CP. The autonomic modulation is not correlated with the severity of motor children with CP. Field tests: 6MWT and SWT are reproducible and reliable for this population.