O TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO: A DEGRADAÇÃO DO HUMANO E O AVANÇO DO AGRONEGÓCIO NA REGIÃO ARAGUAIA-TOCANTINS.

This dissertation deals with the slavery of man today, where we can see that capitalism and economic globalization continue their subjugating those living exclusively from their workforce. In examining contemporary slavery in Brazil, we seek to understand slavery as a mechanism of accumulation of ca...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Mattos, Paulo Henrique Costa lattes
Orientador/a: Reinato, Eduardo José lattes
Banca: Sugizaki, Eduardo lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Programa: História
Department: Ciências Humanas e da Terra
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://localhost:8080/tede/handle/tede/2241
Citação:MATTOS, Paulo Henrique Costa. THE SLAVE LABOR AND NOW: A DEGRADATION OF HUMAN AND PROGRESS IN THE REGION OF AGRIBUSINESS ARAGUAIA-TOCANTINS.. 2012. 456 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas e da Terra) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, GOIÂNIA, 2012.
Resumo Português:Essa dissertação trata sobre a escravidão do homem nos dias atuais, onde podemos constatar que, o capitalismo e sua globalização econômica continuam subjugando os que vivem exclusivamente da sua força de trabalho. Ao analisar a escravidão contemporânea no Brasil, buscamos perceber a escravidão como um mecanismo de acumulação de capitais que prevalece na sociedade brasileira impondo justamente uma condição econômica desfavorável a milhares de trabalhadores, de privação da liberdade e geradora de subdesenvolvimento social. Atualmente, a globalização econômica mundial impõe uma nova divisão internacional do trabalho que faz de alguns países meros exportadores de produtos primários e commodities agrícolas que são produzidas à custa do trabalho escravo, principalmente em regiões mais empobrecidas, como na região da Amazônia Legal, notadamente na região Araguaia- Tocantins, onde o agronegócio escraviza trabalhadores pobres do Brasil, quando estes tentam conseguir alguma forma de dar o sustento a suas famílias. Diante dessa situação, destaca-se a luta da CPT (Comissão Pastoral da Terra) que tem lutado sistematicamente para combater o trabalho escravo, fazendo valer a legislação brasileira de proteção ao trabalhador, bem como auxiliando milhares de pessoas que se encontram nessa situação humilhante e indigna.
Resumo inglês:This dissertation deals with the slavery of man today, where we can see that capitalism and economic globalization continue their subjugating those living exclusively from their workforce. In examining contemporary slavery in Brazil, we seek to understand slavery as a mechanism of accumulation of capital that prevails in Brazilian society by imposing just an economic condition unfavorable to thousands of workers, deprivation of liberty and generating social underdevelopment. Currently, the world economic globalization requires a new international division of labor that makes some countries mere exporters of primary products and agricultural commodities that are produced at the expense of slave labor, especially in poorer regions such as in the Amazon region, notably in Araguaia-Tocantins region, where agribusiness enslaving poor workers in Brazil, when they try to get some form of sustenance to their families. Given this situation, there is the struggle of CPT (Pastoral Land Commission) that has consistently struggled to combat slave labor, Brazilian law enforcing worker protection, as well as helping thousands of people who find themselves in this situation and humiliating unworthy.