RIZOMA, FEMINISMO E DIFERENÇA EM DESMUNDO, DE ANA MIRANDA.

This paper intends to map the imagination of feminism in a work entitled Desmundo, this written by Anne Miranda, and published in 1996, a historical novel that tells the saga of 14 Portuguese orphans, leaving Portugal at the behest of King John to marry the Portuguese settlers who came here to settl...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Ramiro, Sarah Ferreira de Sousa lattes
Orientador/a: Machado, Lacy Guaraciaba lattes
Banca: Correia, Paulo Petronilio lattes, Pinto, Divino José lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Programa: Literatura e Crítica Literária
Department: Ciências Humanas
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://localhost:8080/tede/handle/tede/3212
Citação:RAMIRO, Sarah Ferreira de Sousa. RIZOMA, FEMINISMO E DIFERENÇA EM DESMUNDO, DE ANA MIRANDA.. 2012. 76 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, GOIÂNIA, 2012.
Resumo Português:O presente trabalho tem como objetivo cartografar o imaginário do feminismo em uma obra intitulada Desmundo, de Ana Miranda, publicada em 1996. Um romance histórico que narra a saga de 14 órfãs portuguesas que saem de Portugal a mando do rei D. João para se casar com os colonizadores portugueses que aqui vieram se estabelecer. Para tal empreitada, far-se-á uma experimentação conceitual pelo nomadismo e pela diferença, na Filosofia, de Gilles Deleuze, aproximando e buscando zonas de vizinhanças, fluxos, devires e vitalidades rizomáticas presas nas redes de Oribela, personagem principal da obra, seus movimentos e devires como órfã portuguesa do século XVI, fugindo do seu destino de opressão e submissão, recriando uma narrativa do entre-lugar , da modernidade líquida; do feminismo fluido e da descoberta de sua identidade nômade que se afirma como signo da multiplicidade. Uma obra mítica, com estilo introspectivo, meditativo, poético e realista no sentido sensorial; uma viagem ao século XVI, mas que nos permite uma profunda reflexão por falar para uma sensibilidade bem de nosso tempo.
Resumo inglês:This paper intends to map the imagination of feminism in a work entitled Desmundo, this written by Anne Miranda, and published in 1996, a historical novel that tells the saga of 14 Portuguese orphans, leaving Portugal at the behest of King John to marry the Portuguese settlers who came here to settle. For this venture, will make will be a trial by nomadism and the conceptual difference in the philosophy of Gilles Deleuze, approaching and seeking areas of neighborhoods, flows, rhizomatic becomings and vitality Oribela imprisoned, in chains, the main character of the work, and their movements becomings as an orphan Portuguese in the sixteenth century, fleeing from his destiny of oppression and submission, recreating a narrative of "place of" liquid modernity, feminism fluid and the discovery of their nomadic identity as a sign that said multiplicity. A work mythical style introspective, meditative, poetic and realistic in the sense sensory, a trip to the sixteenth century, but it gives us a reflection of today.