A Reforma Psiquiátrica e Relações de Poder: significados apreendidos entre os trabalhadores de Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) em Goiânia

This work is linked to the Program for Post-graduate Stricto-Sensu of the Catholic University of Goiás, MA in Psychology, and has as an object of study the meanings of the process of Psychiatric Reform for the workers of the Psychosocial Center of Attention (PCA) in Goiania. The survey was developed...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Tavares, Rosana Carneiro lattes
Orientador/a: Sousa, Sônia Margarida Gomes lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Programa: Psicologia
Department: Ciências Humanas
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://localhost:8080/tede/handle/tede/1973
Citação:TAVARES, Rosana Carneiro. A Reforma Psiquiátrica e Relações de Poder: significados apreendidos entre os trabalhadores de Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) em Goiânia. 2007. 183 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2007.
Resumo Português:Este trabalho está vinculado ao Programa de Pós-graduação Stricto-Sensu da Universidade Católica de Goiás, mestrado em Psicologia, e tem como objeto de estudo os significados do processo de Reforma Psiquiátrica para os trabalhadores de Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), em Goiânia. A pesquisa foi desenvolvida em um CAPS de Goiânia, com os trabalhadores da unidade. Para o recebimento das informações foram utilizados três procedimentos: pesquisa documental; gravações de três reuniões de equipe; e um grupo focal com os trabalhadores e coordenadores. A análise teve como referencial a Teoria Sócio- Histórica de Vigotski, que atribui como constitutivo da condição humana a capacidade de significação social, e compreende os significados como contendo a experiência histórica de várias gerações; além dos trabalhos e pesquisas já desenvolvidas sobre o processo da Reforma Psiquiátrica. Com o levantamento bibliográfico ficou evidente que as discussões e reflexões remetem à necessidade de transformar um modelo de atenção à saúde mental, em contraposição a um modelo tradicional estabelecido há longa data e ainda hegemônico na área da saúde. Ficou marcada a necessidade de ampliar o espaço social da pessoa com sofrimento psíquico e de compreender este processo pela dialética inclusão/exclusão. A análise das falas dos trabalhadores apresentou significados contraditórios, tensos e conflitivos. Demarcou os embates que emergem das buscas de transformação do modelo de atenção à saúde mental e possibilitou a apreensão de núcleos de significação que estão marcados por confrontações e contradições no saber e fazer da Reforma Psiquiátrica. A análise trouxe como ponto de intersecção, entre todos os núcleos de significação apreendidos, as relações de poder que perpassam as esferas envolvidas no processo da Reforma. Permitiu levantar pontos de fragilidade da Reforma Psiquiátrica, quando apresenta a confrontação das diretrizes teóricas para a transformação do modelo de atenção à saúde mental com as diretrizes políticas da Reforma, como política de Estado; e com as práticas nos serviços substitutivos. Considerando que todos os embates são reflexos da própria condição histórico-social dos sujeitos, da falta de exercício de participação social e de heteronomia, coloca-se em discussão a necessidade de repensar a Reforma, uma vez que as transformações encontram-se focadas na prática, na construção de um plano de ação para a política, e evidencia embates e conflitos, típicos do exercício de poder e dominação que as estruturas sociais constroem.
Resumo inglês:This work is linked to the Program for Post-graduate Stricto-Sensu of the Catholic University of Goiás, MA in Psychology, and has as an object of study the meanings of the process of Psychiatric Reform for the workers of the Psychosocial Center of Attention (PCA) in Goiania. The survey was developed in a PCA of Goiânia, with the workers of the unit. Three procedures were used to receive the information: desk research; recordings of three meetings of the team, and a focal group with the workers and coordinators. The analysis had as a benchmark the Socio-Historical Theory of Vigotski, which attaches as constitutive of the human condition the ability of social meaning, and understand the meanings as containing the historical experience of several generations, and also the work already undertaken and research on the process of Psychiatric Reform. With the bibliographic lifting became clear that the discussions and reflections refer to the need to transform a model of attention to mental health, as opposed to a traditional model that was established long time ago and that still is hegemonic in the area of health. It marked the need to expand the social space of the person with mental suffering and to understand this process by dialectic inclusion / exclusion. The analysis of the speeches of workers presented contradictory, tense and conflictive meanings. It defined the collisions that emerge from searches for transformation of the model of attention to mental health and made possible the seizure of the nuclei of significance that is marked by confrontations and contradictions in the knowing and making of the Psychiatric Reform. The analysis brought as a point of intersection among all the nuclei of significance seized, the relationships of power that cross the spheres involved in the process of reform. It raises points of weakness of this reform, when presented the confrontation of theoretical guidelines for the processing of the type of attention to mental health with the guidelines of the policy reform, as policy of state, and with the practices in substitutive services. Whereas all collisions are reflections of their own historical and social condition of the subject, the lack of exercise of social participation and heteronomy, there is a discussion on the need to rethink the reform, since the changes, are focused in practice , in the construction of a plan of action for the policy, and shows collisions and conflicts are typical of the exercise of power and domination that the social structures construct.