RELAÇÕES INSTITUCIONAIS NA GESTÃO DO ESPAÇO METROPOLITANO: o caso do município de Goiânia

The urbanization of the Brazilian city, from the second half of the twentieth century, is a centre of cities polarizator of political, economic, cultural, in the regional and national levels. Underlines that, the cities assume the role of command of the organization of geographical area and urban, e...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: Santos, Sandra Sarno Rodrigues dos lattes
Orientador/a: Moysés, Aristides lattes
Banca: Clementino, Maria do Livramento Miranda lattes, Vieira, Jeferson de Castro lattes, Santos, Nivaldo dos lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Programa: Desenvolvimento e Planejamento Territorial
Department: Ciências Exatas e da Terra
Assuntos em Portugês:
RMG
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://localhost:8080/tede/handle/tede/2857
Citação:SANTOS, Sandra Sarno Rodrigues dos. RELAÇÕES INSTITUCIONAIS NA GESTÃO DO ESPAÇO METROPOLITANO: o caso do município de Goiânia. 2008. 142 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Exatas e da Terra) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, GOIÂNIA, 2008.
Resumo Português:A urbanização da cidade brasileira, a partir da segunda metade do século XX, faz das cidades um centro polarizador da vida política, econômica, cultural, no contexto regional e nacional. Destaca que, as cidades assumem o papel de comando da organização do espaço geográfico e urbano, em especial as metrópoles. O crescimento desordenado das cidades brasileiras, sobretudo das regiões metropolitanas é fruto da ausência de um planejamento urbano, da imensa desigualdade sócio-econômica entre as classes sociais. Na atualidade, as regiões metropolitanas enfrentam vários problemas como o déficit habitacional, transporte coletivo urbano, educação, saúde e violência, nem mesmo Goiânia, uma cidade planejada foge desta realidade. As regiões metropolitanas tornam assim áreas de tensão social, nem mesmo a criação e a implantação das regiões metropolitanas pelo Governo Federal e posteriormente repassado aos governos estaduais a instituição das mesmas, não foi capaz de solucionar esses problemas. No caso da criação da Região Metropolitana de Goiânia RMG, segundo os entrevistados houve o agravamento da qualidade de vida de seus moradores, decorrente do aumento do déficit habitacional, a ineficiência do transporte coletivo para atender a demanda crescente e a violência. Entre as soluções sugeridas pelos entrevistados para resolver ou amenizar os problemas da RMG sobressaíram o planejamento urbano e a gestão compartilhada.
Resumo inglês:The urbanization of the Brazilian city, from the second half of the twentieth century, is a centre of cities polarizator of political, economic, cultural, in the regional and national levels. Underlines that, the cities assume the role of command of the organization of geographical area and urban, especially those cities. The disorderly growth of Brazilian cities, especially metropolitan regions is the result of a lack of urban planning, the huge socio-economic inequality between social classes. Currently, the metropolitan regions face various problems such as housing deficit, urban public transport, education, health and violence, even Goiânia, a city planned escape this reality. The metropolitan regions thus becoming areas of social tension, or even the creation and deployment of metropolitan areas by the Federal Government and state governments then passed to the imposition of same, was not able to resolve these problems. In the case of the creation of the Metropolitan Region of Goiânia - RMG, according to the interviewees was the worsening quality of life of their residents, resulting from increased housing deficit, the inefficiency of public transport to meet increasing demand and violence. Among the solutions given by respondents to resolve or alleviate the problems of RMG out the urban planning and management shared.