A gestão pelo medo: hegemonia e despotismo no trabalho flexível

The metalworker employed in the ABC Paulista vehicles automakers demonstrates, today, little interest in Trade Union and collective struggles and resistance in adherence to labor movements, except in occasional moments of mass layoffs and job loss. The objective of this research is to know the proce...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Oliveira, Théo Darlington Mano de lattes
Orientador/a: Segurado, Rosemary lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Department: Ciências Sociais
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3694
Citação:Oliveira, Théo Darlington Mano de. A gestão pelo medo: hegemonia e despotismo no trabalho flexível. 2015. 126 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.
Resumo Português:O trabalhador metalúrgico empregado nas montadoras de veículos do ABC paulista demonstra, hoje em dia, pouco interesse pelas lutas sindicais e coletivas e uma resistência na adesão aos movimentos classistas, salvo em momentos pontuais de demissões em massa e perda de emprego. O objetivo deste trabalho de pesquisa é conhecer os processos e as formas utilizadas para a difusão e manutenção do medo como meio subliminar de coerção e de cooptação, necessários à construção da gestão hegemônica do trabalho nos processos produtivos do atual contexto pós-fordista
Resumo inglês:The metalworker employed in the ABC Paulista vehicles automakers demonstrates, today, little interest in Trade Union and collective struggles and resistance in adherence to labor movements, except in occasional moments of mass layoffs and job loss. The objective of this research is to know the processes and forms used for dissemination and maintenance of fear as a means of coercion and subliminal cooptation, necessary for the construction of hegemonic management work in the productive processes of the current post-fordist context