O poder da imagem fotográfica: uma análise das imagens publicadas nas revistas Veja e IstoÉ de Luiz Inácio Lula da Silva durante as campanhas presidenciais de 1989 e 2002

In the society which we live in, the images are everywhere and surround our social relationships. We define our relationships and opinions based on images. However, the excessive production of images creates a series of clichés that serve as a critical anesthesia that hinder us to perceive their dis...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Maranhão, Cristina lattes
Orientador/a: Chaia, Vera Lucia Michalany
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Ciências Sociais
Department: Ciências Sociais
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede2.pucsp.br/handle/handle/2671
Citação:Maranhão, Cristina. O poder da imagem fotográfica: uma análise das imagens publicadas nas revistas Veja e IstoÉ de Luiz Inácio Lula da Silva durante as campanhas presidenciais de 1989 e 2002. 2007. 158 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.
Resumo Português:Hoje em dia vivemos numa sociedade onde as imagens estão por toda a parte, e circundam nossas relações sociais, sendo através das mesmas que fundamentamos nossas relações e opiniões. Porém, a produção excessiva das mesmas acaba por criar uma série de clichês produzindo uma forma de anestesiamento crítico, e não conseguimos perceber os enunciados discursivos presentes nas imagens. A fotografia foi uma técnica que surgiu no início do século XIX e teve uma evolução atrelada aos avanços tecnológicos da Revolução Industrial, além de encaixar-se nos anseios de uma classe social emergente. Com a possibilidade de produzir cópias e servir como prova comprobatória da realidade, passou a ser sinônimo da verdade factual, e logo passou a ser utilizada pelas instituições como forma de legitimar determinado ponto de vista. Este trabalho procurou atentar para o poder existente nas imagens fotográficas. Quando atreladas aos meios de comunicação, estas recebem novas cargas simbólicas, e passam a constituir o discurso ideológico de cada um. Para a compreensão desta faceta da imagem, realizou-se uma análise das imagens fotográficas veiculas pelas revistas Veja e IstoÉ durantes as campanhas eleitorais presidenciais de 1989 e 2002, do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva. Cada momento histórico e linha ideológica de cada uma das revistas gerou enunciados discursivos próprios, produzindo uma caracterização do então candidato. Na primeira disputa ao cargo, Lula aparece como a promessa da esquerda. Com uma trajetória muito diferente dos seus concorrentes, o então candidato procura fixar uma imagem, que de certa forma, o acompanha até os dias atuais. Na sua quarta tentativa procura desconstruir, até certo ponto, esta imagem, a fim de, conquistar as eleições. Cada revista procura através da utilização das imagens e recursos técnicos (diagramação, edição, legendas) montar um Lula. Em alguns casos enfatizando sua trajetória de luta como metalúrgico, ligado a esquerda nacional e procurando consolidar a imagem do pesadelo da elite nacional, e em outros momentos buscando caracterizá-lo como o candidato ideal para salvar o país
Resumo inglês:In the society which we live in, the images are everywhere and surround our social relationships. We define our relationships and opinions based on images. However, the excessive production of images creates a series of clichés that serve as a critical anesthesia that hinder us to perceive their discursive statements. Photography was a technique created in the beginning of the XIX century and its evolution is related to the technological advances of the Industrial Revolution, besides, it was present in the yearnings of the emergent bourgeoisie. Because of its possibility to produce copies and to serve as an evidential test of the reality, it has become synonymous of factual truth and soon it started to be used by some institutions as a way to legitimize their points of view. This work is an effort to focus on the power of the photographic images. When related to the medias, they receive new symbolic traits and start to constitute the ideological speech of each one. To comprehend this aspect of the image, an analysis of the photographic images used in the magazines Veja and IstoÉ during the presidential campaigns of the candidate Luiz Inácio Lula da Silva, in 1989 and 2002 has been done. Each historical moment and ideological line of each one of the magazines generated their own discursive statements, producing a characterization of the candidate. In the first campaign, Lula comes up as a promise to the left. Having a very different trajectory from his competitors, the candidate tries to fix an image that, in some ways, follows him up to the present. In his fourth attempt, he tries to deconstruct, to a certain extent, this image, in order to win the elections. Each magazine tried to portray a different Lula by using images and technical resources (diagramming, edition, legends). In some cases emphasizing his trajectory as metallurgist, someone related to the national left and trying to consolidate the image of the national elite nightmare, and at other moments trying to portray him as the ideal candidate to save the country