De gordas a plus size: mudanças na representação das mulheres consideradas acima do peso

For centuries, discourses about beauty have involved the female body in delicate power relations, in addition to transforming it into the object of consumption and desire in different societies. In the last decades, the body has gained even more importance with the possibility of aesthetic and surgi...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Marcelja, Karen Grujicic lattes
Orientador/a: Mira, Maria Celeste
Format: Tese
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Department: Faculdade de Ciências Sociais
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21200
Citação:Marcelja, Karen Grujicic. De gordas a plus size: mudanças na representação das mulheres consideradas acima do peso. 2018. 157 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Resumo Português:Há séculos, os discursos sobre beleza envolvem o corpo feminino em delicadas relações de poder, além de transformá-lo em objeto de consumo e desejo em diferentes sociedades. Nas últimas décadas, o corpo ganhou ainda mais importância com a possibilidade de intervenções estéticas e cirúrgicas em prol da beleza e do rendimento físico. Por tudo isso, a figura do gordo, do barrigudo e do sedentário virou um indicativo de fracasso diante de tantas possibilidades de beleza, saúde e sucesso divulgadas pela publicidade e pela mídia e geral. No entanto, desde o início dos anos 2000 algo vem mudando nesse discurso. Blogs, redes sociais e outras mídias alternativas vêm divulgando uma mensagem mais otimista em relação à obesidade. Sem apologias à gordura, o que se vê na Internet são incentivos ao amor próprio e o fim do sofrimento causado por dietas inúteis e tratamentos para emagrecer. O que se vê nesses canais são jovens que supostamente aprenderam a gostar de si mesmas e a superar questões como preconceito, falta de acessibilidade e representatividade. Algumas blogueiras já somam centenas de milhares de seguidores e conseguiram bons contratos publicitários graças ao seu poder de influência nas redes sociais. Boa parte desse discurso positivo passa pela moda, que já enxerga nas pessoas consideradas acima do peso um filão importante para os negócios. A chamada moda plus size (tamanhos grandes, em inglês), como foi batizado o segmento, hoje movimenta a indústria da moda mais do que qualquer outro, e já conta com eventos, desfiles, estilistas e modelos próprios, todos cada vez mais requisitados. Mesmo diante desse novo cenário em relação à obesidade, é possível imaginar que as mudanças vieram para ficar? Este trabalho discute um pouco do histórico em relação ao corpo gordo e à construção de padrões de beleza, bem como os paradigmas que as redes sociais e a cultura de massas estão ajudando a quebrar ao propor a noção de que é possível ter quilos a mais e ser bonita e, sobretudo, feliz
Resumo inglês:For centuries, discourses about beauty have involved the female body in delicate power relations, in addition to transforming it into the object of consumption and desire in different societies. In the last decades, the body has gained even more importance with the possibility of aesthetic and surgical interventions for beauty and physical performance. For all this, the figure of the fat, the potbellied and the sedentary became an indication of failure before so many possibilities of beauty, health and success released by advertising and the media and general. However, since the early 2000s something has been changing in this discourse. Blogs, social networks and other alternative media have been releasing a more optimistic message about obesity. Without apologies to fat, Internet encourages self-love and the end of suffering caused by useless diets and treatments to lose weight. These channels are lead by young women who are supposed to have learned to like themselves and to overcome issues such as prejudice, lack of accessibility and representativeness. Some bloggers already add up to hundreds of thousands of followers and have achieved good advertising contracts thanks to their power of influence on social networks. A good part of this positive discourse is fashion, which already sees in people considered to be overweight an important lode for business. The so-called fashion plus size, as the segment was named, today moves the fashion industry more than any other, and already has events, parades, stylists and own models, all increasingly sought after. Even in the face of this new scenario in relation to obesity, is it possible to imagine that the changes have come to stay? This paper discusses a bit of the history of the fat body and the building of beauty standards, as well as the paradigms that social networks and mass culture are helping to break down by proposing the notion that it is possible to have extra kilos and be beautiful and, above all, happy