Bolhas de ódio: o ódio como componente político nas dinâmicas interacionais societárias mediadas por Tecnologias de Comunicação Instantânea (TCIs)

This master’s thesis analyses the constitution of the so-called Hate Speech in Digital Social Networks (DSNs), specifically, on Facebook. Starting from users’ text interactions in public Facebook pages of the 2014 presidential candidates Dilma Rousseff (Workers Party) and Aécio Neves (Brazilian Soci...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2018
Main Author: Lobo, Denis Augusto Carneiro lattes
Orientador/a: Segurado, Rosemary
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Department: Faculdade de Ciências Sociais
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21081
Citação:Lobo, Denis Augusto Carneiro. Bolhas de ódio: o ódio como componente político nas dinâmicas interacionais societárias mediadas por Tecnologias de Comunicação Instantânea (TCIs). 2018. 159 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Resumo Português:Esta dissertação analisou a constituição do chamado Discurso de Ódio nas Redes Sociais Digitais (RSDs), mais especificamente no Facebook. Partindo das interações textuais dos usuários nas páginas públicas dos candidatos à Presidência da República no ano de 2014, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), durante o pleito eleitoral (agosto a outubro de 2014), buscou-se a caracterização desse fenômeno dentro de um cenário de polarização político-partidária. Voltando o olhar para a constituição política do fenômeno em questão, buscou-se a diferenciação da figura jurídica do Discurso de Ódio de um fenômeno mais capilar, que funcionou como componente político das interações societárias nesse cenário: o ódio político. Além disso, centralizamos o debate nas interações sociais e na mediação das Tecnologias de Comunicação Instantânea (TCIs), buscando uma confluência com o pensamento latino-americano sobre os processos de mediação tecnológica e comunicacional e suas diferenciações e implicações em uma Sociologia Interacionista. Buscou-se também, a partir desse arcabouço teórico-metodológico, discutir os pesos das novas técnicas computacionais, como a “bolha de filtros”, os “social bots”, “fake news” e as técnicas de User Experience (UX) no cotidiano das democracias liberais atuais, direcionando o debate para o estabelecimento de “técnicas do medo”, visivelmente assentados na chamada “Cultura do Medo”, a qual muitos pesquisadores recorrem na atualidade
Resumo inglês:This master’s thesis analyses the constitution of the so-called Hate Speech in Digital Social Networks (DSNs), specifically, on Facebook. Starting from users’ text interactions in public Facebook pages of the 2014 presidential candidates Dilma Rousseff (Workers Party) and Aécio Neves (Brazilian Social Democracy Party) during the presidential run (August to October 2014), I’ve searched for the characterization of this phenomena within a political-party polarization scenario. Focusing in the political constitution of the referred phenomena, I’ve then evidenced the difference between the legal concept of Hate Speech and a more widespread phenomena, which worked in this scenario as a political component of the social interactions: the political hate. Furthermore, the debate gets centralized in the mediation process of social interactions in an Instant Communication Technology (ICTs) scenario, in search of a confluence with the Latin American studies about the process of technological and communicational mediation, its diferences and implications in an Interactional Sociology. Finally, having analysed such studies as a theorical and methodological background, I've presented a discussion about the importance of the new computational techniques such as "filter bubbles", "social bots" and User Experience (UX) in the daily life of today's liberal democracies, leading the debate to the establishment of "fear techniques", clearly an expression of the so-called "Fear Culture", to which many authors refeer today