Eu queria ter uma história bonita pra contar... violência conjugal e os (des)caminhos em busca da ruptura

This paper aims to analyze the perception of egress wives under home violence who are sheltered at Casa Abrigo Mãe da Mata (Forest s Mother Home Shelter) in Rio Branco, State of Acre. By rebuilding and remaking their histories, ways and deviances I try to understand how the actions of the State have...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Nascimento, Maria Rozilda Barbosa do lattes
Orientador/a: Gouveia, Eliane Hojaij
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Ciências Sociais
Department: Ciências Sociais
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede2.pucsp.br/handle/handle/2383
Citação:Nascimento, Maria Rozilda Barbosa do. Eu queria ter uma história bonita pra contar... violência conjugal e os (des)caminhos em busca da ruptura. 2013. 131 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Resumo Português:O objetivo da presente dissertação é de analisar as percepções de mulheres em situação de violência conjugal egressas e abrigadas na Casa Abrigo Mãe da Mata em Rio Branco, estado do Acre. Busco compreender a partir da (re) construção e (re) elaboração de suas histórias, os caminhos e descaminhos percorridos na busca da ruptura da violência e em que medida a intervenção estatal contribuiu para (re) significar suas vidas. Utilizo como aporte o referencial feminista para compreender como as lutas de mulheres foram se constituindo historicamente pautada por várias demandas, entre elas, o problema da violência conjugal, antes confinado ao espaço doméstico, para adquirir visibilidade pública. Procuro referências na análise das políticas públicas pensadas e implementadas para um coletivo de mulheres, como podem adquirir especificidades que contemple o contexto social e cultural ao qual a mulher está inserida. Ampliando a descrição das políticas específicas de enfrentamento à violência no Acre, optei por descrever algumas iniciativas do ponto de vista da organização de mulheres que se deu ao longo dos últimos anos que embora o foco não fosse à violência, enquanto movimento organizativo e de forte mobilização foram importantes para subsidiar as políticas e intervenções locais. Para tanto, foram introduzidas técnicas qualitativas, entrevistas com onze mulheres em situação de violência, entrevista com a equipe da Casa Abrigo, analise de documentos internos da Casa, Boletins de Ocorrência, entre outros. A exposição tem a finalidade de marcar e reconhecer que sempre houve, ao longo da história, a presença das mulheres na luta e resistência contra a opressão e a dominação, entretanto, a pesquisa mostrou que do ponto de vista das relações ainda consideradas do âmbito privado, ou seja, no interior da conjugalidade, essa relação de domínio não é percebida como uma relação de forças, e não se compreendendo isso, é aceita como algo inevitável e desse modo é naturalizada
Resumo inglês:This paper aims to analyze the perception of egress wives under home violence who are sheltered at Casa Abrigo Mãe da Mata (Forest s Mother Home Shelter) in Rio Branco, State of Acre. By rebuilding and remaking their histories, ways and deviances I try to understand how the actions of the State have helped them take back the meaning of their lives. I use as contribution the feminist reference point to comprehend how women s fight were historically formed by several demands, among them, the problem of conjugal violence which used to be confined in the domestic place so then it would take public visibility. I search in the analysis of public policies that were thought and implemented for women how they may acquire specifics that cover social and cultural context in which women are immersed. By increasing the description of specific policies that fight against violence in Acre, I opted to report some actions from the view point of women organization that were settled along the last years, although the focus was not on violence itself, as it was an strong organizational movement that were relevant to subsidize intervention and local policies. So that could happen, qualitative techniques were applied, interviews with eleven women under violent circumstances, interview with the staff from the Home Shelter, analysis of internal documents, crime reports, and others. This exposition aims to mark and recognize that there has ever been, throughout history, the presence of women in the fight and resistance against oppression and domination. However, the search showed that from the standpoint of relations still considered in private scope, that is, in conjugality, such relation of domination is not recognized as a relation of forces, and if that is not understood, it will be accepted as something inevitable, thus, it is natural