Vegetarianismo além da dieta: ativismo vegano em São Paulo

This dissertation aims to investigate the vegan activism who are vegans, how vegan groups and collectives are formed, how they work and spread their cause - in the metropolitan region of Sao Paulo. The initial working hypothesis is that the vegan activism is a form of social change, taking into acco...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2010
Main Author: Nunes, Ernesto Luiz Marques lattes
Orientador/a: Borelli, Silvia Helena Simões
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Department: Ciências Sociais
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4199
Citação:Nunes, Ernesto Luiz Marques. Vegetarianismo além da dieta: ativismo vegano em São Paulo. 2010. 129 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Resumo Português:Esta dissertação de mestrado tem como objetivo investigar o ativismo vegano como se constitui, como se organizam os grupos e coletivos que o formam, como atuam e difundem sua causa na Região Metropolitana de São Paulo. A hipótese inicial de trabalho é a de que o ativismo vegano representa uma forma de transformação social, levando em conta o questionamento que fazem do consumo de produtos e serviços que envolvem a utilização de animais. O estudo inicia com uma caracterização das várias vertentes do vegetarianismo entre as quais o veganismo , considerando em sua análise alguns conceitos-chave da abordagem teórica presente na obra de Pierre Bourdieu, como habitus, gosto, violência simbólica e estilos de vida. Além de Bourdieu, referência no campo das Ciências Sociais, três outros autores, os filósofos Peter Singer e Tom Regan, e o jurista Gary Francione, são apresentados como teóricos que contribuem com conceitos senciência, especismo, bem-estarismo, entre outros que servem de referência teórica e prática à ação dos veganos, sobre os quais apresento um painel de sua organização, atuação e difusão de ideias, analisando, por fim, sua contribuição para possíveis transformações sociais. Foi adotada uma estratégia metodológica que combina diversas técnicas de perfil qualitativo e quantitativo, como a entrevista em profundidade presencial, o questionário on line, a entrevista por e-mail somente com questões abertas, a observação etnográfica e a etnografia virtual. No total foram entrevistados 230 vegetarianos para dar conta de apresentar as origens vegetarianas do ativismo vegano, a partir do detalhamento dos diversos tipos de vegetarianismos (lactovegetarianismo, ovovegetarianismo, ovolactovegetarianismo e o vegetarianismo estrito ou vegano) existentes, as diferenças entre regime e prática alimentar vegetarianos, as principais motivações para tornar-se vegetariano saúde, religião, ecologia, economia, ética , além de apontar o perfil, as características do estilo de vida e as violências simbólicas sofridas por eles em seu dia a dia. Nesse sentido, a dissertação insere-se no campo das Ciências Sociais, particularmente voltada para uma antropologia dos estudos do consumo, das apropriações e dos usos
Resumo inglês:This dissertation aims to investigate the vegan activism who are vegans, how vegan groups and collectives are formed, how they work and spread their cause - in the metropolitan region of Sao Paulo. The initial working hypothesis is that the vegan activism is a form of social change, taking into account the questions that make the consumption of products and services that involve the use of animals. The study begins with a characterization of various aspects of vegetarianism - including veganism - considering in this analysis some key concepts of Pierre Bourdieu s theoretical approach, including some his concepts as habitus, taste, symbolic violence and lifestyles. Beyond Bourdieu's reference in the field of social sciences, three other authors, philosophers Peter Singer and Tom Regan and a lawyer, Gary Francione, are presented as theoretical thinker that contribute with some concepts - sentience, speciesism, animal welfare, among others - that serve of theoretical and practical reference to the action of vegans, on which I present a panel of its organization, operation and dissemination of ideas, analyzing their contributions to social change. I adopted a methodology that combines various techniques of quantitative and qualitative profile, as in-depth personal interviews, the online survey, interview by email only with open questions, ethnographic observation and virtual ethnography. A total of 230 vegetarians were interviewed to understand the vegetarian origins, considering the various types of vegetarians (lacto vegetarianism, egg vegetarianism, lacto egg vegetarianism and strict vegetarian or vegan), the differences between the regime and vegetarian eating habits, the main reasons for becoming vegetarian - health, religion, ecology, economics, ethics - as well as pointing out the profile, the characteristics of the lifestyle and the symbolic violence suffered by vegetarians in their daily lives. In this sense, the dissertation is inserted in the field of social sciences, particularly focused on anthropology of consumption, on appropriations and on uses