Mulheres negras da montanha: a religiosidade das benzedeiras de Rio de Contas

When writing this passage about black women and female healers from the mountains of Rio de Contas BA, we will discuss about benediction, perhaps, in a way never studied before. Our research is carried out on a tripod that presents itself as axles - chapters that seek to answer to the relationship o...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Aguiar, Gilberto Orácio de lattes
Orientador/a: Bernardo, Teresinha
Format: Tese
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Department: Ciências Sociais
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3441
Citação:Aguiar, Gilberto Orácio de. Mulheres negras da montanha: a religiosidade das benzedeiras de Rio de Contas. 2012. 247 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Resumo Português:Ao escrevermos nesse texto sobre as mulheres negras e benzedeiras das montanhas de Rio de Contas BA abordaremos a benzedura, talvez, sob um aspecto nunca antes estudado. Nossa pesquisa se realiza sobre um tripé que se apresenta como eixos capítulos que procuram responder à relação das benzedeiras negras de Rio de Contas de suas antepassadas pela oralidade. Para darmos conta dessa empreitada nos valeremos de algumas abordagens tais como: sobre a história da cidade de Rio de Contas com seus aspectos naturais, sociais e religiosos, partindo de textos históricos e materiais do Arquivo Histórico Municipal; sobre a história da mulher negra no Brasil e sua relação direta com a mulher africana, principalmente no que diz respeito à religiosidade, à arte comercial e sua colaboração na elaboração de uma identidade nacional; sobre a benzedura como desdobramento do ato de cuidar e seus riscos para as mulheres, sobretudo na época (Idade Média) em que foram perseguidas como divulgadoras das ações do demônio. Tudo isso respaldado por entrevistas que darão ênfase à caracterização da benzedura em Rio de Contas com seus aspectos relevantes. A vida é tecida nos encontros e desencontros do cotidiano produzindo assim equilíbrio e desequilíbrio. A benzedura, como aspecto da religiosidade popular, se apresenta como um meio eficaz simbólico na reelaboração das possibilidades perdidas de articulação da cidadania. Por meio da oralidade e memória reconquistada nas orações e gestos de cura, encontramos em cada benzedeira negra de Rio de Contas, uma alternativa capaz de realinhar o ser humano desejoso de estar bem para realizar sua tarefa no mundo onde se situa. Cada uma dessas benzedeiras carrega em si o dom de ser mulher, negra, mãe, tia, avó, madrinha, parteira, com suas conseqüências sociais. É uma referência positiva em meio aos destroços de uma sociedade competitiva que mesmo assim procura o transcendente por vias da magia
Resumo inglês:When writing this passage about black women and female healers from the mountains of Rio de Contas BA, we will discuss about benediction, perhaps, in a way never studied before. Our research is carried out on a tripod that presents itself as axles - chapters that seek to answer to the relationship of black female healers of Rio de Contas, of their foremothers through the orality. To realize this endeavor, we will observe certain approaches, such as the history of the city of Rio de Contas with its natural, social and religious aspects, from historical texts and supplies of Municipal Historic Archives; about the black women history in Brazil and its direct relationship with the African women, mainly regarding to religiosity, commercial art and their collaboration in the development of a national identity; about the benediction as a split of act of caring and their 'risks' for women, especially in Middle Ages when they were chased as disseminators of devil actions. All this supported by interviews that will emphasize to the characterization of benediction in Rio de Contas with material respects. Life is woven in the comings and goings of everyday life, thereby producing balance and unbalance. The benediction, as an aspect of popular religiosity, presents itself as an effective symbolic way on the reelaboration of lost possibilities in articulation of citizenship. Through the orality and memory reconquered on the prayers and gestures of healing we find in each black Rio das Contas benedict, an alternative capable of realign human being willing to be good to accomplish your task in the world where is located. Each of these female healers carries the 'gift' of being a woman, black, mother, aunt, grandmother, godmother, midwife, with its social consequences. It is a positive reference amid the wreckage of a competitive society that still seeks for the transcendent through the magic ways