Plasticidade, causação mental e semiose: Peirce e a neurociência do século XXI

This work is dedicated to review the concept of semiosis in clinic, starting from the articulation of the concepts of plasticity, mental causation and semiosis in Charles Sanders Peirce's philosophy, and in neuroscience. Its development perceived the means of semiosis and its implications in th...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Costa, Monica Aiub da lattes
Orientador/a: Ibri, Ivo Assad
Format: Tese
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia
Department: Filosofia
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11675
Citação:Costa, Monica Aiub da. Plasticidade, causação mental e semiose: Peirce e a neurociência do século XXI. 2015. 185 f. Tese (Doutorado em Filosofia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.
Resumo Português:Este trabalho dedica-se a uma revisão do conceito de semiose em clinica a partir da articulação dos conceitos de plasticidade, causação mental e semiose na filosofia de Charles Sanders Peirce e em neurociência. Seu desenvolvimento compreendeu as formas de semiose e suas implicações terapêuticas, em especial nas questões da causação mental, considerando que estados físicos e mentais interagem a partir dos processos semi6ticos, gerando plasticidade tanto em níveis celulares quanto cognitivos. Foram abordados, especialmente, os conceitos de plasticidade, causação mental e semiose, articulados a partir da fenomenologia, da metafisica e da cosmologia de Peirce. O dialogo estabelecido entre Peirce e a Neurociência propiciou a ampliação do conceito de semiose na escuta clinica e suas consequentes implicações na elaboração dos diagn6sticos, uma vez que, a partir das contribuições de Peirce, a semiose não pode ser compreendida de maneira tipol6gica devido ao fato de ser um sistema aberto, uma rede de signos autogerava e criativa, abarcando aspectos das células a tecnologia incorporada e constituindo-se de maneira plástica, contínua, em múltiplas interações com as novidades promovidas pelo acaso
Resumo inglês:This work is dedicated to review the concept of semiosis in clinic, starting from the articulation of the concepts of plasticity, mental causation and semiosis in Charles Sanders Peirce's philosophy, and in neuroscience. Its development perceived the means of semiosis and its implications in therapy, especially in the mental causation issues, considering that physical states and mental states interact from semiotic processes, generating plasticity, both in cellular and cognitive levels. Were addressed, specially, the concepts of plasticity, mental causation and semiosis, articulated from Peirce's phenomenology, metaphysics and cosmology. The dialogue stablished between Peirce and neuroscience provided the magnification of the semiosis concept in clinical listening and its consequent implications in making diagnoses, since, starting from Peirce's contributions, semiosis can't be understood in a typological way, due to the fact of being an open system, an auto generated and creative network of signs, covering aspects from cells to incorporated technology, and constituting in a plastic way, continuous, in multiple interactions with innovations promoted by chance