Mulheres negras: projetos de vida

The core of this research was to show that the development of resilience among three generations of black women is culturally invested. The periodized life turns out to establish relationships between groups of different age, articulating an important dimension to understand the forms of resistance,...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Ramos, Juliana de Souza lattes
Orientador/a: Bernardo, Teresinha
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Department: Ciências Sociais
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3631
Citação:Ramos, Juliana de Souza. Mulheres negras: projetos de vida. 2015. 103 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.
Resumo Português:O objetivo desta pesquisa foi mostrar que o processo da formação de resiliência entre três gerações de mulheres negras é investido culturalmente, e que a vida periodizada acaba por estabelecer relações entre as diferentes faixas etárias, articulando uma dimensão importante para a compreensão das formas de resistência, formação da auto-estima, pertencimento familiar e étnico. A metodologia utilizada foi composta de entrevistas, questionários e observação participante sobre as diferentes gerações de mulheres negras (no caso avós, mães e filhas) moradoras da cidade de Diadema. Como resultado das análises realizadas e, além do aprofundamento dos conhecimentos sobre as temáticas envolvendo gerações, protagonismo negro, políticas públicas (principalmente na área da educação), família e memórias, a análise permitiu concluir que as famílias passam por um processo de reinvenção em que as gerações femininas assumem seu papel de protagonistas das próprias vidas. São elas a maioria no mercado de trabalho formal e informal, que articulam a queda da fecundidade, que possuem a maior expectativa de vida (mesmo com a dupla e/ou tripla jornada de trabalho) e que na questão da escolaridade, estão superando os homens negros. E, assim, estão mudando o universo feminino negro, antes lembrado, principalmente, pelos baixos salários e escolaridade em relação aos demais brasileiros e brasileiras
Resumo inglês:The core of this research was to show that the development of resilience among three generations of black women is culturally invested. The periodized life turns out to establish relationships between groups of different age, articulating an important dimension to understand the forms of resistance, formation of self-esteem, family and ethnic sense of belonging. As a methodology, were conducted interviews, questionnaires and participant observation about the different generations of black women (in this case Grandparents, mothers and daughters) living in the city of Diadema. As a result of the analysis and, in addition to in depth knowledge of the issues involving generations, black advocacy, public policies (especially in education), family and memories, the research indicated that families go through a process of reinvention in which feminine generations assume their role as protagonists of their lives. They are the majority in the formal and informal labor market, articulating the decline in fertility. They are also the ones that have the highest life expectancy rate (even with double and/or triple shift of work) and that, when it comes to education, are outperforming black men. And, doing so, they are changing the black feminine universe, once remembered mainly by lower wages and grades of schooling when compared to other Brazilians