Violência e realismo na particularidade russa

Violence is an integral principle of capitalism from its historical origins to its modern development. The violence toward the semifeudal peasantry that came from English capitalists in the 14th to 17th centuries shaped the pre-history of capitalism. The continuity of this violence toward more primi...

Nível de Acesso:embargoedAccess
Publication Date:2018
Main Author: Santos, Kátia Hale dos lattes
Orientador/a: Mazzeo, Antônio Carlos
Format: Tese
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Department: Faculdade de Ciências Sociais
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21259
Citação:Santos, Kátia Hale dos. Violência e realismo na particularidade russa. 2017. 229 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.
Resumo Português:A violência é um princípio do capitalismo que o compõe desde a sua gênese ao seu desenvolvimento moderno. A violência originária do capitalismo inglês dos séculos XIVXVII sobre o campesinato semifeudal forma a pré-história do capitalismo. A continuidade desta violência sobre os povos atrasados forma a história moderna do capitalismo. Em um caso, a violência atua para formar o capitalismo; noutro, para desenvolver e universalizar seu conceito. Em ambos, a violência é inevitável e inseparável do capital, mas, no caso dos países periféricos, onde o modo de produção capitalista está associado a outro modo de produção, a violência se faz ainda mais presente. A pesquisa ora apresentada tem como objeto de investigação a violência na particularidade russa e seu reflexo na literatura realista de Máximo Gorki. Partimos do pressuposto de que a violência estrutural e “naturalizada” na Rússia entre o último quartil do século XIX e início do século XX – recorte da pesquisa – é inerente à implementação do modo de produção capitalista e dos ideais liberais numa sociedade de base feudal, coexistindo modos de produção distintos, quando a brutal violência entre os extratos populares era ainda maior que no formalismo que caracteriza as relações humanas no capitalismo. A desigualdade de ritmo do desenvolvimento do capitalismo no plano internacional acabou por impor uma historicidade própria nas localidades atrasadas, segundo Trotsky (1977), quando o capitalismo tardio será marcado pela assimilação de elementos mais modernos das nações avançadas e sua adaptação a condições materiais e culturais arcaicas. A literatura realista é, por definição, aquela que, a partir da própria realidade, consegue ultrapassar a aparência da realidade e ir ao encontro de sua essência, figurando-a em sua totalidade dinâmica, na qual o início e o fim são o próprio homem em sua autenticidade. A obra de Gorki foi eleita por refletir a violência gerada nesse momento, revelando as contradições da sociedade russa no seu processo de aderência ao capitalismo em sua fase imperialista, guardando traços do antigo regime
Resumo inglês:Violence is an integral principle of capitalism from its historical origins to its modern development. The violence toward the semifeudal peasantry that came from English capitalists in the 14th to 17th centuries shaped the pre-history of capitalism. The continuity of this violence toward more primitive peoples shaped the modern history of capitalism. In the first case, this violence is used in order to establish capitalism; in the other, it develops and universalizes its concept. In both cases, violence is inevitable and inseparable from capital. However, in the case of peripheral countries, where the capitalist mode of production is combined with another mode of production, violence becomes even more evident. This paper has the objective of investigating violence in the particular case of Russia and its effect on Maxim Gorky’s realist literature. We start from the premise that structural and ‘naturalized’ violence in Russia between the last quarter of the 19th century to early 20th century – focus of this paper – is inherent to the implementation of the capitalist mode of production and liberal ideals in a feudal society, with different coexisting modes of production, when the brutal violence among the populace was even bigger than in the formality that characterized human relations in capitalism. The unequal rhythm of capitalist development in the international arena in locations that are lagging behind, according to Trotsky, ended up creating its own history in underdeveloped nations, when the late capitalism will be marked by the assimilation of more modern elements from advanced nations and its adaptation to archaic material and cultural conditions. Realist literature is by definition the one that, from reality itself, can go beyond an appearance of reality and meet its essence, representing it in its dynamic totality, in which beginning and end are man himself in his authenticity. Gorky’s work was chosen for its reflection upon the violence brought about in this period, revealing russian society’s contradictions in its process of adherence to capitalism in its imperialist phase, keeping traces of the old regime