Vida de expatriado: a narrativa de executivos brasileiros solteiros

The economy globalization led to increased executives expatriation. For organizations, the international transfer is limited to actions that ensure increased competitiveness and, consequently, income. For the executives, this experience transcends the professional field because it involves relationa...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2015
Main Author: Rosal, Anna Silvia Rosal de lattes
Orientador/a: Kublikowski, Ida
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Department: Psicologia
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15406
Citação:Rosal, Anna Silvia Rosal de. Vida de expatriado: a narrativa de executivos brasileiros solteiros. 2015. 102 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.
Resumo Português:A globalização da economia implicou aumento da expatriação de executivos. Para as organizações, a transferência internacional está circunscrita às ações que asseguram o aumento da competitividade e, consequentemente, dos resultados financeiros. Para o executivo, essa experiência transcende o campo profissional, pois envolve aspectos relacionais em sua vida. O número de executivos casados expatriados é superior ao de solteiros. As organizações acreditam ser a família importante fator na adaptação intercultural. Nesse contexto, o objetivo geral desta pesquisa é compreender a experiência decorrente do processo de expatriação de executivos homens, brasileiros e solteiros. Para tanto, recorre-se ao método de pesquisa qualitativa de abordagem narrativa. Os resultados apontam que vida pessoal e vida profissional estão imbricadas no processo de expatriação. A expatriação é referida como mais fácil aos solteiros. Contudo, tal experiência é pontuada pela ambiguidade de sentimentos decorrentes de acontecimentos que reúnem ganhos, como amadurecimento pessoal e crescimento para a carreira, ao mesmo tempo em que acarreta perdas, como o afastamento da rede relacional, vivamente relatado pelos participantes. Na vida dos solteiros, as amizades desempenham significativo papel. Foram identificadas especificidades nos ciclos vitais individuais e familiares, assim como questões de gênero. A experiência decorrente da expatriação envolve os diversos âmbitos da vida do executivo pessoal, familiar, profissional e social e remete à necessidade de ampliar o olhar das organizações sobre a questão, de forma a abranger tal experiência em suas inúmeras facetas
Resumo inglês:The economy globalization led to increased executives expatriation. For organizations, the international transfer is limited to actions that ensure increased competitiveness and, consequently, income. For the executives, this experience transcends the professional field because it involves relational aspects in his life. The number of expatriated married executives is higher than singles. Organizations believe that family is an important factor in intercultural adaptation. In this context, the objective of this research is to understand the experiences of the process of expatriation of male, Brazilian and single executives. The researcher, therefore, resorted to the method of qualitative research with a narrative approach. The results showed that both personal and professional lives are embedded in the expatriation process. Expatriation is said to be easier for singles. However, this experience is punctuated by the ambiguity of feelings arising from events that include gains, as personal development and career improvement, while entail losses, such as the exclusion from relational network, which is strongly reported by the participants. Friendships play a significant role in the lives of singles. Specificities were identified in individual and family life cycles, as well as gender issues. The experience of expatriation covers the executive's personal, family, professional and social life aspects, and points to the need to broaden the organizations perspectives on the issue, to absorb such experience in its many facets