O idoso e o aprendizado de uma nova língua: o descortinar de trocas sociais e afetivas

The aim of this research is to verify the concept of learning through the contact with elderly people that study a foreign language as well as to draw a profile of the kind of people who looks for this ty pe of learning; identify ing th eir conceptions about aging and investigating the importance of...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2005
Main Author: Pereira, Elizabeth Thomaz
Orientador/a: Lopes, Ruth Gelehrter da Costa
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia
Department: Gerontologia
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12480
Citação:Pereira, Elizabeth Thomaz. O idoso e o aprendizado de uma nova língua: o descortinar de trocas sociais e afetivas. 2005. 225 f. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Resumo Português:O objetivo do trabalho é, por meio do contato com idosos que estudam uma língua estrangeira, verificar quais os significados dessa aprendizagem; traçar o perfil dos que procuram este ensino; identificar as concepções sobre o envelhecimento e investigar a importância deste aprendizado para o sujeito. Foram selecionados sete aprendizes, todos na faixa etária entre 65 e 75 anos de idade. A metodologia escolhida foi a pesquisa qualitativa e para realizá-la foi elaborado um roteiro com perguntas parcialmente estruturadas. As interpretações das respostas foram feitas a fim de categorizá-las por assuntos, a saber: bem-estar subjetivo, experiência como aprendiz de língua estrangeira, hábitos da vida diária e expectativas quanto a aproveitar oportunidades que se apresentam. No envelhecimento, assim como em outras etapas da vida, é fundamental que se estimulem as faculdades intelectuais para mantê-las. Além disso, é importante ressaltar que a capacidade de aprender dos idosos não desaparece, se eles estiverem motivados para tal. Refletir sobre o aprendizado de uma língua estrangeira é pensar numa educação voltada para os interesses deste segmento. Os resultados apontam para a longevidade como um processo em que se redefinem os modos de ser e de significar a existência, ao mesmo tempo em que se redesenham as relações de trocas sociais e afetivas. Assim sendo, essa pesquisa mostrou a importância do aprendizado de uma língua estrangeira na ressignificação da vida dos idosos, contribuindo para o seu bem-estar e para mantê-los participativos e integrados, proporcionando-lhes alternativas ao adoecimento. O aprendizado de uma língua estrangeira insere o indivíduo como cidadão ao proporcionar-lhe uma educação, por meio da qual se promovem novos saberes, sem limites etários e a possibilidade de acompanharem as transformações de um mundo globalizado.
Resumo inglês:The aim of this research is to verify the concept of learning through the contact with elderly people that study a foreign language as well as to draw a profile of the kind of people who looks for this ty pe of learning; identify ing th eir conceptions about aging and investigating the importance of this process for them. Seven learners between the ages of 65 and 73 were selected. The methodology used was the qualitative research in which pilot instructions with partial open questions were elaborated. The interpretation of those answers leadto classifying them in term s of subjects. This m eans: well-being, personal lim itations, experience as a foreign language learners, daily habits, and expectati ons of how to take advantage of opportunities. In aging as in ot her stages of life, it is essential that the intellectual faculties be stimulated and kept active. In addition to this, it is important to draw the attention on the fact that the learning capacity of elderly people do not disappear if they are motivated. Carefully considering the learning of a foreign language is to think about an education that points out the interest of this segment. The results suggest that longevity as a process reveals social and affective exchanges. In such a case, this research shows the importance of learning a foreign language as having a new m eaning for the life of those elderly people. This all contributes to their well-being and keeps them communicating, integrated in the com munity and givesthem alternatives to failing ill. Learning of a foreign language inserts the person in a society as a citizen providing an education through which a new knowledge is encouraged without age limit and giving the elderly people the possibility to follow the transformations of the whole world