A Revolução cidadã : o governo Rafael Correa e os movimentos indígenas no Equador

The objective of this work is to contribute to the analysis of articulation between social movements and the Correa government in Ecuador from 2007 to 2012. The largest share of the state in controlling the oil sector, the challenge of considerable public debt (internal and external), the criticism...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Menon, Gustavo lattes
Orientador/a: Almeida, Lúcio Flávio Rodrigues de
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Department: Ciências Sociais
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3491
Citação:Menon, Gustavo. A Revolução cidadã : o governo Rafael Correa e os movimentos indígenas no Equador. 2013. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Resumo Português:O objetivo deste trabalho é contribuir para a análise das relações entre os movimentos sociais indígenas e o governo Rafael Correa, no Equador, entre 2007 e 2012. A maior participação do Estado no controle do setor petrolífero, a contestação de parte considerável da dívida pública (interna e externa), a crítica à dolarização da economia, o alinhamento da política externa com o bloco bolivariano, a proclamação de uma nova constituição que institucionaliza novos direitos fundamentais, inclusive para comunidades indígenas eis alguns aspectos do referido governo. Em qualquer país, mudanças deste porte não se devem às características demiúrgicas de um governo, por mais importante que seja a atuação deste. Aqui se pretende ressaltar que esses avanços também foi determinado por intensas lutas, com diversos avanços e recuos, momentos de expansão e de contração, dos movimentos indígenas no Equador. No período mencionado, o governo e os movimentos sociais, assumiram, de diferentes e, muitas vezes, contraditórios modos, posições antineoliberais, o que levou a um conjunto de mudanças significativas na formação social. Longe de predeterminados, os desdobramentos deste processo encontram-se em aberto, até porque existe a presença ativa de forças conservadoras hegemonizadas pelo neoliberalismo. Estas compõem uma aba do leque de possibilidades que passa pelo neodesenvolvimentismo e se estende a políticas de forte caráter antissistêmico
Resumo inglês:The objective of this work is to contribute to the analysis of articulation between social movements and the Correa government in Ecuador from 2007 to 2012. The largest share of the state in controlling the oil sector, the challenge of considerable public debt (internal and external), the criticism of the dollarization of the economy, foreign policy alignment with the Bolivarian bloc, the proclamation of a new constitution that institutionalizes new rights, including indigenous communities - here are some aspects of that government.. In any country, changes of this magnitude are not due to the characteristics of a demiurgic government, however important the performance of this. Here we want to emphasize that these advances was also determined by intense struggle, with many advances and retreats, times of expansion and contraction of social movements in Ecuador. In the mentioned period, the government and social movements, assumed, of different and often contradictory ways, anti-neoliberal positions, which led to a number of significant changes in the social formation. Far from predetermined, the ramifications of this process are open, because there is the active presence of conservative hegemony forces by neoliberalism. These make up a tab of the range of possibilities that goes through the new-developmentalism and extends to policies anti-systemic strong character