A ret?rica da intransig?ncia brasileira : uma an?lise do discurso da oposi??o durante o primeiro governo Lula

Esta disserta??o realiza uma an?lise do discurso dos dois principais partidos de direita e, pela primeira vez, de oposi??o no ?mbito federal o Partido da Frente Liberal (PFL) e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), durante a 52? Legislatura da C?mara dos Deputados (1?/02/2003 a 1?/02/200...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2008
Main Author: Menezes, Daiane Boelhouwer lattes
Orientador/a: Dias, Marcia Ribeiro lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Pontif?cia Universidade Cat?lica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Sociais
Department: Faculdade de Filosofia e Ci?ncias Humanas
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/4647
Citação:MENEZES, Daiane Boelhouwer. A ret?rica da intransig?ncia brasileira : uma an?lise do discurso da oposi??o durante o primeiro governo Lula. 2008. 105 f. Disserta??o (Mestrado em Ci?ncias Sociais) - Pontif?cia Universidade Cat?lica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.
Resumo Português:Esta disserta??o realiza uma an?lise do discurso dos dois principais partidos de direita e, pela primeira vez, de oposi??o no ?mbito federal o Partido da Frente Liberal (PFL) e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), durante a 52? Legislatura da C?mara dos Deputados (1?/02/2003 a 1?/02/2007), ou seja, durante o primeiro governo de Lu?s In?cio Lula da Silva. O corpus de pesquisa foi composto pelos pronunciamentos proferidos em plen?rio pelos deputados federais l?deres desses dois partidos, pois sabendo a indica??o da lideran?a do partido, h? fidelidade partid?ria na C?mara dos Deputados suficiente para poder prever em mais de 90% dos casos o resultado das vota??es. A an?lise deste corpus baseia-se nos conceitos da Escola Francesa de An?lise de Discurso. A pesquisa busca saber quais das teses propostas por Albert Hirschman foram mais utilizadas pela oposi??o durante o primeiro mandato de Lula. A tese da perversidade sustenta que a??es para melhorar a ordem econ?mica, social ou pol?tica s? pioram a situa??o que se deseja remediar. A tese da futilidade defende que as mudan?as s?o sempre ilus?rias, j? que as estruturas da sociedade permanecer?o as mesmas. A tese da amea?a argumenta que o custo de determinada a??o ? muito alto, porque coloca em perigo outra realiza??o anterior. A hip?tese, baseada na conclus?o de Andr? Singer de que ? caracter?stica da direita brasileira a avers?o a qualquer tipo de mudan?a que ocorra via contesta??o da ordem e do direito de repress?o do Estado no que diz respeito aos movimentos sociais, era que a tese da amea?a referente ? liga??o do governo com os movimentos sociais fosse a mais representativa. O n?mero de pronunciamentos que utilizam o argumento da amea?a vinda da mobiliza??o social confirma a hip?tese, pois se trata do maior percentual, respondendo por 33,93% da ret?rica da intransig?ncia brasileira. Al?m disso, ficou claro que o PFL foi o opositor mais contundente e deu prefer?ncia ao argumento da amea?a, enquanto o PSDB utilizou-se mais da tese da futilidade e dos efeitos perversos.