AS DIALÉTICAS DA GLOBALIZAÇÃO: PATRIMÔNIO CULTURAL E TURISMO

This study set analysis on the dialectic process between the global and local scales through the relation between the cultural heritage and tourism. Globalization, as long as a dynamics coming from the dialogue between the global and local range arises different interpretative ways, among them the o...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2009
Main Author: Rocha, Ana Rita Pinto lattes
Orientador/a: Monastirsky, Leonel Brizolla lattes
Banca: Souza, Edson Belo Clemente de lattes, Albuquerque, Edu Silvestre de lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA
Programa: Programa de Pós Graduação Mestrado em Gestão do Território
Department: Gestão do Território : Sociedade e Natureza
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/516
Citação:ROCHA, Ana Rita Pinto. AS DIALÉTICAS DA GLOBALIZAÇÃO: PATRIMÔNIO CULTURAL E TURISMO. 2009. 65 f. Dissertação (Mestrado em Gestão do Território : Sociedade e Natureza) - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA, Ponta Grossa, 2009.
Resumo Português:Este estudo analisa o processo dialético entre as escalas global e local através da relação entre o patrimônio cultural e o turismo. A globalização enquanto uma dinâmica proveniente do diálogo entre o global e local gera diferentes vias interpretativas, entre as quais envolvem patrimônio cultural e turismo. Logo o conceito de escalas e seu caráter solidário é utilizado para explicitar essa dinâmica protagonizada pela emergência das técnicas que condicionam e são condicionadas pelo meio social. Ao mesmo tempo, a noção de redes embasam esse cenário como conexões entre o global e o local que evidencia seu teor seletivo, pois apesar das redes serem globais elas não são universais. Assim, neste trabalho, são discutidas duas proposições. A primeira, discute a relevância do lugar sobre a dinâmica global na legitimação intelectual da preservação do patrimônio cultural que se expressa como referência do lugar por sua relevância histórica e social. Nesta situação encontram-se fundamentos contra a globalização perversa em que o capital e a informação imperam originando a defesa do lugar. A outra em que analisa a utilização do patrimônio cultural como suporte para o turismo que, sob a ótica capitalista, impõe a lógica da competitividade entre os lugares para atração de recursos. Desenvolve-se, portanto, a guerra de lugares em que cada lugar utiliza suas virtudes e as coloca à disposição do consumo (localização, paisagens, cultura) com o intuito de entrar e permanecer na dinâmica global. A partir das duas proposições, esse estudo analisa as conexões e oposições entre elas, seja para discutir as mudanças globais seja para argumentar a favor da autenticidade local.
Resumo inglês:This study set analysis on the dialectic process between the global and local scales through the relation between the cultural heritage and tourism. Globalization, as long as a dynamics coming from the dialogue between the global and local range arises different interpretative ways, among them the ones that involve cultural heritage and tourism. Subsequently the scales concept and its mutual character it’s used to make explicit that dynamics leaded by the emergence of techniques that limits and are limited by the social environment. At the same time, the nets concept make the foundation for that scenario like connections between the global and the local range that emphasizes its selective mood, because, notwithstanding being global nets, they aren’t universal. Thus, in this work, are discussed two propositions. The first, argues the relevance from the place over the global dynamics in the intellectual authentication for the cultural heritage preservation that express itself as a reference from the place by its social and historical relevance. In this circumstance are found the grounds against the wicked globalization where the capital and information reigns, arising the place’s defensiveness. The second, where the cultural heritage is set on analysis as the basis for tourism that, under the capitalist point of view, determines the logical knowledge of competitiveness between the places, where each place make use of its best goodness and put it at disposal for consumption (localization, landscape, culture) aiming to get ant stay in the global dynamics. Departing from this two propositions, this study analyses the connections and oppositions between them, no matter if to discuss the global changes or to argue in favor to the local authenticity.