AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DAS ADOLESCENTES ACOLHIDAS, NA CASA SANTA LUIZA DE MARILLAC E ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA (APAM), EM RELAÇÃO AO COTIDIANO ESCOLAR – PONTA GROSSA/PR

Social representations (RS) arise from durable points of conflict within the representational structures of the culture itself, and its denial to specific groups within society. RS are not an aggregate of individual representations. The first is linked to the group, and contributes to the constructi...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: Somer, Diana Galone lattes
Orientador/a: Barros, Solange Aparecida Barbosa de Moraes lattes
Co-advisor: Oliveira Junior, Constantino Ribeiro de lattes
Banca: Costa, Marcelo Henrique da lattes, Silva, Lenir Aparecida Mainardes da lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA
Programa: Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais Aplicadas
Department: Sociedade, Direito e Cidadania
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/262
Citação:SOMER, Diana Galone. AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DAS ADOLESCENTES ACOLHIDAS, NA CASA SANTA LUIZA DE MARILLAC E ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA (APAM), EM RELAÇÃO AO COTIDIANO ESCOLAR – PONTA GROSSA/PR. 2017. 193 f. Dissertação (Mestrado em Sociedade, Direito e Cidadania) - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA, Ponta Grossa, 2017.
Resumo Português:As representações sociais (RS) surgem a partir de pontos duráveis de conflito dentro das estruturas representacionais da própria cultura, e sua negação a grupos específicos dentro da sociedade. As RS não são um agregado de representações individuais. A primeira está ligada ao grupo, e contribui para a construção de uma realidade comum a um conjunto social, desse modo são produzidas e compartilhadas por membros de grupos sociais. Agora, as representações, são ligadas ao indivíduo, o conhecimento é mais individualizado fundamenta-se em experiências pessoais. Como afazer contínuo, a escola está presente no cotidiano do adolescente, e é objeto de diferentes representações. A escola contemporânea, ainda produz e conduz suas práticas influenciadas pela sociedade. Neste contexto a pesquisa tem como objetivo geral “compreender quais são as representações sociais que as adolescentes acolhidas em 2016, na Casa Santa Luiza de Marillac e na Associação de Promoção a Meninas (APAM), possuem em relação ao cotidiano escolar”. Assim, é de suma relevância o entendimento da ligação entre as RS e a vida cotidiana de adolescentes acolhidas. Como o cotidiano escolar é complexo, envolve a construção de uma RS que é fortemente ligada à diversidade e afetividade e, é permeada pelas relações interpessoal e intergrupal. Entretanto este estudo não se refere a um adolescente “genérico” ou “comum”, mas de um adolescente específico, aquele que se encontra em vulnerabilidade e risco social, sendo necessária uma análise de seu contexto sócio-histórico. Para tanto, também é necessário compreender alguns aspectos que envolvem a construção das representações da alteridade, especificamente a alteridade radical estuda por Jodelet (1998), que apresenta o duplo processo de construção e de exclusão social. Esta pesquisa é qualitativa e se desenvolveu empregando os procedimentos metodológicos a seguir: pesquisa bibliográfico-exploratória; Grupo Focal (GF); análise de conteúdo de categorias temáticas. Os sujeitos que participaram da pesquisa foram adolescentes acolhidas das duas instituições citadas, após o aceite do projeto submetido ao Comitê de Ética foi desenvolvido o GF. O GF ocorreu em duas sessões em cada instituição, com um roteiro de doze questões para compreender as RS, em relação ao cotidiano escolar das adolescentes. Deste modo, este trabalho e apresentado em três capítulos: sendo que no primeiro é realizada uma revisão bibliográfica dos principais conceitos abordados: a teoria das representações sociais, alteridade e alteridade radical, cotidiano escolar, escola pública e acolhimento. No segundo capítulo, são tratados inicialmente os conceitos de vulnerabilidade e risco social e adolescência no contexto sócio-histórico. Além disso, neste capítulo é realizada a caracterização dos sujeitos e campo de pesquisa, bem como os métodos utilizados (GF e análise de conteúdo de categorias temáticas). Por fim, no terceiro capítulo a análise e discussão dos dados são apresentadas detalhando as categorias encontradas. Isso após a transcrição do material coletado e a utilização da análise de conteúdo de categorias temáticas obteve-se as seguintes categorias: relações e interações sociais na escola; adolescência; bullying; vida cotidiana na escola e acolhimento; e família. Observou-se que as adolescentes acolhidas possuem dificuldades de adaptação com os novos espaços: o acolhimento e novo ambiente escolar. Também, verificou-se que as relações e interações constituídas no ambiente escolar, possuem grande influência no cotidiano, bem como nas RS das adolescentes acolhidas da Marillac e APAM. As relações positivas, que dão o sentimento de pertencimento, são com os amigos e funcionários de serviços gerais. Enquanto que as relações e interações negativas são com algumas professoras (os), colegas e pedagogas (os). As principais dificuldades encontradas no cotidiano escolar das adolescentes acolhidas são o bullying, o estigma e a alteridade radical. Conclui-se que todos esses elementos encontrados com relação às representações e RS do cotidiano escolar das adolescentes acolhidas na Marillac e APAM influenciam na construção da identidade das mesmas.
Resumo inglês:Social representations (RS) arise from durable points of conflict within the representational structures of the culture itself, and its denial to specific groups within society. RS are not an aggregate of individual representations. The first is linked to the group, and contributes to the construction of a reality common to a social set, so they are produced and shared by members of social groups. Now, the representations are linked to the individual, the knowledge is more individualized is based on personal experiences. As a continuous task, the school is present in the daily life of the adolescent, and is the object of different representations. The contemporary school still produces and conducts its practices influenced by society. In this context, the research has the general objective "to understand what are the social representations that the adolescents hosted in 2016, in Casa Santa Luiza de Marillac and in the Association for the Promotion of Girls (APAM), have in relation to school daily life." Thus, it is of great relevance the understanding of the link between RS and the daily life of adolescents. As school daily life is complex, it involves the construction of a RS that is strongly linked to diversity and affectivity and is permeated by interpersonal and intergroup relations. However, this study does not refer to a "generic" or "common" adolescent, but a specific adolescent, who is in vulnerability and social risk, and an analysis of their socio-historical context is necessary. For this, it is also necessary to understand some aspects that involve the construction of the representations of otherness, specifically radical alterity studied by Jodelet (1998), who presents the double process of construction and social exclusion. This research is qualitative and was developed using the following methodological procedures: bibliographic-exploratory research; Focus Group (GF); Content analysis of thematic categories. The subjects who participated in the research were adolescents hosted by the two mentioned institutions, after accepting the project submitted to the Ethics Committee, the GF was developed. The GF occurred in two sessions in each institution, with a script of twelve questions to understand RS, in relation to the daily schooling of adolescents. Thus, this work is presented in three chapters: the first one is a bibliographical review of the main concepts addressed: the theory of social representations, alterity and radical alterity, everyday school, public school and reception. In the second chapter, the concepts of vulnerability and social risk and adolescence are dealt with in the socio-historical context. In addition, in this chapter the characterization of subjects and field of research, as well as the methods used (GF and content analysis of thematic categories) are carried out. Finally, in the third chapter the analysis and discussion of the data are presented detailing the categories found. After the transcription of the material collected and the use of content analysis of thematic categories, the following categories were obtained: relationships and social interactions in the school; adolescence; bullying; Everyday life at school and welcome; and family. It was observed that the adolescents received have difficulties adapting with the new spaces: the reception and new school environment. Also, it was verified that the relationships and interactions constituted in the school environment, have great influence in the daily life, as well as in the RS of the adolescents hosted by Marillac and APAM. Positive relationships, which give the feeling of belonging, are with friends and general service employees. While negative relationships and interactions are with some teachers, peers and pedagogues. The main difficulties encountered in the daily life of adolescents are bullying, stigma and radical alterity. It is concluded that all these elements found in relation to the representations and RS of the school daily life of adolescents hosted in Marillac and APAM influence in the construction of their identity.