A narrativa como eixo cognitivo da homeopatia

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2000
Main Author: Gloria Maria Barbosa lattes
Orientador/a: Jane Dutra Sayd lattes
Banca: Madel Therezinha Luz lattes, Marcos Fernandes da Silva Moreira lattes, Angela Baraf Podkameni lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Programa: Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
Assuntos em Portugês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2162
Resumo Português:Este trabalho ressalta a importância da narrativa da anamnese homeopática, indica ser a fala do paciente um elemento de conhecimento essencial para o médico. E através dessa fala que se estabelece o tratamento homeopático. A Homeopatia utiliza a fala do paciente como um recurso terapêutico sem a traduzir em sintomas técnicos. A introdução apresenta os princípios que norteiam a Homeopatia e as dimensões do adoecimento. O capítulo I, - Anamnese homeopática e narrativa - tem por base as idéias de Walter Benjamim que propõe o resgate da narrativa como forma direta de comunicação de um possível esquecimento. O capítulo II situa historicamente a Homeopatia, as correntes médicas e aborda como se construiu o conhecimento científico na época clássica, segundo Foucault. Contempla, ainda, a visão dos homeopatas clássicos em relação ao trabalho de observar os pacientes e de conduzir a anamnese. O capítulo III apresenta estudos de casos e ressalta como diversas narrativas podem contribuir para a intervenção terapêutica, na diagnose homeopática.