Re-memory and Construction of the Romani Identity: a reading of The Eighth Sin, by Stefan Kanfer, and Zoli, by Colum McCann

Através dos séculos, em locais e tempos distintos, o povo Romá (comumente conhecido como cigano) foi alvo de discriminações e de visões estereotipadas: tidos como ladrões e enganadores; ou como magos com poderes sobrenaturais de prever o futuro e de conjurar maldições; ou ainda como pessoas livres e...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2010
Main Author: Pilar Castro Pereira lattes
Orientador/a: Ana Lucia de Souza Henriques lattes
Banca: Henriqueta do Coutto Prado Valladares lattes, Anderson Soares Gomes lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Online Access:http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2151
Resumo Português:Através dos séculos, em locais e tempos distintos, o povo Romá (comumente conhecido como cigano) foi alvo de discriminações e de visões estereotipadas: tidos como ladrões e enganadores; ou como magos com poderes sobrenaturais de prever o futuro e de conjurar maldições; ou ainda como pessoas livres e sem destino, nômades em caravanas coloridas vivendo uma vida romântica fora da civilização. Durante a Segunda Guerra Mundial estima-se que mais de 250.000 Romás1 foram assassinados em campos de concentração - fato não muito conhecido ou divulgado. A Porrajmos (a Devoração, denominação do Holocausto em romanês) promovida pelo regime nazista marcou profundamente a história deste povo como um dos mais tristes e cruéis episódios de todo o histórico de ódio e perseguição sofridos pelos Romás. Os romances The Eighth Sin (1978) e Zoli (2006) lidam de diferentes maneiras com este momento específico da história, oferecendo uma outra imagem dos Romás, diferente daqueles estereótipos tão comumente encontrados na literatura mundial. Assim, a intenção desta pesquisa é investigar como os protagonistas das obras indicadas foram construídos e como a herança cultural do povo cigano é descrita e transmitida por Stefan Kanfer e Colum McCann, respectivamente, com base em canções, poemas, tradições, memórias e relatos de sobreviventes que atestam a perseguição e o genocídio do povo Romá durante a Segunda Guerra
Resumo inglês:Throughout the ages, in different places, the Roma people (commonly known as gypsies) have been object of stereotyped views, either seen as thieves and masters in the art of deception; as conjurers, working in magical and mysterious ways; or as untamed free souls, leading a romantic life as nomads in colorful caravans outside the so-called civilization. During the II World War it is estimated that over 250.000 Roma were murdered in concentration camps a fact that is rarely touched upon. The Porrajmos (the Devouring, denomination of the Holocaust in Romani) promoted by the Nazi has deeply marked the Roma history as one of the cruellest and saddest points in the history of hatred and persecution endured by this people. The novels The Eighth Sin and Zoli deal in different ways with this specific moment in world history, depicting a different image of the Roma. Therefore, it is our intention to investigate how the protagonists in both novels are constructed and how the Romani cultural heritage is portrayed and conveyed by Stefan Kanfer and Colum McCann, respectively, relying on songs, poems, traditions, memories and real life testimonies of the persecution the Roma people suffered during II World War