Do 'Criação' ao 'Bem Viver': metamorfoses do Caderno de Cultura do Jornal A Crítica

This paper reflects on the role of Creation and Well-being cultural notebooks of the newspaper A Crítica, born on April 19, 1949 and currently 68 years old. It verifies the metamorphosis of cultural journalism in both books. Note how the exercise and representativeness of cultural journalism changes...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: Caldas, Hanne Cristhine Assimen lattes
Other Authors: 92 991770369
Orientador/a: Pinto, Ernesto Renan Melo de Freitas lattes
Banca: Nogueira, Wilson de Souza, Rodrigues, Allan Soljentisin Barreto
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal do Amazonas
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação
Department: Faculdade de Informação e Comunicação
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/6765
Citação:CALDAS, Hanne Cristhine Assimen. Do 'Criação' ao 'Bem Viver': metamorfoses do Caderno de Cultura do Jornal A Crítica. 2017. 162 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2017.
Resumo Português:Este trabalho faz uma reflexão acerca do papel dos cadernos culturais Criação e Bem Viver do jornal A Crítica, nascido em 19 de abril de 1949 e atualmente com 68 anos de idade. Verifica a metamorfose do jornalismo cultural em ambos os cadernos. Observa de que maneira o exercício e a representatividade do jornalismo cultural se modifica desde o caderno Criação até os tempos atuais com o caderno Bem Viver. Para isso, reflete a partir das esferas de cultura, dos clássicos aos contemporâneos, da definição de jornalismo, e jornalismo cultural. Bem como sobre o papel e importância do crítico na composição da atividade do jornalismo cultural. Verifica se e como a cultura local encontra-se representada em detrimento da cultura exógena. A pesquisa está ancorada nos conceitos de cultura sob a ótica de Raymond Williams (1979) e Terry Eagleton (2003), de jornalismo como conhecimento (Adelmo Genro Filho, 1987), jornalismo cultural com base principalmente em José Salvador Faro (2006), Daniel Piza (2013) e Franthiesco Ballerini (2015), o qual baseia todas as categorias do jornalismo cultural nesta pesquisa, a saber: literatura, artes visuais, música, cinema, teatro, moda, games e internet, entre outros universos que habitualmente constituem a realidade da sociedade contemporânea. Como método foi utilizado a Análise Documental, aplicado em dois corpus, sendo o primeiro o caderno Criação, contabilizando um total de 242 jornais; e o segundo o caderno Bem Viver, circulado do início dos anos 2000 até hoje, foi analisado o período de abril a setembro de 2016. Assim, o norte da pesquisa são os Ecossistemas Comunicacionais, área de concentração do Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação. Portanto, a pesquisa busca compreender esse fenômeno do processo comunicacional dentro da complexidade que o pressupõe, o que significa abranger as diversas esferas que influenciam, modificam e constroem o jornalismo cultural produzido por esses cadernos. As conclusões apontam para o fato de que o Criação e Bem Viver realizam jornalismo cultural de modos distintos. O Criação, circulado na década de 90, se mostra como um espaço aberto a reflexão, crítica acerca das produções culturais de seu tempo. O Bem Viver se mostra com uma produção de jornalismo cultural contemporâneo, com enfoque no processo mercadológico. Essa diferenciação reflete também no jornalismo enquanto conhecimento, demonstrando que o Criação é incentivado a essa prática, enquanto que o Bem Viver a abordagem jornalística noticiosa das pautas se sustenta, prioritariamente, por lançamentos recentes do processo mercadológico ou outros acontecimentos relacionados ao tempo presente, limitando o escopo da apreciação ao legítimo jornalismo cultural enquanto atividade prática e intelectual.
Resumo inglês:This paper reflects on the role of Creation and Well-being cultural notebooks of the newspaper A Crítica, born on April 19, 1949 and currently 68 years old. It verifies the metamorphosis of cultural journalism in both books. Note how the exercise and representativeness of cultural journalism changes from the Creation notebook to present times with the Bem Viver notebook. For this, it reflects from the spheres of culture, from the classic to the contemporary, from the definition of journalism, and cultural journalism. As well as on the role and importance of the critic in the composition of the activity of cultural journalism. It verifies whether and how the local culture is represented to the detriment of the exogenous culture. The research is anchored in cultural concepts from the perspective of Raymond Williams (1979) and Terry Eagleton (2003), journalism as knowledge (Adelmo Genro Filho, 1987), cultural journalism based mainly on José Salvador Faro (2006), Daniel Piza (2013) and Franthiesco Ballerini (2015), which bases all the categories of cultural journalism in this research, namely: literature, visual arts, music, cinema, theater, fashion, games and internet, among other universes that usually constitute the Reality of contemporary society. As a method was used the Documentary Analysis, applied in two corpus, the first being the Creation notebook, counting a total of 242 newspapers; And the second, the Bem Viver notebook, circulated from the beginning of the 2000s until today, analyzed the period from April to September 2016. Thus, the northern part of the research is the Communication Ecosystems, a concentration area of the Postgraduate Science Program Communication. Therefore, the research seeks to understand this phenomenon of the communicational process within the complexity that presupposes it, which means to cover the various spheres that influence, modify and construct the cultural journalism produced by these notebooks. The conclusions point to the fact that Creation and Wellbeing perform cultural journalism in different ways. The Creation, circulated in the 90's, shows itself as a space open to reflection, critical about the cultural productions of its time. Bem Viver is shown with a production of contemporary cultural journalism, focusing on the marketing process. This differentiation also reflects in journalism as knowledge, demonstrating that Creation is encouraged to this practice, while Good Living the news journalistic approach of the guidelines is supported, as a matter of priority, by recent releases of the marketing process or other events related to the present time, limiting The scope of appreciation of legitimate cultural journalism as a practical and intellectual activity.