Valei-me, SÃo SebastiÃo: a epidemia de cÃlera morbo na vila de Maranguape (1862-1863)

No presente trabalho buscamos compreender a epidemia de cÃlera morbus na vila de Maranguape no ano de 1862 e como esta foi compreendida pelos sujeitos que compunham os saberes mÃdico e religioso, bem como os usos polÃticos que a epidemia assumiu a partir do olhar dos partidos liberal e conservador....

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Dhenis Silva Maciel lattes
Orientador/a: Ivone Cordeiro Barbosa
Banca: Frederico de Castro Neves lattes, Anny Jackeline Torres Silveira
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal do CearÃ
Programa: Programa de PÃs-GraduaÃÃo em Historia
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6705
Resumo Português:No presente trabalho buscamos compreender a epidemia de cÃlera morbus na vila de Maranguape no ano de 1862 e como esta foi compreendida pelos sujeitos que compunham os saberes mÃdico e religioso, bem como os usos polÃticos que a epidemia assumiu a partir do olhar dos partidos liberal e conservador. Focamos nosso olhar sobre as aÃÃes dos mÃdicos que fizeram parte da comissÃo de socorros pÃblicos, nos dois sacerdotes que atuaram na vila no perÃodo da doenÃa e na aÃÃo dos administradores pÃblicos. Objetivamos compreender a doenÃa e seus significados a partir de uma leitura mais ampla do que era a vila de Maranguape no ano de 1862, das teorias mÃdicas que norteavam e das respostas dadas pela religiÃo. Para levarmos tal empreendimento a cabo, utilizamos documentos de carÃter variado, tais como: relatÃrios de presidente de provÃncia, cartas enviadas pelos mÃdicos comissionados, correspondÃncias dos sacerdotes e dos membros da cÃmara da vila, leis provinciais, jornais e crÃnicas.
Resumo inglês:In this study we sought to understand the epidemic of cholera morbus in the village of Maranguape in 1862 and how this was understood by the individuals that comprised the medical and religious knowledge and the political uses that the epidemic has assumed from the look of liberal parties and conservative. We focus our attention on the actions of doctors who took part in the commission of public relief, the two priests who worked in the village during the illness and the action of public administrators. We aim to understand the disease and its meaning from a broader reading than was the village of Maranguape in 1862, the medical theories that guided and the answers given by religion. To bring out such a venture, we use varied character documents such as reports of the provincial president, letters sent by the commissioned doctors, letters of the priests and members of the chamber of the village, provincial laws, newspapers and chronicles.