O EcoMuseu Natural do Mangue da Sabiaguaba na trilha da educaÃÃo cientÃfica: uma trama de (in)certezas e perseveranÃa

Como se deu o processo de constituiÃÃo histÃrica do Ecomuseu Natural do Mangue da Sabiaguaba? Que ator/atores social/sociais participou/participaram de sua construÃÃo? O que motivou essa construÃÃo? Que atividades desenvolve? Qual o lugar da EducaÃÃo CientÃfica no conjunto de atividades que desenvol...

Nível de Acesso:openAccess
Data de Defesa:2015
Autor/a: Mirleno Livio Monteiro de Jesus lattes
Orientador/a: Raquel Crosara Maia Leite lattes
Banca: Claudia Christina Bravo e SÃ Carneiro lattes, Carolina BrandÃo GonÃalves
Tipo Documento: Dissertação
Idioma:por
Instituição de Defesa: Universidade Federal do CearÃ
Programa: Programa de PÃs-GraduaÃÃo em EducaÃÃo
Assuntos em Portugês:
Spanish Subjects:
Áreas de Conhecimento:
Download Texto Completo:http://www.teses.ufc.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=17044
Resumo Português:Como se deu o processo de constituiÃÃo histÃrica do Ecomuseu Natural do Mangue da Sabiaguaba? Que ator/atores social/sociais participou/participaram de sua construÃÃo? O que motivou essa construÃÃo? Que atividades desenvolve? Qual o lugar da EducaÃÃo CientÃfica no conjunto de atividades que desenvolve?. Estes questionamentos constituem o norte da pesquisa que originou esta dissertaÃÃo. Para o desenvolvimento deste estudo, partimos do pressuposto que educaÃÃo nÃo à sinÃnimo de escola. De escola somente, nÃo. O acesso a informaÃÃes e sua transformaÃÃo em conhecimento nÃo à privilÃgio da escola, enquanto instituiÃÃo formal que, com seus currÃculos e programas, acredita nas garantias do ensino e da aprendizagem. Educar à movimento que extrapola os muros da escola formal e alcanÃa comunidades que estÃo em seu entorno. Nesse sentido, este estudo à fruto da compreensÃo de que a escola à somente uma mÃo na via dos processos de elaboraÃÃo e compartilhamento de conhecimentos. Escolas e Museus sÃo instituiÃÃes educativas e prezam pela formaÃÃo de sujeitos partÃcipes na vida de comunidades e da sociedade de modo geral. Os ecomuseus, nesse contexto, sÃo, tambÃm, vetores de produÃÃo e disseminaÃÃo de informaÃÃes e conhecimentos cientÃficos. O foco desse estudo à o Ecomuseu Natural do Mangue de Sabiaguaba, localizado em Fortaleza, no bairro de Messejana. Considerando seu potencial educativo, sua preocupaÃÃo com a formaÃÃo de sujeitos conscientes e sensÃveis com a questÃo socioambiental e, portanto, à aproximaÃÃo da ciÃncia de uma maneira nÃo formal e, ainda, considerando a necessidade da existÃncia de um registro histÃrico sistematizado e consistente sobre a instituiÃÃo em foco, este trabalho teve como objetivo narrar a trajetÃria histÃrica de constituiÃÃo do Ecomuseu Natural do Mangue (Ecomunam) da Sabiaguaba, em Fortaleza-CE, atentando para a sua relaÃÃo com a educaÃÃo cientÃfica proporcionada a seus visitantes. Este estudo encontrou, na metodologia da HistÃria Oral, os dados necessÃrios para a constituiÃÃo da histÃria em pauta. Estes foram coletados por meio de entrevistas com os idealizadores e coordenadores do Ecomuseu. Os dados produzidos em situaÃÃo de campo revelam que o nascimento do Ecomunam sempre esteve atrelado à ideia de socializaÃÃo e transformaÃÃo. MudanÃas sucessivas em sua configuraÃÃo tornaram-se, ao longo de sua criaÃÃo, o lema que direciona suas diversas facetas. Coordenado por um educador ambiental com uma forte carga de experiÃncias no campo ambiental, e uma pedagoga, o Ecomunam configura-se como um espaÃo de formaÃÃo cidadà onde trabalha, numa perspectiva relacional e dialÃgica, a educaÃÃo ambiental e a educaÃÃo cientÃfica. A atividade denominada âaula de campoâ à a protagonista desse contexto.