Teoria crítica e luta por reconhecimento : contribuições de Axel Honneth ao debate da justiça e da cidadania

Nesta dissertação, buscamos estudar de modo preliminar a contribuição de Axel Honneth, atual diretor do Instituto de Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt, e um dos principais pensadores da atualidade, à vertente conhecida como teoria crítica, em sua relação com a ideia de uma ampliação das r...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2012
Main Author: Silva, Tatyana Léllis da Matta e
Orientador/a: Ribeiro, Adelia Maria Miglievich
Banca: Araújo, Paulo Magalhães, Sobottka, Emil Albert
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal do Espírito Santo
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Department: Sociologia
Assuntos em Portugês:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.ufes.br/handle/10/5835
Citação:SILVA, Tatyana Léllis da Matta e. Teoria crítica e luta por reconhecimento : contribuições de Axel Honneth ao debate da justiça e da cidadania . 2012. 105 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.
Resumo Português:Nesta dissertação, buscamos estudar de modo preliminar a contribuição de Axel Honneth, atual diretor do Instituto de Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt, e um dos principais pensadores da atualidade, à vertente conhecida como teoria crítica, em sua relação com a ideia de uma ampliação das relações de reconhecimento numa sociedade que se postula democrática. Para tal, tomamos como objeto de análise as elaborações contidas em Luta por reconhecimento , suas influências teóricas, com ênfase à categoria de eticidade, herança dos primeiros escritos de Hegel que dialogam com Aristóteles. Honneth busca aperfeiçoar tal categoria para elaborar um modelo de teoria social normativa uma vez que Hegel enxergara a sociedade como uma totalidade ética em oposição aos pressupostos atomísticos. A eticidade, conceito posto em destaque por Honneth, diz respeito a um conjunto de formas elementares de convívio intersubjetivo que, desde o início, fizeram com que os sujeitos se movessem juntos em uma base natural da socialização humana . Ainda segundo Honneth, o nexo entre a experiência do reconhecimento e a construção identitária do sujeito (individual ou coletivo) é vital e se dá em três dimensões: amor, reconhecimento jurídico e solidariedade que, se bem sucedida, potencializam, as chances respectivas de desenvolvimento da autoconfiança, do autorrespeito e da autoestima. O reconhecimento mútuo, portanto, só se aperfeiçoa na interação entre indivíduos que se dá mediante luta, na possibilidade de termos com isso uma alteração da gramática moral