Microcrédito : uma política social de redução da pobreza?

Por meio de pesquisa bibliográfica e documental, o presente trabalho busca alcançar dois objetivos principais: a) conhecer e analisar as limitações e as potencialidades da concessão de microcrédito vista como suposta política social para a redução significativa da pobreza no Brasil; b) analisar crit...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2011
Main Author: Colodeti, Vicente de Paulo
Orientador/a: Leite, Izildo Corrêa
Banca: Sabadini, Maurício de Souza, Mauriel, Ana Paula Ornellas
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal do Espírito Santo
Programa: Programa de Pós-Graduação em Política Social
Department: Mestrado em Política Social
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.ufes.br/handle/10/6524
Citação:COLODETI, Vicente de Paulo. Microcrédito : uma política social de redução da pobreza?. 2011. 173 f. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Política Social) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2011.
Resumo Português:Por meio de pesquisa bibliográfica e documental, o presente trabalho busca alcançar dois objetivos principais: a) conhecer e analisar as limitações e as potencialidades da concessão de microcrédito vista como suposta política social para a redução significativa da pobreza no Brasil; b) analisar criticamente um conjunto de argumentos teóricos nitidamente favoráveis ao desenvolvimento de programas de microcrédito voltados ao combate à pobreza , argumentos esses que, em conjunto, constituem o que é aqui chamado teoria pró-microcrédito . Para tanto, lançou-se mão de algumas das principais produções teóricas favoráveis ao microcrédito, de documentos institucionais e governamentais com informações sobre o funcionamento de programas que concedem tal modalidade de crédito na contemporaneidade brasileira e de diversos dados sobre a pobreza e o trabalho informal no País. Discute-se a diversidade de concepções teóricas da pobreza, da informalidade e da política social, dadas as interfaces destas com o microcrédito, o qual, no campo teórico, é predominantemente considerado um tipo de investimento produtivo e orientado fornecido a responsáveis por pequenos negócios (em sua maioria, informais) e que funcionaria como importante ativo gerador de renda para os microepreendedores , possibilitando-lhes, assim, superar a pobreza. Entende-se que a conexão estabelecida entre a teoria prómicrocrédito e a agenda política de combate à pobreza funda-se numa visão neoliberal da realidade social. Conclui-se que os programas de microcrédito têm impacto muito pouco significativo na redução da pobreza brasileira e que não tocam num aspecto central do enfrentamento resoluto da pobreza, no País: o elevado grau de concentração da riqueza socialmente produzida
Resumo inglês:Using bibliographical and documental research, this study aims at achieving two main goals: a) knowing and analyzing the limitations and potentialities of microcredit grant a supposed social policy to significantly reduce poverty in Brazil; b) critically analyzing a set of theoretical arguments that are clearly favorable to developing microcredit programs aiming at attacking poverty and that, together, compose what we call here pro-microcredit theory . For this purpose, we used some of the main theoretical productions that are favorable to microcredit, institutional and governmental documents with data on the modus operandi of this kind of credit grant in the Brazilian contemporaneity, and several data on poverty and informal labor in this country. The study discusses the diversity of theoretical conceptions of poverty, informality, and social policy, given their connections with microcredit, which, in theoretical terms, is predominantly considered as a kind of "productive, oriented" investment granted to owners of small businesses (mostly, informal ones). Microcredit is seen, as well, as an important microentrepreneurs income-generating asset, allowing them to overcome poverty. We understand that the connection between the pro-microcredit theory and the attacking poverty political agenda is based on a neoliberal conception of social reality. We conclude that the microcredit programs have a slight impact on reducing poverty in Brazil, and that they do not deal with a central aspect of the poverty facing in the country: the high concentration of the socially produced wealth