Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço

Esta pesquisa tem como objetivo analisar os serviços e a prática homeopática inserida na Rede Pública de Saúde em Vitória, ES, e formular uma proposta para construção de parâmetros de avaliação para a Homeopatia no SUS. Para isso buscam-se conhecer os serviços homeopáticos, os médicos homeopatas, os...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: NOVAES, A. R. V.
Orientador/a: SILVA, A. R.
Banca: BIOLCHINI, J. C. A., CASTRO, D. S.
Format: Dissertação
Published: Universidade Federal do Espírito Santo
Mestrado em Saúde Coletiva
Programa: Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
Online Access:http://repositorio.ufes.br/handle/10/5414
id UFES_cda17b97ca98f92e2efeb579c39cc28c
oai_identifier_str oai:repositorio.ufes.br:10/5414
network_acronym_str UFES
network_name_str Repositório Institucional da UFES
spelling BIOLCHINI, J. C. A.CASTRO, D. S.SILVA, A. R.NOVAES, A. R. V.2016-08-30T10:50:04Z2016-07-112016-08-30T10:50:04Z2007-08-24NOVAES, A. R. V., Medicina Homeopática: Avaliação de Serviçohttp://repositorio.ufes.br/handle/10/5414Esta pesquisa tem como objetivo analisar os serviços e a prática homeopática inserida na Rede Pública de Saúde em Vitória, ES, e formular uma proposta para construção de parâmetros de avaliação para a Homeopatia no SUS. Para isso buscam-se conhecer os serviços homeopáticos, os médicos homeopatas, os gestores e os usuários e examinar suas inter-relações. Trata-se de um estudo exploratório tendo como referência a metodologia de triangulação de métodos que implica em combinar e cruzar múltiplos pontos de vistas, a visão de diversos informantes e o emprego de uma variedade de técnicas de coletas de dados. A primeira etapa visa a realizar um diagnóstico situacional dos serviços e conhecer os aspectos estruturais, organizacionais, gerenciais, administrativos e formas de funcionamento. A segunda e terceira etapas procuram consolidar o conhecimento dos atores sociais e compreender o processo de trabalho e, na seqüência, articulamse e cruzam-se todas as informações, identificando os principais temas que respondem às questões propostas. O conjunto de idéias e informações resultantes das entrevistas é sistematicamente detalhado, como forma de alcançar uma compreensão aprofundada do processo. Os dados quantitativos são classificados e tabulados, e das análises descritivas extraídas freqüências percentuais através do EPI-INFO e/ou SSPS que são apresentados em gráficos e tabelas. Os resultados são apresentados em capítulos que apresentam os principais aspectos da prática homeopática, ancorados no referencial teórico e nas percepções dos atores entrevistados. No primeiro capítulo abordam-se os princípios e fundamentos da homeopatia, traça-se uma retrospectiva histórica, mostrando a institucionalização da Homeopatia no Brasil, o processo de implantação na Rede Pública e as principias contribuições do modelo de atenção. A seguir pormenorizam-se os serviços homeopáticos, incluindo a análise de prontuários. O terceiro capítulo trata dos aspectos da formação médica, as peculiaridades dos homeopatas e usuários e da relação médico-paciente. O quarto discute o atual estágio da comunicação em relação à Homeopatia e examina as inter-relações nos espaços públicos. Procura-se aferir a consonância da Homeopatia com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde. No último capítulo apresenta-se uma proposta de avaliação para a Homeopatia, mediante a discussão de parâmetros que possam abalizar essa racionalidade médica. Apesar da implantação da Homeopatia há quinze anos em Vitória e da crescente demanda da população, seu acesso continua restrito. Observam-se diversos problemas estruturais e organizacionais, especialmente a falta de oferta da medicação homeopática e de investimentos do poder público nessa forma de atenção médica. A população usuária e os gestores mantêm-se consideravelmente desinformados acerca do SUS e da cultura homeopática, restringindo sua inserção institucional. A participação do controle social é praticamente inexistente, impedindo o exercício de cidadania na escolha do tipo de tratamento e como instrumento de influência popular. Dessa forma, a universalidade do acesso é comprometida devido ao baixo número de homeopatas no SUS, a despeito da concordância com o princípio da integralidade e do reconhecimento da Homeopatia como uma medicina humanizada que valoriza a relação médicopaciente e o ser humano em sua totalidade.Made available in DSpace on 2016-08-30T10:50:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_3010_2005_Ana Rita Moraes.pdf: 1278687 bytes, checksum: 1917d032f76660cf7a669485bcf0e0e6 (MD5) Previous issue date: 2007-08-24textUniversidade Federal do Espírito SantoMestrado em Saúde ColetivaPrograma de Pós-Graduação em Saúde ColetivaUFESBRMedicina Homeopática: Avaliação de Serviçoinfo:eu-repo/semantics/publishedVersioninfo:eu-repo/semantics/masterThesisreponame:Repositório Institucional da UFESinstname:Universidade Federal do Espírito Santoinstacron:UFESinfo:eu-repo/semantics/openAccessTEXTtese_3010_2005_Ana Rita Moraes.pdf.txttese_3010_2005_Ana Rita Moraes.pdf.txtExtracted texttext/plain569108http://dspace2.ufes.br/jspui/bitstream/10/5414/2/tese_3010_2005_Ana+Rita+Moraes.pdf.txt21c75aa47151b5e90f1dbc583efe1b65MD52ORIGINALtese_3010_2005_Ana Rita Moraes.pdfapplication/pdf1278687http://dspace2.ufes.br/jspui/bitstream/10/5414/1/tese_3010_2005_Ana+Rita+Moraes.pdf1917d032f76660cf7a669485bcf0e0e6MD5110/5414oai:dspace2.ufes.br:10/54142018-03-22 13:52:37.78RiUfesufes.bdtd@gmail.com
dc.title.por.fl_str_mv Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
title Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
spellingShingle Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
NOVAES, A. R. V.
title_short Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
title_full Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
title_fullStr Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
title_full_unstemmed Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
title_sort Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
author NOVAES, A. R. V.
author_facet NOVAES, A. R. V.
author_role author
dc.contributor.referee1.fl_str_mv BIOLCHINI, J. C. A.
CASTRO, D. S.
dc.contributor.advisor1.fl_str_mv SILVA, A. R.
dc.contributor.author.fl_str_mv NOVAES, A. R. V.
contributor_str_mv BIOLCHINI, J. C. A.
CASTRO, D. S.
SILVA, A. R.
dc.description.abstract.por.fl_txt_mv Esta pesquisa tem como objetivo analisar os serviços e a prática homeopática inserida na Rede Pública de Saúde em Vitória, ES, e formular uma proposta para construção de parâmetros de avaliação para a Homeopatia no SUS. Para isso buscam-se conhecer os serviços homeopáticos, os médicos homeopatas, os gestores e os usuários e examinar suas inter-relações. Trata-se de um estudo exploratório tendo como referência a metodologia de triangulação de métodos que implica em combinar e cruzar múltiplos pontos de vistas, a visão de diversos informantes e o emprego de uma variedade de técnicas de coletas de dados. A primeira etapa visa a realizar um diagnóstico situacional dos serviços e conhecer os aspectos estruturais, organizacionais, gerenciais, administrativos e formas de funcionamento. A segunda e terceira etapas procuram consolidar o conhecimento dos atores sociais e compreender o processo de trabalho e, na seqüência, articulamse e cruzam-se todas as informações, identificando os principais temas que respondem às questões propostas. O conjunto de idéias e informações resultantes das entrevistas é sistematicamente detalhado, como forma de alcançar uma compreensão aprofundada do processo. Os dados quantitativos são classificados e tabulados, e das análises descritivas extraídas freqüências percentuais através do EPI-INFO e/ou SSPS que são apresentados em gráficos e tabelas. Os resultados são apresentados em capítulos que apresentam os principais aspectos da prática homeopática, ancorados no referencial teórico e nas percepções dos atores entrevistados. No primeiro capítulo abordam-se os princípios e fundamentos da homeopatia, traça-se uma retrospectiva histórica, mostrando a institucionalização da Homeopatia no Brasil, o processo de implantação na Rede Pública e as principias contribuições do modelo de atenção. A seguir pormenorizam-se os serviços homeopáticos, incluindo a análise de prontuários. O terceiro capítulo trata dos aspectos da formação médica, as peculiaridades dos homeopatas e usuários e da relação médico-paciente. O quarto discute o atual estágio da comunicação em relação à Homeopatia e examina as inter-relações nos espaços públicos. Procura-se aferir a consonância da Homeopatia com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde. No último capítulo apresenta-se uma proposta de avaliação para a Homeopatia, mediante a discussão de parâmetros que possam abalizar essa racionalidade médica. Apesar da implantação da Homeopatia há quinze anos em Vitória e da crescente demanda da população, seu acesso continua restrito. Observam-se diversos problemas estruturais e organizacionais, especialmente a falta de oferta da medicação homeopática e de investimentos do poder público nessa forma de atenção médica. A população usuária e os gestores mantêm-se consideravelmente desinformados acerca do SUS e da cultura homeopática, restringindo sua inserção institucional. A participação do controle social é praticamente inexistente, impedindo o exercício de cidadania na escolha do tipo de tratamento e como instrumento de influência popular. Dessa forma, a universalidade do acesso é comprometida devido ao baixo número de homeopatas no SUS, a despeito da concordância com o princípio da integralidade e do reconhecimento da Homeopatia como uma medicina humanizada que valoriza a relação médicopaciente e o ser humano em sua totalidade.
description Esta pesquisa tem como objetivo analisar os serviços e a prática homeopática inserida na Rede Pública de Saúde em Vitória, ES, e formular uma proposta para construção de parâmetros de avaliação para a Homeopatia no SUS. Para isso buscam-se conhecer os serviços homeopáticos, os médicos homeopatas, os gestores e os usuários e examinar suas inter-relações. Trata-se de um estudo exploratório tendo como referência a metodologia de triangulação de métodos que implica em combinar e cruzar múltiplos pontos de vistas, a visão de diversos informantes e o emprego de uma variedade de técnicas de coletas de dados. A primeira etapa visa a realizar um diagnóstico situacional dos serviços e conhecer os aspectos estruturais, organizacionais, gerenciais, administrativos e formas de funcionamento. A segunda e terceira etapas procuram consolidar o conhecimento dos atores sociais e compreender o processo de trabalho e, na seqüência, articulamse e cruzam-se todas as informações, identificando os principais temas que respondem às questões propostas. O conjunto de idéias e informações resultantes das entrevistas é sistematicamente detalhado, como forma de alcançar uma compreensão aprofundada do processo. Os dados quantitativos são classificados e tabulados, e das análises descritivas extraídas freqüências percentuais através do EPI-INFO e/ou SSPS que são apresentados em gráficos e tabelas. Os resultados são apresentados em capítulos que apresentam os principais aspectos da prática homeopática, ancorados no referencial teórico e nas percepções dos atores entrevistados. No primeiro capítulo abordam-se os princípios e fundamentos da homeopatia, traça-se uma retrospectiva histórica, mostrando a institucionalização da Homeopatia no Brasil, o processo de implantação na Rede Pública e as principias contribuições do modelo de atenção. A seguir pormenorizam-se os serviços homeopáticos, incluindo a análise de prontuários. O terceiro capítulo trata dos aspectos da formação médica, as peculiaridades dos homeopatas e usuários e da relação médico-paciente. O quarto discute o atual estágio da comunicação em relação à Homeopatia e examina as inter-relações nos espaços públicos. Procura-se aferir a consonância da Homeopatia com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde. No último capítulo apresenta-se uma proposta de avaliação para a Homeopatia, mediante a discussão de parâmetros que possam abalizar essa racionalidade médica. Apesar da implantação da Homeopatia há quinze anos em Vitória e da crescente demanda da população, seu acesso continua restrito. Observam-se diversos problemas estruturais e organizacionais, especialmente a falta de oferta da medicação homeopática e de investimentos do poder público nessa forma de atenção médica. A população usuária e os gestores mantêm-se consideravelmente desinformados acerca do SUS e da cultura homeopática, restringindo sua inserção institucional. A participação do controle social é praticamente inexistente, impedindo o exercício de cidadania na escolha do tipo de tratamento e como instrumento de influência popular. Dessa forma, a universalidade do acesso é comprometida devido ao baixo número de homeopatas no SUS, a despeito da concordância com o princípio da integralidade e do reconhecimento da Homeopatia como uma medicina humanizada que valoriza a relação médicopaciente e o ser humano em sua totalidade.
publishDate 2007
dc.date.issued.fl_str_mv 2007-08-24
dc.date.accessioned.fl_str_mv 2016-08-30T10:50:04Z
dc.date.available.fl_str_mv 2016-07-11
2016-08-30T10:50:04Z
dc.type.status.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/masterThesis
status_str publishedVersion
format masterThesis
dc.identifier.citation.fl_str_mv NOVAES, A. R. V., Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
dc.identifier.uri.fl_str_mv http://repositorio.ufes.br/handle/10/5414
identifier_str_mv NOVAES, A. R. V., Medicina Homeopática: Avaliação de Serviço
url http://repositorio.ufes.br/handle/10/5414
dc.rights.driver.fl_str_mv info:eu-repo/semantics/openAccess
eu_rights_str_mv openAccess
dc.format.none.fl_str_mv text
dc.publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal do Espírito Santo
Mestrado em Saúde Coletiva
dc.publisher.program.fl_str_mv Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
dc.publisher.initials.fl_str_mv UFES
dc.publisher.country.fl_str_mv BR
publisher.none.fl_str_mv Universidade Federal do Espírito Santo
Mestrado em Saúde Coletiva
dc.source.none.fl_str_mv reponame:Repositório Institucional da UFES
instname:Universidade Federal do Espírito Santo
instacron:UFES
reponame_str Repositório Institucional da UFES
collection Repositório Institucional da UFES
instname_str Universidade Federal do Espírito Santo
instacron_str UFES
institution UFES
bitstream.url.fl_str_mv http://dspace2.ufes.br/jspui/bitstream/10/5414/2/tese_3010_2005_Ana+Rita+Moraes.pdf.txt
http://dspace2.ufes.br/jspui/bitstream/10/5414/1/tese_3010_2005_Ana+Rita+Moraes.pdf
bitstream.checksum.fl_str_mv 21c75aa47151b5e90f1dbc583efe1b65
1917d032f76660cf7a669485bcf0e0e6
bitstream.checksumAlgorithm.fl_str_mv MD5
MD5
repository.name.fl_str_mv RiUfes
repository.mail.fl_str_mv ufes.bdtd@gmail.com
_version_ 1623542309586993152
score 13.376173