Como estes e não outros em seu lugar? Um olhar parcial sobre as condições de existência de discursos jornalísticos acerca do aborto

Esta es una mirada parcial, responsable y políticamente interesada que, a partir de un cuerpo – femenino, no blanco, colonizado, pretende analizar las condiciones que permitieron la existencia de discursos periodísticos sobre el aborto voluntario. Llevé a cabo este trabajo tomando como base teórica...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Silva, Carolina Rodrigues Freitas e lattes
Orientador/a: Braga, Claudomilson Fernandes lattes
Banca: Braga, Claudomilson Fernandes, Dias, Luciene de Oliveira, Gonçalves, Eliane
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Goiás
Programa: Programa de Pós-graduação em Comunicação (FIC)
Department: Faculdade de Informação e Comunicação - FIC (RG)
Assuntos em Português:
Spanish Subjects:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3923
Citação:SILVA, Carolina Rodrigues Freitas e. Como estes e não outros em seu lugar? Um olhar parcial sobre as condições de existência de discursos jornalísticos acerca do aborto. 2014. 152 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Resumo Português:Este é um olhar parcial, responsável e politicamente interessado que, a partir de um corpo – feminino, não branco, colonizado, busca analisar as condições que possibilitaram a existência de discursos jornalísticos sobre o aborto voluntário. Empreendi este trabalho tendo como fundamentos teórico-metodológicos as reflexões sobre o discurso, desenvolvidas por Michel Foucault, os estudos feministas, os estudos pós-coloniais e as teorias construcionistas do jornalismo. Com base nesse arcabouço, tomei o jornalismo como uma formação discursiva moderna, regida por uma ordem específica, cujos discursos existem devido a condições sóciohistóricas. Esse pressuposto levou-me à seguinte questão-problema: como condições sóciohistóricas permitiram a existência de determinados discursos jornalísticos sobre o aborto e não de outros? O corpus de pesquisa é composto por seis textos jornalísticos sobre o aborto, produzidos pelo jornal Folha de S. Paulo entre as décadas de 1950 e 2000. Analisei estes discursos a partir de suas condições sócio-históricas de produção, considerando suas relações interdiscursivas e com outros domínios não discursivos. Os resultados mostraram que, ao longo de seis décadas, o jornalismo da Folha produziu discursos diversos, heterogêneos e contraditórios sobre o aborto, legitimados por umamultiplicidade de estratégias jornalísticas. Esse campo de possibilidades estratégicas permitiu ao discurso jornalístico produzir não somente positividades, mas silêncios também. As análises apontaram que o discurso jornalístico da Folha sobre o aborto não pode ser dissociado dos limites colocados por uma economia política dos discursos, gerida pelas correlações de poder. Nesse processo, o jornalismo se constitui em instrumento para e efeito da construção de uma hegemonia moderna, que busca colonizar e silenciar corpos marcados com a diferença. Contudo, ele está aberto às transformações, suscitadas pelo próprio discurso.
Resumo inglês:Esta es una mirada parcial, responsable y políticamente interesada que, a partir de un cuerpo – femenino, no blanco, colonizado, pretende analizar las condiciones que permitieron la existencia de discursos periodísticos sobre el aborto voluntario. Llevé a cabo este trabajo tomando como base teórica y metodológica reflexiones sobre el discurso, desarrolladas por Michel Foucault, los estudios feministas, los estudios postcoloniales y las teorías constructivistas del periodismo. Basándome en este andamiaje, tomé el periodismo como una formación discursiva moderna regida por un orden específico, cuyos discursos existen debido a las condiciones socio-históricas. Esta hipótesis me ha llevado a la siguiente preguntaproblema: ¿cómo las condiciones socio-históricas permitieron la existencia de ciertos discursos periodísticos sobre el aborto y no de otros? El corpusde investigación se compone de seis artículos de prensa sobre el aborto, producidos por el diario Folha de S. Paulo entre los años 1950 y 2000. Analicé estos discursos a partir de sus condiciones socio-históricas de producción, teniendo en cuenta sus relaciones interdiscursivas y con otros dominios no discursivos. Los resultados mostraron que, a lo largo de seis décadas, el periodismo del Folha de S. Paulo ha producido dicursos diversos, heterogéneosy contradictorios sobre el aborto, legitimados por una multitud de estrategias periodísticas. Este campo de posibilidades estratégicas ha permitido al discurso producir no sólo positividades, pero silencios también. Los análisis mostraron que el discurso periodístico del Folha sobre el aborto no puede disociarse de los límites impuestos por una economía política de los discursos, gestionada por las correlaciones de poder. En este proceso, el periodismo se constituye en herramienta para y efecto de la construcción de una hegemonía moderna que trata de colonizar y silenciar a los cuerpos marcados con la diferencia. Sin embargo, él está abierto a los cambios, planteados por el propio discurso.