Efeitos da redução da ingestão de sal sobre a pressão arterial em normotensos, pré-hipertensos e normotensos

Introduction: The effects of salt intake reduction on casual blood pressure (BP) among hypertensive patients have been widely studied. However, there are few data about this issue in the context of arterial stiffness, as well as in normotensive and pre-hypertensive subjects. Objective:To evaluate th...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: Arantes, Ana Carolina lattes
Orientador/a: Sousa, Weimar Kunz Sebba Barroso de lattes
Co-advisor: Souza, Ana Luiza lima lattes
Banca: Souza, Weimar Kunz Sebba Barroso, Jardim, Thiago de Souza Veiga, Jacinto, Carolina Lobo de Almeida Barros, Vitorino, Priscila Valverde de Oliveira, Jardim, Paulo César Brandão Veiga
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Goiás
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM)
Department: Faculdade de Medicina - FM (RG)
Assuntos em Português:
Assuntos em Inglês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7904
Citação:ARANTES, Ana Carolina. Efeitos da redução da ingestão de sal sobre a pressão arterial em normotensos, pré-hipertensos e normotensos. 2017. 113 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.
Resumo Português:Introdução: Os efeitos da redução na ingestão de sal sobre a pressão arterial casual de hipertensos já foram amplamente estudados, entretanto essa análise ainda é escassa no contexto da rigidez arterial e em indivíduos normotensos e pré-hipertensos. Objetivo: Avaliar os efeitos da redução progressiva na ingestão do sal de adição (de 6 gramas/dia para 4 gramas/dia) sobre os valores dapressão periférica e central assim como a rigidez arterial em normotensos, pré-hipertensos e hipertensos. Metodologia: Ensaio clínico, simples cego, com 13 semanas de seguimento e intervalo de 4 semanas entre as consultas, realizado com trabalhadores técnico-administrativos e docentes universitários. Critérios de inclusão: idade entre 20 a 60 anos, para ambos os sexos e refeição principal (almoço e/ou jantar) em casa no mínimo 4x/semana. Critérios de exclusão: pressão arterial (PA) ≥160/100 mmHg, uso de dois ou mais medicamentos anti-hipertensivos, hipertensão secundária; diabéticos, história de infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral nos últimos 6 meses e necessidade de alguma dieta especial. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da instituição e os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O recrutamento foi realizado no local de trabalho, aplicando-se questionários sobre hábitos alimentares, medidas antropométricas e medida casual da PA com o aparelho automático OMRON 705CP. Os participantes foram classificados, de acordo com a medida casual da pressão arterial, em normotensos (≤130/85 mmHg), pré-hipertensos (130-139/85-89 mmHg) e hipertensos estágio I (≥140-159/90-99 mmHg). As variáveis avaliadas foram a medida casual, monitorização residencial da pressão arterial (MRPA), medida central da pressão arterial (PAC) por tonometria com o aparelho sphygmocor, sódio urinário de 24h e mensuração do sal de adição. Os participantes foram orientados a reduzir o consumo de alimentos com alto teor de sódio e o sal de adição utilizado no período do seguimento foi controlado com a entrega em embalagens individuais, para o consumo diário familiar. A adesão ao protocolo foi avaliada pelo controle das embalagens e pesagem do sal de adição retornado em cada visita. Os dados foram estruturados e analisados no programa Stata versão 12. Foram utilizadas frequências absolutas e relativas para análise estatística descritiva e mediana e intervalo inter-quartil ou média e desvio padrão, para as variáveis categóricas e quantitivas. A distribuição dos dados foi analisada pelo teste Shapiro-Wilk; para a comparação entre grupos na V1B foram realizados os testes de Kruskal-Wallis e Exato de Fisher; comparação intra grupo foi feita antes e após a intervenção pelos testes de Wilcoxon e t-Student pareado; correlação entre valores de PA e níveis de sódio urinário via teste de Spearman. Para todos os testes considerou-se o nível de significância em 5% e intervalo de confiança de 95%. Resultados: Foram avaliados 55 participantes com intervalos de 04 semanas, 32 do sexo masculino (mediana de 48 anos) sendo 18 normotensos, 15 pré-hipertensos e 22 hipertensos, redução progressiva no sal de adição a cada visita de 6 até 4 gramas ao dia. Os grupos foram semelhantes em relação a idade e sexo. Não houve diferença entre medidas de pressão arterial e excreção de sódio antes e depois da intervenção. Os parâmetros de rigidez arterial também não sofreram alterações significativas. Conclusão: A redução gradativa da ingestão de sal de adição num seguimento de 13 semanas não foi capaz de reduzir de maneira significativa os valores periféricos e centrais da pressão arterial.
Resumo inglês:Introduction: The effects of salt intake reduction on casual blood pressure (BP) among hypertensive patients have been widely studied. However, there are few data about this issue in the context of arterial stiffness, as well as in normotensive and pre-hypertensive subjects. Objective:To evaluate the effects of progressive reduction in intake of the addition salt (from 6 grams / day to 4 grams/day) on peripheral and central pressure values as well as arterial stiffness in normotensive, prehypertensive and hypertensive. Methodology: This is an interventional, single-blind clinical trial, with 13 weeks of follow-up and 4 weeks interval between evaluations, performed with technical-administrative workers and teachers from a public university. Inclusion criteria were age between 20 and 60 years, both genders and which meal at home at least 4 times per week. Exclusion criteria were BP ≥160/100 mmHg, using two or more antihypertensive drugs, secondary hypertension; diabetes, history of myocardial infarction or stroke in the last 6 months, and special need diet. This study was approved by the institution’s Ethics Committee and all the participants signed the informed consent form. Recruitment was performed at the workplace, with a questionnaire about dietary habits, anthropometric and casual BP measurement (OMRON 705CP automatic device). According to the BP levels, participants were classified as normotensive (≤130/85 mmHg), pre-hypertensive (130-139/85-89 mmHg) and hypertensive stage I (≥140- 159/90-99 mmHg). The other evaluated variables were home blood pressure monitoring (HBPM), central blood pressure (CBP) measurement by tonometry (SphygmoCor® system), 24-hour urinarysodium, and dietary salt intake. The participants were instructed to reduce the consumption of foods with high sodium content. The addition of salt used during the follow-up was controlled by delivering individual packages for daily family consumption. The protocol adherence was evaluated by controlling the returned packages at each visit. The data were structured and analyzed using Stata software (version 12). Descriptive analysis was performed using relative and absolute frequencies, as well as median and interquartile range or mean and standard deviation for distribution of categorical and quantitative variables, respectively. For comparison between groups at visit 1, Kruskal-Wallis and Fisher's Exact tests were used. The comparison between the groups was done before and after the intervention using Wilcoxon test and paired Student T test. The correlation between BP values and urinary sodium levels was performed using the Spearman test. For all tests, the significance level was set at 5% and the confidence interval was 95%. Results: Fifty-five participants were evaluated, 32 males (median age 48 years). According to BP values, 18 were normotensive, 15 pre-hypertensive and 22 hypertensive. The salt of addition was reduced at each visit from 6 to 4 g/day. The groups are similar in relation to age and sex. There was no difference between blood pressure measurements and sodium excretion before and after the intervention. The parameters of arterial stiffness also did not suffer. Conclusion: Gradual reduction of addition salt intake in a 13-week follow-up is not able to reduce the loss of danger and mean values of blood pressure.