O processo de aquisição da escrita na deficiência intelectual leve: um estudo de caso

This research is a case study which proposes to analyze the process of written language acquisition of a ten year old subject, who has light Intellectual Deficiency (ID) in order to verify how literacy, through textual productions, influences learning when memory is compromised. Besides that, this s...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2019
Main Author: Teles, Sabrina Lourenço lattes
Orientador/a: Sousa Filho, Sinval Martins de lattes
Banca: Sousa Filho, Sinval Martins de, Cerqueira, Mirian Santos de, Moura, Elisandra Filetti
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Goiás
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Department: Faculdade de Letras - FL (RG)
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9796
Citação:TELES, S. L. O processo de aquisição da escrita na deficiência intelectual leve: um estudo de caso. 2019. 180 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Resumo Português:Esta pesquisa é um estudo de caso que propõe analisar o processo de aquisição de linguagem escrita pelo qual passa um sujeito de 10 anos de idade, portador de Deficiência Intelectual (DI) leve, a fim de verificar como o letramento, a partir de produções textuais influencia na aprendizagem quando a memória se mostra comprometida. Além do mais, este estudo visa contribuir para o ensino e aprendizagem escolar de pessoas com DI. No trabalho pedagógico adificuldade é despertar o interesse desses alunos para a aprendizagem de leitura e escrita. Esta dissertação está fundamentada teoricamente na perspectiva sócio-histórico-cultural, cuja linguagem é entendida como interação, que se fundamenta em aspectos históricos sociais, culturais e biológicos, sendo ela adquirida e aperfeiçoada nas cenas de interação construídas nas relações discursivas entre os seres humanos. Tal concepção mostra a natureza social da linguagem, resultante das construções coletivas por meio de processos de interação. A partir dos estudos de Vygotsky, a linguagem passa a ser entendida como fator constituinte do ser humano, tendo as funções social e comunicativa, possibilitando o contato entre os indivíduos, e a perpetuação de formas culturalmente determinadas através do uso da linguagem. O caráter sociointeracionista da linguagem se dá pela natureza discursiva da língua, a qual não pode ser desvinculada de seus falantes, de suas produções e dos contextos sociais cercados por valores ideológicos. Essa concepção inclui a categoria da Linguística Textual ao considerar o estudo das palavras, frases relacionadas ao texto com um todo, o contexto sócio-histórico de produção, os usuários enquanto produtores de textos. Ao produzirmos texto estamos fazendo o uso social da linguagem, materializada em diferentes contextos de produções, geradores de gêneros textuais e/ou discursivos, determinados por suas condições de produção e por seus produtores. Nossa análise considera as condições biológicas, sociais e culturais do produtor dos textos e as particularidades envolvidas no processo de desenvolvimento da linguagem escrita do deficiente intelectual. Para isso, fundamentamo-nos em alguns autores como Vygotsky (1997), Pino (2005), Pfanner e Marcheschi (2008), Braggio (1995), Abaurre (1997), entre outros. Especificamente sobre o desenvolvimento cognitivo para aprendizagem, recorremos a Consenza e Guerra (2011), Lent (2005), Bear (2008). No que se refere à aquisição de Linguagem apoiamo-nos em Vygotsky (2007, 2008). No que diz respeito ao letramento, pautamo-nos em Kleiman (1995). Na análise do material de pesquisa dentro da perspectiva da linguística textual, recorremos aos estudos de Koch e Travaglia (1993), Koch (1987, 2011, 1989), entre outros autores. Os critérios de análise dos textos foram estabelecidos considerando o nível de conhecimento linguístico quanto às palavras, frases e aos elementos gramaticais para a formação de textos coesos e coerentes. Também, analisamos os questionários respondidos por B, pela mãe dele, pelas professoras regente, e de apoio. As perguntas foram direcionadas à investigação da influência dos aspectos sociais, familiares e escolares na vida do pesquisado. Os resultados deixam evidentes que quanto mais os meios sociais se organizam para estimular o desenvolvimento cognitivo do deficiente intelectual leve, maiores serão as possibilidades de ele se emancipar e se ajustar dentro de sua configuração social.
Resumo inglês:This research is a case study which proposes to analyze the process of written language acquisition of a ten year old subject, who has light Intellectual Deficiency (ID) in order to verify how literacy, through textual productions, influences learning when memory is compromised. Besides that, this study aims to contribute to formal teaching and learning of people with ID. In the pedagogical work, the difficulty is to awaken the interest of such students to learn writing and reading. It can be light, moderate or severe. This thesis is theoretically based on the socio- historical-cultural perspective, where language is understood as interaction, based on historical, social, cultural and biological aspects, being acquired and perfected in interaction scenes built in discursive relations between human beings. This conception shows the social nature of language which results from collective constructions through interactional processes. From the studies of Vygotsky, the language is seen as a constitute factor of the human being, having social and communicative functions, allowing contact between individuals and the perpetuation of culturally determined forms through language use. The sociointeractionist character of language is also included, which means it cannot be separated from its speakers, their productions and social contexts surrounded by ideological values. This conception includes the category of Textual Linguistics, once it considers the study of words, sentences related to a text as a whole unit, the social-historical context of production, and the language users as text producers. When we produce a text, we are making use of social language, materialized into different production, generator of textual or discursive genres determined by their conditions of production and their producers. Out text analyzes consider the social, cultural and biological conditions of texts producers, and the specificities involved in the process of developing the written language of the intellectual deficient. In order to do this, this research is based on the writings of Vygotsky (1997), Pino (2005), Pfanner and Marcheschi (2008), Braggio (1995), Aubarre (1997) and others.Specifically about the cognitive development of learning, we went to Consenza and Guerra (2011), Lent (2005), Bear (2008). To talk about language acquisition, we based the study on Vygotsky (2007, 2008) and regarding literacy, we relied on Kleiman (1995). In the analysis of the research material concerning Textual Linguistics, we used the works by Koch and Travaglia (1993), Koch (1987, 2011, 1989), among others. The criteria for the analysis of the written text was established considering the level of linguistic knowledge about words, sentences and grammar elements to the writing of coherent and cohesive texts. Also, we analyzed the questionnaires answered by B, the subject’s mother, by the teachers and the auxiliary teachers. The questions were directed to the investigation of social, school and familiar influences in the subject’s life. The results make clear that the more the environments organize themselves to stimulate the development of a person with light ID, the bigger the possibilities of this person being emancipated and adjusting in the existing social configuration.