Avaliação do potencial in vitro e in vivo de tiossemicarbazida, tiossemicarbazida em nanopartícula de quitosana e tiossemicarbazida derivada do canfeno como antifúngico sobre Candida albicans

Candidiasis is a serious health problem that affects a large number of people arround the world. The treatment of this disease is carried out with antifungals, which do not provide an effective cure, besides having resistance reports and high toxicity. In this context, it is necessary to study new a...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2016
Main Author: Araújo, Deize Evangelista lattes
Orientador/a: Pereira, Maristela lattes
Banca: Pereira, Maristela, Amaral, André Corrêa, Fernandes, Orionalda Fátima Lisboa, Ribeiro, Evandro leão, Borges, Clayton Luiz
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Goiás
Programa: Programa de Pós-graduação em Genética e Biologia Molecular (ICB)
Department: Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8656
Citação:ARAÚJO, Deize Evangelista. Avaliação do potencial in vitro e in vivo de tiossemicarbazida, tiossemicarbazida em nanopartícula de quitosana e tiossemicarbazida derivada do canfeno como antifúngico sobre Candida albicans. 2016. 91 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Biologia Molecular) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.
Resumo Português:A candidíase constitui um sério problema de saúde, pois é uma doença que atinge uma grande parcela da população mundial. O tratamento dessa doença é realizado com antifúngicos, que, muitas vezes, não garantem uma cura efetiva, além de apresentarem relatos de resistência e alta toxicidade. Nesse âmbito, faz-se necessário o estudo de novos compostos antifúngicos. Aliado a isso, a forma de liberação de fármacos no organismo vivo é também alvo de pesquisas, uma vez que a liberação controlada de fármacos em sistemas biológicos pode melhorar a forma de ação dos mesmos. Para tanto, os sistemas nanoestruturados, como as nanopartículas de quitosana, têm sido amplamente estudados como meios de liberação controlada de princípios ativos. Sendo assim, esse trabalho teve como objetivo a avaliação do potencial antifúngico de tiossemicarbazida (TSC), tiossemicarbazida-canfeno (TSC-C) e de nanopartículas de quitosana incorporadas com tiossemicarbazida (nanoTSC) contra Candida albicans. Nos ensaios in vitro, os compostos foram eficientes em inibir quase 100% do crescimento do fungo em concentrações de 1,37 mM para TSC, 0,02 mM para TSC-C e 0,27 mM para nanoTSC, sendo que o composto mais eficiente foi TSC-C. NanoTSC e nanopartículas vazias também foram avaliadas quanto a toxicidade celular, sendo que não foi observada atividade citotóxica na concentração capaz de inibir o crescimento do fungo. Para avaliar a atuação dos compostos in vivo, foram realizados experimentos utilizando um modelo animal para candidíase vulvovaginal. Os resultados mostraram que TSC-C apresentou maior eficiência no tratamento de candidíase vulvovaginal em comparação com TSC e nanoTSC, porém foi menos eficiente do que miconazol. No entanto, a análise histopatológica mostrou que os grupos tratados com os compostos em estudo, apresentaram menor intensidade de danos ao epitélio vaginal e infiltrados inflamatórios, se comparados com o controle positivo e com o grupo tratado com miconazol. Dessa maneira, os resultados apresentados sugerem que TSC, nanoTSC e TSC-C são compostos promissores para o tratamento da candidíase vulvovaginal.
Resumo inglês:Candidiasis is a serious health problem that affects a large number of people arround the world. The treatment of this disease is carried out with antifungals, which do not provide an effective cure, besides having resistance reports and high toxicity. In this context, it is necessary to study new antifungal compounds. In addition, the delivery form of the compounds in the living organism is also target of research, since the controlled release of compounds in biological systems can improve the mode of action of many drugs. Therefore, nanostructured systems, such as nanoparticles of chitosan, have been widely studied as controlled delivery of drugs. Then, this study aimed to evaluate the antifungal potential against Candida albicans of thiosemicarbazide (TSC), thiosemicarbazide-camphene (TSC-C) and chitosan nanoparticles incorporated with thiosemicarbazide (nanoTSC). In in vitro assays, the compounds were effective to inhibit nearly 100% of the fungus in concentrations of 1,37 mM to TSC, 0,02 mM to TSC-C and 0,27 mM to nanoTSC, and the most effective compound was TSC-C. NanoTSC and empty nanoparticles were also evaluated as to cell toxicity, and the concentration able to inhibit the fungus showed no cytotoxic activity. To confirm the values observed in in vitro assays, experiments were conducted using an animal model for vulvovaginal candidiasis. The results showed that TSC-C was more efficient in inhibiting C. albicans compared with TSC and nanoTSC, but was less effective than miconazole. However, histopathological analysis showed that the groups treated with the compounds under study, showed less intensity of damage to the vaginal epithelium and inflammatory infiltrates, compared with the positive control and the group treated with miconazole. Thus, the results suggest that TSC, nanoTSC and TSC-C are promising compounds in the treatment of vulvovaginal candidiasis.