Formação continuada de professores de química e o ensino experimental na perspectiva do professor reflexivo

O ensino de ciências e em especial o ensino de química, vinha sendo pensado em uma perspectiva utilitarista. Na última década com o desenvolvimento da área de Educação em Ciências cresce a tendência de adotarmos uma perspectiva de Educação Científica mais ampla no que tange à valorização de aspectos...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Pyramides, Christiani Marcelo Machado lattes
Orientador/a: Lopes, José Guilherme da Silva lattes
Banca: Costa, Luiz Antônio Sodré lattes, Araujo Neto, Waldmir Nascimento de lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Juiz de Fora
Programa: Programa de Pós-graduação em Química
Department: ICE – Instituto de Ciências Exatas
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/784
Resumo Português:O ensino de ciências e em especial o ensino de química, vinha sendo pensado em uma perspectiva utilitarista. Na última década com o desenvolvimento da área de Educação em Ciências cresce a tendência de adotarmos uma perspectiva de Educação Científica mais ampla no que tange à valorização de aspectos históricos e sociais que contribuam para a formação de sujeitos críticos, autônomos e participativos; preparando-os para atuarem na sociedade de maneira mais efetiva. No que diz respeito à formação de professores, na década de 80, surgiu um movimento denominado “O professor reflexivo” que visa a formação profissional para atuação neste novo contexto. Este movimento se caracteriza pela formação por meio da reflexão e problematização do conhecimento tácito visando a produção de respostas aos problemas de natureza complexa encontrados durante a ação profissional. Considerando este cenário, como podemos contribuir para a formação continuada de professores de química, favorecendo a reflexão sobre sua prática tornando-os mais conscientes e críticos? Visando contribuir com a formação de professores a UFJF promoveu no ano de 2011 o curso intitulado: “O uso da experimentação no Ensino de Química”, foi a referência para a presente investigação. Os dezenove professores que participaram do curso foram os sujeitos desta pesquisa. A metodologia utilizada foi de natureza qualitativa, aportada nos pressupostos teóricos da pesquisa Colaborativa. A análise dos dados foi realizada com base nos pressupostos teóricos da “Análise de Conteúdo”. A pesquisa se desenvolveu em duas Etapas. Na Etapa I, foi realizado o levantamento das concepções sobre o ensino de ciências e o ensino de química experimental e foram selecionados dois professores, P1 e P2, para a Etapa II, caracterizada por um processo de reflexão crítica individual à partir do Ciclo de Reflexão sugerido por Smyth (1992), constituído por quatro ações: o descrever; o informar; o confrontar; o reconstruir. Observamos na Etapa I que os professores compreendem o ensino de ciências por um viés utilitarista, além de serem dependentes dos livros didáticos para o planejamento de suas aulas. Na Etapa II, concluímos que a reflexão crítica, possibilitou a P1 e P2, a tomada de consciência sobre suas ações, abrindo espaço para se constituírem como sujeitos e agentes de transformação. Assim, defendemos a reflexão crítica como um caminho capaz de contribuir para a aproximação entre teoria e prática, além da explicitação do conhecimento tácito destes profissionais como condição essencial para a mudança da prática docente.
The teaching of science and in particular the teaching of Chemistry had been designed in a utilitarian perspective. In the last decade with the development of the field of Education Sciences, the tendency to adopt a broader perspective Science Education regarding to the recovery of historical and social aspects that contribute to the formation of critical, participatory and autonomous subjects has grown, preparing them to act more effectively in society. Regarding to teacher training, in the 80s, a movement called “The reflective teacher " which aims at training to operate in this new context has emerged . This movement is characterized by the formation through reflection and questioning of tacit knowledge in order to produce answers to the complex nature of problems found in professional action. Given this scenario, how can we contribute to the continuing education of teachers of Chemistry, encouraging reflection on their practice making them more aware and critical? To contribute to the training of teachers, Federal University of Juiz de Fora promoted in 2011 the course entitled: “O uso da experimentação no Ensino de Química”, which was the reference for this investigation. Therefore, nineteen teachers who attended the course were the subjects of this research. The methodology was qualitative, the theoretical principles of Collaborative Research. Data analysis was based on the theoretical principles of “content analysis“. The research was developed in two steps. In Step I, the survey of conceptions of teaching science and the teaching of experimental Chemistry was performed and two teachers , P1 and P2 were selected for Phase II , characterized by a process of individual reflection from the Cycle reflection suggested by Smyth (1992 ) , consisting of four actions : describe , inform , confront , the rebuild. Observed in Phase I that teachers understand the teaching of science by utilitarian bias, besides being dependent on educational planning their lessons books. In Phase II, we conclude that critical reflection enabled P1 and P2, the awareness of their actions, making room to be constituted as subjects and agents of change. Thus, we defend the critical thinking as a way capable to contribute to closer ties between theory and practice, beyond the explicit tacit knowledge of these professionals as essential for changing teaching practice condition.