Gestão da estratégia saúde da família: o desafio de consolidar a intersetorialidade

A Estratégia Saúde da Família destaca-se como estratégia de construção de um novo modelo de saúde pautado na perspectiva do direito e em conceitos como a integralidade e a intersetorialidade. Este último destaca-se como diretriz essencial da Estratégia, sem o qual não é possível atuar com base no co...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2013
Main Author: Barra, Sabrina Alves Ribeiro lattes
Orientador/a: Oliveira, Lêda Maria Leal de lattes
Banca: Franco, Tulio Batista lattes, Souza, Édina Evelyn Casali Meireles de lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Juiz de Fora
Programa: Programa de Pós-graduação em Serviço Social
Department: Faculdade de Serviço Social
Assuntos em Portugês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/1045
Resumo Português:A Estratégia Saúde da Família destaca-se como estratégia de construção de um novo modelo de saúde pautado na perspectiva do direito e em conceitos como a integralidade e a intersetorialidade. Este último destaca-se como diretriz essencial da Estratégia, sem o qual não é possível atuar com base no conceito ampliado de saúde, considerando os múltiplos fatores que interferem no processo saúde/doença. A integração da Estratégia às diferentes políticas demanda a existência de mecanismos institucionais e de gestão que garantam os meios para a sua efetivação. A partir dessas reflexões, este estudo buscou analisar a intersetorialidade na gestão da Estratégia Saúde da Família em Juiz de Fora/MG, buscando compreender como se materializa atualmente a intersetorialidade na Estratégia em Juiz de Fora/MG, e identificar os instrumentos de gestão utilizados pela gestão da ESF no município para viabilizar a intersetorialidade. A metodologia utilizada pautou-se na abordagem qualitativa, a partir da pesquisa de campo realizada junto aos principais sujeitos envolvidos com a gestão da ESF no munícipio: supervisores das Unidades de Saúde da Família, conselheiros municipais de saúde e, subsecretario APS/ coordenador da ESF. Os resultados do estudo mostraram que a intersetorialidade ainda encontra um longo caminho a avançar, tanto no campo da gestão quanto do cotidiano das práticas das equipes de saúde da família. Percebe-se a ausência de um projeto de gestão intersetorial que perpasse o município como um todo. Há a necessidade de avançar na definição de mecanismos de gestão intersetoriais que garantam uma maior articulação no nível da gestão e que subsidiem as práticas das USF. Trata-se de um enorme desafio, cuja superação requer o envolvimento de gestores, profissionais e usuários na construção de uma gestão democrática e comprometida com a integralidade da assistência.
Family Health Strategy is a remarkable strategy for building a new model of healthcare assistance. Such model is based on the perspective of rights and also based on the concept of integrality and intersectoriality. By the way, intersectoriality is a major guideline on the Strategy, without which we can not understand healthcare on a broad perspective, given the multiple factors that interfere in the process health/disease. The implementation of the Strategy on policies in general demand institutional mechanisms for its effectiveness. Based on these points above, the present study focuses on analysing the intersectoriality at Family Health Strategy in Juiz de Fora, its implementation in the city and the tools being currently used to promote such concept in Juiz de Fora. The methodology we used here lies on qualitative approach, which comes out of a field work that we did along with reputable healthcare professionals involved in promoting FHS. These professionals comprise healthcare assistance unit managers, family healthcare counselors and FHS coordinators. The results shown by this study appoint that intersectoriality still has a long way to go, not only in its proper management policies but also in the everyday life of healthcare professionals. It is possible to notice the lack of intersectorial projects that involve the whole city. Moreover, there must be more mechanisms to bring intersectorial ideas into everyday activities at FHS. This is a major challenge and the way to overcome it is involving managers, professionals and healthcare assistance users in the building of a democratic management in order to achieve the fulfillness of healthcare assistance.