Síntese de diaminas e amino álcoois, potenciais agentes leishmanicidas

Leishmaniose é uma infecção causada por parasitas protozoários que pertencem ao gênero Leishmania. Esta doença é endêmica em países tropicais dos continentes americano, asiático e africano, com aproximadamente 1,5-2 milhões de casos por ano em 88 países. A severidade dessa doença varia amplamente e...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2007
Main Author: Costa, Cristiane França da lattes
Orientador/a: Almeida, Mauro Vieira de lattes
Banca: Gil, Rossimiriam Pereira de Freitas ou Pereira de Freitas lattes, Silva, Antonio Jorge Ribeiro da lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Programa: Programa de Pós-graduação em Química
Department: ICE – Instituto de Ciências Exatas
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/4413
Resumo Português:Leishmaniose é uma infecção causada por parasitas protozoários que pertencem ao gênero Leishmania. Esta doença é endêmica em países tropicais dos continentes americano, asiático e africano, com aproximadamente 1,5-2 milhões de casos por ano em 88 países. A severidade dessa doença varia amplamente e as manifestações clínicas em humano acontecem em três formas principais: a leishmaniose cutânea que é a mais comum; a leishmaniose mucocutânea, que causa danos nos tecidos da boca e nariz; e a leishmaniose visceral que é a mais séria, podendo ser fatal se não for tratada. Com o objetivo de desenvolver novas moléculas que possam atuar como agentes leishmanicidas, neste trabalho foram sintetizados, caracterizados e avaliados biologicamente diferentes diaminas e amino álcoois N-alquilados com diversas cadeias carbônicas. Essas diaminas e amino álcoois N-alquilados foram obtidos a partir de álcoois de cadeia longa ou do cloreto de n-octila. Estes álcoois foram inicialmente tratados com cloreto de metanosulfonila em diclorometano e piridina fornecendo os correspondentes mesilatos de alquila. As diaminas e amino álcoois foram preparados a partir da substituição do grupo mesila destes compostos ou do átomo de cloro do cloreto de n-octila pelas diaminas (1,2 etanodiamina, 1,3-propanodiamina, 1,4-butanodiamina ou 1,6-hexanodiamina) e amino álcoois (2-amino-etanol, 3-amino-1-propanol, dietanolamina ou 2-amino-2-metil-1-propanol). As estruturas dos produtos obtidos foram elucidadas pelos seus espectros de infravermelho, RMN de 1H e de 13C. As diaminas e amino álcoois derivados do 1-dodecanol apresentaram atividades contra L. amazonensis e L. chagasi bastante promissoras. Os compostos N-dodecil-1,2-etanodiamina e N-decil-1,3-propanodiamina foram 7,3 e 2,6 vezes, respectivamente, mais ativos que a droga de referência anfotericina B contra formas promastigotas de L. chagasi.
Leishmaniasis is an infection caused by protozoan parasites belonging to the genius Leishmania. This disease is endemic to the American, Asian and African tropical countries with an estimated 1.5-2 million cases per year in about 88 countries. The severity of the disease species varies widely and the clinical manifestations in human occur in three major forms: the most common cutaneous leishmaniasis; mucocutaneous leishmaniasis, causing tissue damages to nose and mouth; and the most serious visceral leishmaniasis, which is fatal if untreated. Aiming the development of new molecules which can act as leishmanicidal agents, we describe in this work the preparation, characterization and leishmanicidal evaluation of several N-alkyl diamines and amino alcohols, bearing different carbonic chains. These diamines and amino alcohols were obtained from long chains alcohols or n octyl chloride. These alcohols were initially treated with methanesulfonyl chloride in dichlorometane and pyridine, leading to the corresponding alkyl mesylates. The diamines and amino alcohols were prepared by substitution of the mesyl group or of chlorine atom of n octyl chloride by diamines (1,2-ethanediamine, 1,3-propanediamine, 1,4-butanediamine or 1,6-hexanediamine) or amino alcohols (2-amino-ethanol, 3-amino-1-propanol, diethanolamine or 2-amino-2-methyl-1-propanol). The structures of the obtained compounds were elucidated by infrared spectroscopy, 1H and 13C NMR. The diamines and amino alcohols derivated from 1-dodecanol showed a very good activity against L. amazonensis and L. chagasi. Compound N-dodecyl-1,2- ethanediamine and N-decyl-1,3-propanediamine were 7.3 and 2.6 times, respectively, more active than the reference drug amphotericin B against L. chagasi promastigote form.