Estudo teórico de interações não covalentes entre complexos trinucleares de platina (II) e DNA

Câncer é um processo de crescimento e disseminação incontrolado de células e tem sido considerado como uma questão de saúde pública. Os compostos polinucleares de Platina (II) têm se mostrado muito promissores contra células cancerosas devido a interações mais rápidas e efetivas em comparação com os...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2017
Main Author: Paixão, Nathália Magalhães lattes
Orientador/a: Costa, Luiz Antônio Sodré lattes
Banca: Lopes, Juliana Fedoce lattes, Fontes, Ana Paula Soares lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Programa: Programa de Pós-graduação em Química
Department: ICE – Instituto de Ciências Exatas
Assuntos em Portugês:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/4505
Resumo Português:Câncer é um processo de crescimento e disseminação incontrolado de células e tem sido considerado como uma questão de saúde pública. Os compostos polinucleares de Platina (II) têm se mostrado muito promissores contra células cancerosas devido a interações mais rápidas e efetivas em comparação com os compostos mononucleares, como por exemplo, o complexo BBR3464. A partir disso, diversos estudos vêm sendo realizados com intuito de descrever os modos de interação de tais compostos. Este trabalho tem como objetivo fornecer um estudo teórico sistemático do complexo trinuclear de platina (II), AH78, através do uso de diferentes níveis de cálculo. Os compostos trinucleares de platina (II) estudados nesse trabalho não são capazes de formar ligações covalentes com o DNA, interagindo através da formação de grampos de fosfato, que são preferencialmente interações de hidrogênio e eletrostáticas. Dessa forma, este trabalho teve como motivação avaliar a interação dos complexos trinucleares de platina (II) não covalentes com o DNA por meio da formação de grampos de fosfato, analisadas através de modelos miméticos demonstrando presença de tais interações a partir de uma análise mais rápida e eficaz. Foram obtidas estruturas contendo uma fração de DNA que contém 6 pares de bases nitrogenadas e o complexo AH78, utilizando o método ONIOM, que comprovam a existência dos grampos de fosfato entre o complexo e o DNA.
Cancer is a process of uncontrolled growth and spread of cells and has now been considered a public health issue. Polynuclear Platinum (II) Complexes (PPCs) have shown very promising against cancer cells because of faster and more effective interactions compared to mononuclear compounds, such as the BBR3464 complex. From this, several studies have been carried out to describe the modes of interaction of such compounds. This work provides an extensive and systematic theoretical study of the platinum (II) trinuclear complex, AH78, using different base set functions for C, N and H atoms, including diffusive and polarization functions and different ECPs for platinum. The platinum (II) trinuclear compounds studied in this work are not able to form covalent bonds with DNA, interacting by the formation of phosphate bonds, which are preferably hydrogen type and electrostatic interactions. Thus, this work had the motivation to evaluate the interaction of non-covalent platinum (II) trinuclear complexes with DNA by means of the formation of phosphate clamps, analyzed using mimetic models, demonstrating that the presence of such interactions from a faster analysis is efficient. Structures containing a DNA fraction were obtained with six purine base pairs and AH78 complex using the ONIOM method, which demonstrate the existence of the phosphate clamps between the complex and the DNA.