Investigação sobre o pensamento docente espontâneo na formação inicial de licenciandos em química da Universidade Federal de Juiz de Fora

Esta investigação teve como foco os saberes docentes de estudantes ingressantes no curso de licenciatura em química noturno da Universidade Federal de Juiz de Fora. Visando a compreensão sobre como esses saberes são construídos e suas características, foram utilizados os referenciais teóricos de Mau...

Nível de Acesso:openAccess
Publication Date:2014
Main Author: Silva Junior, Luiz Alberto da lattes
Orientador/a: Lopes, José Guilherme da Silva lattes
Banca: Quadros, Ana Luiza de lattes, Costa, Luiz Antônio Sodré lattes
Format: Dissertação
Language:por
Published: Universidade Federal de Juiz de Fora
Programa: Programa de Pós-graduação em Química
Department: ICE – Instituto de Ciências Exatas
Assuntos em Português:
Áreas de Conhecimento:
Online Access:https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/855
Resumo Português:Esta investigação teve como foco os saberes docentes de estudantes ingressantes no curso de licenciatura em química noturno da Universidade Federal de Juiz de Fora. Visando a compreensão sobre como esses saberes são construídos e suas características, foram utilizados os referenciais teóricos de Maurice Tardif, Rafael Porlán, Selma Pimenta, bem como de Ana Maria de Carvalho e Daniel Gil-Pérez. Todos esses pesquisadores apontam para diversos saberes docentes que confluem em dois grupos principais: saberes construídos durante a experiência escolar e saberes formais construídos durante a licenciatura. O saber construído pela experiência tem diferentes denominações e para este trabalho adotou-se a nomenclatura proposta por Carvalho e Gil-Pérez: pensamento docente espontâneo. Tal saber se apresenta como acrítico, incorporado de forma inconsciente ao longo do tempo, trazendo limitações para a prática docente, uma vez, que desconsidera pontos importantes do processo de ensino e aprendizagem, além de ser validado pelo senso comum. Embora seja conhecido e problematizado desde 1980, não foram encontradas propostas sobre como abordá-lo durante a formação inicial. Diante disso, o objetivo dessa investigação foi identificar e caracterizar o pensamento docente espontâneo de ingressantes e propor um processo formativo para que os mesmos conheçam, reflitam e reelaborem esse saber. A construção do corpus de dados foi realizada a partir de: (i) aplicação de questionário, (ii) observação participante ao longo de uma disciplina e (iii) entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados seguindo os passos da Análise Textual Discursiva proposta por Moraes e Galiazzi com apoio do referencial dos Modelos Didáticos de Garcia Pérez. Diante do corpus de dados, foi possível identificar as principais características do pensamento docente espontâneo, dentre elas a aceitação inconsciente e não refletida das práticas de antigos professores. Outra característica notável foi o interesse em abandonar o ensino tradicional e propor aulas inovadoras. No entanto, quando os modelos didáticos desses sujeitos foram construídos, percebeu-se que havia uma contradição entre o modo de ensinar – que era inovador – e o modo de avaliar – que era tradicional. Paralelamente, também ficou evidente que o processo formativo conduziu à reflexão inicial desses estudantes que, no momento final da disciplina, já apresentavam algumas concepções diferentes daquelas iniciais e mostravam consciência de que a proposta feita na primeira semana de aula estava pautada nas influências deixadas por seus antigos professores.
The focus to this research was the teacher’s knowledge of students entering the undergraduate program in chemistry at the Universidade Federal de Juiz de Fora. To understand how this knowledge is build and what its characteristics are, it was used the theoretical frameworks of Maurice Tardif, Rafael Porlán, Selma Pimenta as well Ana Maria de Carvalho and Daniel Gil-Perez. All these researchers point to several types of knowledge that converge into two main groups: knowledge built during the school experience, and formal knowledge built during the graduation. This knowledge built during the experience has different names and for this work we adopted the nomenclature proposed by Carvalho and Gil-Pérez, spontaneous teaching thought. It presents as an uncritical, incorporated unconsciously and that brings limitations for teaching practice because it ignores important points of the teaching and learning process, besides is validated by the common sense. Although such knowledge has been known and questioned since the 1980s decade, proposals on how to approach it have not been found during the teacher training. Therefore, the aim of this research was to identify and characterize the spontaneous teaching thought of the students entering the undergraduate program in chemistry, and propose an educational process for students to know the degree, reflect and elaborate this knowledge again. The data corpus was built from: (i) questionnaire, (ii) participant observation during a course and (iii) interview. The data were analysed following the steps of Textual Discursive Analysis proposed by Moraes and Galiazzi supported by the theory of Didactic Models by Garcia Perez. With all the data, was possible to identificate the main features from spontaneous teaching thought, such as unconscious incorporation and not reflected of older teachers’ practices. Another feature was the intention of to abandon the traditional teaching and offer innovative classes. However, when the didactic models were built by these students, it was noticed that there was a contradiction between the way of teaching – which was innovative - and how to evaluate - which was traditional. In parallel, it also became clear that the education process led to the initial thought of those students who, at the end of the course, already had different conceptions of those initials and showed awareness that the proposal made in the first week of school was ruled by marks left by their older teachers.